AVALIAÇÃO DA INFLUÊNCIA DE DANOS NA PERMEAÇÃO E DIFUSÃO DE GEOMEMBRANAS POLIMÉRICAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2021.10619

Palavras-chave:

Geomembrana, permeação, BTEX, cromatografia gasosa

Resumo

As geomembranas têm sido empregadas com o objetivo de impermeabilizar e proteger o solo e também os lençóis freáticos e mananciais. No entanto, durante o processo de instalação estas podem tornar-se suscetíveis à ocorrência de danos mecânicos (furos, microfuros e/ou rasgos). Dessa forma, os parâmetros de permeabilidade/permeação podem ser afetados e, caso ocorram vazamentos, fugas ou pequenas imperfeições que aumentem o fluxo através da geomembrana, a obra toda terá perdido sua função levando à falência do projeto. Nesse contexto, torna-se imprescindível o estudo da permeação e do processo difusivo em geomembranas poliméricas, permitindo garantir que suas propriedades estejam dentro dos parâmetros para qual foi projetada. Assim, essa pesquisa avaliou as propriedades de permeação e difusão de geomembranas de polietileno de alta densidade (PEAD) e poli cloreto de vinila (PVC) nas espessuras de 1,0 mm quando em contato com água e hidrocarbonetos. Foram avaliadas geomembranas intactas e com danos induzidos (microfuros, furos e por processos de abrasão). Os ensaios de permeação foram realizados de acordo com as recomendações da ASTM E96. O ensaio de difusão foi realizado com equipamento desenvolvido e com o auxílio da técnica de cromatografia gasosa. Para tanto foram avaliados dois tipos de solos locais (arenoso e argiloso). Os principais resultados mostram que os danos causados às geomembranas influenciaram significativamente os valores de permeação. A cromatografia gasosa mostrou-se extremamente eficaz na detecção de compostos do tipo BTEX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Júlia Bosso Mello, Universidade Estadual Paulista (UNESP) - Faculdade de Engenharia de Bauru Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental

Aluna de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental - Faculdade de Engenharia de Bauru (UNESP)

Fernando Luiz Lavoie, Instituto Mauá de Tecnologia Grupo de Pesquisa: Materiais de Construção Civil

Mestre em Geotecnia com ênfase em Geossintéticos - Professor do curso de Engenharia Civil do Instituto Mauá de Tecnologia (SP)

Paulo César Lodi, Universidade Estadual Paulista (UNESP) - Faculdade de Engenharia de Bauru Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental

Professor Associado - Departamento de Engenharia Civil e Ambiental - Área de Geotecnia

Referências

AMERICAN SOCIETY OF TESTING AND MATERIALS (ASTM). (1995). D4439: Standard Terminology for Geosynthetics. West Conshohocken.

AMERICAN SOCIETY OF TESTING AND MATERIALS (ASTM). (1995). D5747: Standard Practice for Tests to Evaluate the Chemical Resistance of Geomembranes to Liquids. West Conshohocken.

AMERICAN SOCIETY OF TESTING AND MATERIALS (ASTM). (1999). D4545 – 86: Standard Practice for Determining the Integrity of Factory Seams Used in Joining Manufactured Flexible Sheet Geomembranes. West Conshohocken.

AMERICAN SOCIETY OF TESTING AND MATERIALS (ASTM). (1999). D4437: Standard Practice for Determining the Integrity of Field seams Used in Joining Flexible Polymeric Sheet Geomembranes. West Conshohocken.

AMERICAN SOCIETY OF TESTING AND MATERIALS (ASTM). (1992). D5322: Standard Practice for Immersion Procedures for Evaluating the Chemical Resistance of Geosynthetics to Liquids. West Conshohocken.

AMERICAN SOCIETY OF TESTING AND MATERIALS (ASTM). (2000). E96: Standard Test Methods for Water Vapor Transmission of Materials. West Conshohocken.

ANJOS, R. B. Avaliação de HPA e BTEX no solo e água subterrânea, em postos de revenda de combustíveis: estudo de caso na cidade de Natal – RN. Dissertação de Mestrado em Ciência e Engenharia do Petróleo, Centro de Tecnologia, Centro de Ciências Exatas e da Terra, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). (2003). NBR 12553: Geossintéticos – Terminologia.

COSTA, A. H. R.; NUNES, C. C.; CORSEUIL, H. X. (2009). Biorremediação de águas subterrâneas impactadas por gasolina e etanol com uso de nitrato. Revista Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 14, n. 2, p. 265-274.

KAIPPER, B. I. A. (2003). Influência do etanol na solubilidade de hidrocarbonetos aromáticos em aquíferos contaminados por óleo diesel. Tese de Doutorado em Química Analítica, Centro de Ciências Físicas e Matemáticas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

LODI, P. C. (2003). Aspectos de degradação de geomembranas poliméricas de polietileno de alta densidade (PEAD) e de poli (cloreto de vinila) (PVC). Tese de Doutorado em Geotecnia, Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos.

MARÇAL, R. (2012). Avaliação da permeabilidade em geomembranas de polietileno de alta densidade (PEAD). Dissertação de Mestrado em Engenharia Civil, Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Ilha Solteira.

NOSKO, V., ANDREZAL, T., GREGOR, T. e GANIER, P. (1996). Sensor Damage Protection Damage Detection System (DDS) – The unique geomembrane test method. Proceedings of Geosynthetics’96, Maastricht, Netherlands, p.743-748.

NOSKO, V. e TOUZE-FOLTZ, N. (2000). Geomembrane liner failure: modelling of its influence on contaminant transfer. Proceedings of Geosynthetics 2000, Bologna, Italia, v. 2, p. 557-560.

PEGGS, I. D. (2001). Three challenging electrical integrity/leak surveys on uncovered and deep water-covered liners. Proceedings of Geosynthetics 2001, Portland, USA, v. 1, p.245-262.

Portaria MS nº 518 (25, março, 2004). Estabelece os procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 26 de mar. de 2004.

Portaria MS nº 2.914 (12, dezembro, 2011). Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 14 de dez. de 2011.

ROLLIN, A. L.; RIGO, J. M. (1991). Geomembranes: Identification and Performance Testing. Report of Technical Committee 103 – MGH – Mechanical and Hidraulic Testing of Geomembranes. RILEM, Rollin A.L. & Rigo, J.M., eds., Chapman and Hall, Cambridge, Great Britain, 376 p.

ROLLIN, A.L. MARCOTTE, M. e CHAPUT, L. (1999). Leak location in exposed geomembanes liners using an electrical leak detection technique. Proceedings of Geosynthetics’ 99, Boston, Massachusetts, v. 2, p. 615-626.

VALENTIN, C. A. (2008). Estudo da degradação de geomembrana de polietileno de alta densidade de 2,5 mm de espessura frente à gasolina, óleo diesel e álcool combustível. Dissertação de Mestrado, Instituto de Química de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos.

Downloads

Publicado

2021-12-08

Como Citar

Mello, J. B., Lavoie, F. L., & Lodi, P. C. (2021). AVALIAÇÃO DA INFLUÊNCIA DE DANOS NA PERMEAÇÃO E DIFUSÃO DE GEOMEMBRANAS POLIMÉRICAS. HOLOS, 8, 1–19. https://doi.org/10.15628/holos.2021.10619

Edição

Seção

ARTIGOS