AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS DE UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES FÍSICO-QUÍMICAS PELO MÉTODO FMEA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2019.9189

Palavras-chave:

Avaliação de aspectos e impactos, gestão ambiental, laboratório de análises físico-químicas

Resumo

A preocupação com a gestão ambiental é necessária em organizações de diversos porte e setores. Isso também atinge as instituições de ensino, especificamente os laboratórios físico-químicos e suas atividades de ensino, pesquisa e extensão, sendo essas potencialmente poluidoras. Um entendimento dos aspectos e impactos ambientais e estabelecimento de medidas de controle nesses ambientes são cruciais para o planejamento das ações de gestão ambiental. Assim, este trabalho tem como objetivo avaliar os aspectos e impactos ambientais de um laboratório de análises físico-químico do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) e propor medidas para controle dos mesmos. Para a realização desta pesquisa, foi desenvolvido um estudo de caso com foco na avaliação dos aspectos e impactos pelo método Failure Mode and Effects Analysis que se baseia na atribuição de valores para severidade, probabilidade e detecção. Os aspectos ambientais relevantes identificados eram associados aos outputs das atividades do laboratório, incluindo resíduos sólidos perigosos, efluente não perigosos e efluente perigoso. À vista disso, foram propostas medidas de controle dos aspectos, levando em consideração as necessidades, a estrutura organizacional e os recursos financeiros. De forma geral, as medidas implementadas tiveram como facilitador o baixo custo, levando a um melhor controle dos aspectos ambientais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ABNT NBR ISO/IEC 17025, de 10 de dezembro de 2017. Requisitos gerais para a competência, imparcialidade e operação consistente dos laboratórios. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Normas Técnicas. Recuperado de http:// http://www.abnt.org.br/imprensa/releases/5685-publicada-a-nova-versao-da-iso-iec-17025.

ABNT NBR ISO 14001, de 6 de outubro de 2015. Sistema de Gestão Ambiental: Requisitos com orientações para uso. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Normas Técnicas. Recuperado de http://abnt.org.br/paginampe/noticias/218-abnt-nbr-iso-14001-2015-sistemas-de-gest%C3%A3o-ambiental-%E2%80%94-requisitos-com-orienta%C3%A7%C3%B5es-para-uso.

ALBERGUINI, L. B. A., SILVA, L. C., REZENDE, M. O. O. Laboratório de resíduos químicos do campus USP-São Carlos – resultados da experiência pioneira em gestão e gerenciamento de resíduos químicos em um campus universitário. Quim. Nova, v. 26, n. 2, p. 291-295, 2003.

AL-ZYOUD, W., QUNIES, A. M, WALTERS, A. U & JALSA, N. K. (2019). Perceptions of Chemical Safety in Laboratories. Safety, 5, 21.

ASSUMPÇÃO, L. F. J. (2011). Sistema de Gestão Ambiental: manual prático para implementação de SGA e Certificação ISO 14.001 (3a ed). Curitiba: Juruá.

BARBIERI, J. C. (2007). Gestão ambiental empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. São Paulo: Saraiva.

BORGES, A. F. et al. Análise da gestão ambiental nos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Cerne, v. 19, n. 2, p. 177-184, 2013.

CAMPANI, D. B., COIMBRA, N. S., FERNANDES, T. G. & BIRNFELD, E. F. (2006). Implementação do sistema de gestão ambiental no prédio da engenharia mecânica - UFRGS. Anais do Congresso Interamericano de Ingeniería Sanitaria Y Ambiental, Punta del Este, Maldonado, Uruguai, 30. Recuperado de https://docplayer.com.br/16567435-Implementacao-do-sistema-de-gestao-ambiental-no-predio-da-engenharia-mecanica-ufrgs.html.

CARPI JÚNIOR, E. J., BORRÁS, M. A. A., FERRARINI, C. F. (2015). Implantação do FMEA em Laboratório para a Melhoria dos Processos de Pesquisa: um estudo de caso. Anais do Simposio de Ingeniería de la Producción Sudamericano, Sorocaba, SP, Brasil, 15. Recuperado de https://www.researchgate.net/publication/281551736_Implantacao_do_FMEA_em_Laboratorio_para_a_Melhoria_dos_Processos_de_Pesquisa_um_estudo_de_caso/link/55ed7a1108ae3e1218480b88/download.

CASTRO JÚNIOR, E. J., BACARJI, A. G. & BONATTI, J. (2011). Levantamento de aspectos e impactos ambientais do instituto federal de educação, ciência e tecnologia de Mato Grosso, campus Cuiabá-Bela Vista. Anais do Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental, Londrina, PR, Brasil, 2. Recuperado de https://www.ibeas.org.br/congresso/Trabalhos2011/I-014.pdf.

CEREZINI, M. T., AMARAL, K. M. & POLLI, H. Q. Avaliação dos aspectos e impactos ambientais em uma instituição de ensino com o uso da ferramenta FMEA. Saúde, Meio Ambiente e Sustentabilidade, São Paulo, 11, 1, 2016.

CHO, J. & BAEK, W. (2019). Identifying Factors Affecting the Quality of Teaching in Basic Science Education: Physics, Biological Sciences, Mathematics, and Chemistry. Sustainability, 11, 3958, p. 2-18.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE – CONAMA (2011). Resolução no 430, de 13 de maio de 2011. Dispõe sobre as condições e padrões de lançamento de efluentes, complementa e altera a Resolução no 357, de 17 de março de 2005, do Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Ministério do Meio Ambiente, Brasília.

FOSTER. B. L. (2005). The Chemical Inventory Management System in academia. Journal of Chemical Health & Safety, v. 12, n. 5, p. 21-25.

GODOI, C. K., BANDEIRA-DE-MELLO, R. & SILVA, A. N. (2010). Pesquisa qualitativa em estudos organizacionais: paradigmas, estratégias e métodos (4a. ed). São Paulo: Saraiva.

HO, C. C. & CHEN, M. S. (2018). Risk assessment and quality improvement of liquid waste management in Taiwan University chemical laboratories. Waste Management, 71, p. 578-588.

KAPLOWITZ, M. D.; THORP, L.; COLEMAN, K.; & YEBOAH, F. K. (2012). Energy conservation attitudes, knowledge, and behaviors in science laboratories. Energy Policy, 50, p. 581-591.

LARA, E. R., DE LA ROSA, J. R., CASTILLO, A. I. R., CERINO-CORDOVA, F. J., CHUKEN, U. J. L., DELGADILLO, S. S. F. & RIVAS-GARCÍA, P. (2017). A comprehensive hazardous waste management program in a Chemistry School at a Mexican university. Journal of Cleaner Production, 142, p. 1488-1491.

MATOS, R. B. & MILAN, M. (2009). Aplicação sistêmica do modo de análise de falhas e efeitos (FMEA) para o desenvolvimento de indicadores de desempenho de empresas de pequeno porte. R. Árvore, v.33, n.5, p. 977-985.

MENDONÇA, J. M. S. & SILVA, R. G. Aspectos e impactos ambientais de um laboratório de biologia. Holos, v. 8, n. 31, p. 368-383, 2015.

MENEZES, J. R. B., SILVA, J. J. R., BANDEIRA FILHO, O. M., VALENTE, M. C. B. S. & ALMEIDA, M. L. (2006). Contribuição para a identificação de aspectos ambientais e impactos significativos na gestão da construção de edificações urbanas. In: SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 13, 2006. Bauru. Anais eletrônicos... Bauru, UNESP.

NASCIMENTO, E. S. & TENUTA FILHO, A. Chemical waste risk reduction and environmental impact generated by laboratory activities in research and teaching institutions. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences, v. 46, n. 2, p. 187-198, 2010.

PEETERS, J.F.W., BASTEN, R.J.I. & TINGA, T. Improving failure analysis efficiency by combining FTA and FMEA in a recursive manner. Reliability Engineering and System Safety, v. 172, p. 36-44, 2018.

PENATTI, F. E. & GUIMARÃES, S. T. L. (2011). Avaliação dos riscos e problemas ambientais causados pela disposição incorreta de resíduos de laboratórios. Geografia Ensino & Pesquisa, 15, 1.

PIMENTA, H. C. D. & GOUVINHAS, R. P. A produção mais limpa como ferramenta da sustentabilidade empresarial: um estudo no estado do Rio Grande do Norte. Produção, v. 22, n. 3, p. 462-476, 2012.

RESOLUÇÃO RDC n. 11, de 16 de fevereiro de 2012. Dispõe sobre o funcionamento de laboratórios analíticos que realizam análises em produtos sujeitos à Vigilância Sanitária e dá outras providências. Recuperado de http://portal.anvisa.gov.br/documents/10181/2867923/(1)RDC_11_2014_COMP.pdf/5e552d92-f573-4c54-8cab-b06efa87036e.

RIBEIRO, M. G., PEDREIRA FILHO, W. R. & RIEDERER, E. E. Avaliação qualitativa de riscos químicos: orientações básicas para o controle da exposição a produtos químicos em fundições. p. 93. São Paulo, SP. 2011.

SENGER, I., PAÇO-CUNHA, E. & SENGER, C. M. (2004). O estudo de caso como estratégia metodológica de pesquisas científicas em administração: um roteiro para o estudo metodológico. Revista de Administração, v. 3, n. 4.

TAUCHEN, J. & BRANDLI, L. (2006). A Gestão Ambiental em Instituições de Ensino Superior: Modelo para Implantação em Campus Universitário. Gestão e Produção, v.13, n.3, p.503-515.

TAVARES, G. A. & BENDASSOLLI, J. A. (2005). Implantação de um programa de gerenciamento de resíduos químicos e águas servidas nos laboratórios de ensino e pesquisa no CENA/USP. Quim. Nova, v. 28, n. 4, p. 732-738.

TERENCE, A. C. F. & ESCRIVÃO FILHO, E. (2006). Abordagem quantitativa, qualitativa e a utilização da pesquisa-ação nos estudos organizacionais. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 26, 2006, Fortaleza. Anais eletrônicos… Fortaleza: Associação Brasileira de Engenharia de Produção.

VAZ, C. R., FAGUNDES, A. B., OLIVEIRA, I. L., KOVALESKI, J. L. & SELIG, P. M. (2010). Sistema de Gestão Ambiental em Instituições de Ensino Superior: uma revisão. Gestão da Produção, Operações e Sistemas. v. 5, n. 3, p. 45-58.

YIN, R. K. (2015). Estudo de caso: planejamento e métodos (5a ed.). Porto Alegre: Bookman.

Downloads

Publicado

24/12/2019

Como Citar

Aires, C. F., & Pimenta, H. C. D. (2019). AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS DE UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES FÍSICO-QUÍMICAS PELO MÉTODO FMEA. HOLOS, 8, 1–20. https://doi.org/10.15628/holos.2019.9189

Edição

Seção

DOSSIÊ

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)