HOSPITALIDADE E ENRAIZAMENTO EXISTENCIAL: AS DIFICULDADES FILOSÓFICAS DE UM CONCEITO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2020.5881

Palavras-chave:

hospitalidade, conceito, processo conceitual, indícios-formais.

Resumo

RESUMO: Este artigo trata sobre a hospitalidade e a dificuldade em elaborar o seu conceito, principalmente para uma análise teórica. Na primeira parte, são mostrados os motivos desta dificuldade, os quais remetem a uma diversidade e ambigüidade da expressão. Na segunda parte, a inserção de parâmetros filosóficos permite um estudo aprofundado do processo conceitual e fornece uma alternativa de solução. O resultado alcançado mostra que a hospitalidade faz parte das realizações humanas e deve ser conceituada de forma diferente da tradicional, ou seja, a partir de um recurso metodológico proveniente da filosofia heideggeriana: os indícios formais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Itamar Soares Veiga, Universidade de Caxias do Sul - Programa de Pós-Graduação em Filosofia, stricto sensu

Doutor e mestre em filosofia pela PUCRS, bacharel e licenciado em filosofia pela UFRGS.

Referências

REFERÊNCIAS

CAMARGO, Luiz Octávio de Lima. “Hospitalidade sem sacrifício? O caso do receptivo turístico”. In: Revista Hospitalidade. São Paulo, ano III, nº: 2. 2 sem. 2006, p.11-28.

___. “Apresentação à edição brasileira. O estudo da hospitalidade”. In: MONTANDON, Alain (dir.). O livro da hospitalidade: acolhida do estrangeiro na história e nas culturas. São Paulo: Senac, 2011.

GONZÁLEZ, Norma Ernestina Klein. “Hospitalidade e preconceito no turismo”. In: Turismo: Visão e Ação. Ano 4, nº: 10, Out. 2001/mar. 2002, p. 91-100.

GOMES, Cristiane Luce et al. “Inserção do lazer no contexto da pós-graduação strictu sensu em turismo/Hospitalidade no Brasil”. In: Caderno Virtual de Turismo, v.8, nº: 3, 2008, p.54-66.

HEIDEGGER, Martim. Sein und Zeit. Frankfurt am Main: Vittorio Klostermann, 1977. GA.v.2

___. Fenomenologia da vida religiosa. Petrópolis: Vozes; Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco. 2010. GA. v. 60.

___. Phänomelogische Interpretationen zu Aristoteles - Einfürung in die Phänomenologische Forschung. Frankfurt am Main: Vittorio Klostermann, 1994. GA. v. 61.

___. Conceitos Fundamentais da Metafísica: Mundo Finitude e Solidão. Rio de Janeiro: Forense, 2003. GA. v. 29/30

HEBECHE, L. “Heidegger e os indícios-formais”. In: Veritas. Porto Alegre, v.46, nº:4, 2001. p.571-592.

LARA de, Francisco. “El estatuto fenomenológico de la indicación formal em Heidegger”. In: Filosofia Unisinos, 13(1), jan./abr., 2012, p.15-29.

MONTANDON, Alain. “Introdução”. In: MONTANDON, Alain (dir.). O livro da hospitalidade: acolhida do estrangeiro na história e nas culturas. São Paulo: Senac, 2011.

MOURA de, Carlos Alberto Ribeiro. Crítica da Razão na fenomenologia. São Paulo: Nova Stella, Editora da Universidade de São Paulo, 1989.

REIS, Róbson Ramos. “Modalidade existencial e indicação-formal: elementos para um conceito existencial de moral”. In: Natureza Humana, 2 (2), 2000. p.273-300.

___. “ilusão e indicação formal nos conceitos filosóficos”. In: Integração. Abr./mai./jun., ano 10, nº: 37, 2004, p.171-179.

Downloads

Publicado

01/04/2020

Como Citar

Veiga, I. S. (2020). HOSPITALIDADE E ENRAIZAMENTO EXISTENCIAL: AS DIFICULDADES FILOSÓFICAS DE UM CONCEITO. HOLOS, 2, 1–18. https://doi.org/10.15628/holos.2020.5881

Edição

Seção

ARTIGOS