“LER, ESCREVER E CONTAR”: ENTRE CIRCULAÇÃO E APROPRIAÇÕES DE MÉTODOS NA ESCOLA PRIMÁRIA DO MÉDIO SERTÃO SERGIPANO (1930-1961)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2017.4923

Palavras-chave:

Circulação, Apropriação, Métodos de ensino, Médio Sertão Sergipano.

Resumo

O presente artigo busca compreender indícios da circulação, as apropriações e as adequações dos métodos de ensino para leitura, escrita e cálculo na Escola Primária no território do Médio Sertão Sergipano, no arco de tempo que compreende 1930 a 1961. Para empreender tal pesquisa, examinamos os documentos oficiais em diálogo com a metodologia da história oral. Constatamos que muito embora no Estado de Sergipe circulasse um plano discursivo modernizador, as apropriações e as adequações dos métodos de ensino se deram conforme as condições materiais e intelectuais do tempo e lugar.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Rony Silva, Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Doutorando em Educação pela Universidade Estadual Paulista "Júlio Mesquita Filho";- UNESP. Mestre em Educação pela Universidade Tiradentes - UNIT (2016) com Bolsa Capes/FAPITEC/SE. Possui Graduação em Serviço Social pela Universidade Tiradentes - UNIT (2014). Atualmente é aluno do curso de Pedagogia da Universidade Tiradentes - UNIT. Foi aluno de Iniciação Científica com o projeto Memória Oral da Educação Sergipana. É membro dos Grupos de Pesquisa História, Memória, Educação e Identidade (GPHMEI) e Sociedade, Educação, História e Memória- GPSEHM

Raylane Barreto

Doutorou-se pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e fez o pós-doutoramento na Universidade de Lisboa, ambos na área de História da Educação. Possui Graduação em Ciências Sociais (2000) e Mestrado em Educação (2004) pela Universidade Federal de Sergipe. Atualmente é professora PPG 2- I da Universidade Tiradentes onde atua também como membro de alguns dos seus Núcleos Docentes Estruturantes e como membro da Comissão Permanente de Avaliação do Material Impresso, atuando na análise e aprovação do material elaborado para os cursos ofertados na modalidade de ensino à distância. É também diretora do Instituto Tobias Barreto de Educação e Cultura e líder do Grupo de Pesquisa Sociedade, Educação, História e Memória e membro pesquisador do Grupo de Pesquisa em História da Educação: Intelectuais, instituições e práticas escolares da UFS e do Grupo Historiar - Pesquisa, Ensino e Extensão em História da Educação da UFMG.

Ilka Mesquita

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2008), pós-doutorado em História da Educação pela UFMG (2010-2011). Possui graduação em História pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1986), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia (2000). Líder do Grupo de Pesquisa História, Memória, Educação e Identidade (GPHMEI); Membro do Grupo de Pesquisa Historiar - Pesquisa, Ensino e Extensão em História da Educação.

Referências

Alberti, V. (2004). Manual de história oral. Rio de Janeiro; Editora FGV.

Albuquerque Júnior, D. Muniz. (2007). História: a arte de inventar o passado. Ensaios de teoria da História. Bauru, Edusc.

Andrade, M. I. A. (2013). Relato oral sobre sua história de vida. Entrevista concedida a Rony rei do Nascimento Silva. Nossa Senhora das Dores. 08 de maio.

Aragão, T. R. (2013). Relato oral sobre sua história de vida. Entrevista concedida a Rony rei do Nascimento Silva. Aquidabã. 11 de maio.

Brasil. (1933). O ensino Primário em Sergipe. In: O Ensino Primário no Brasil, vol XXI, INEP. São Paulo: Proprietária.

Bernardes, V. C. (2008). Um estudo sobre Cartilha Analytica, de Arnaldo de Oliveira Barreto (1869-1925). Revista de Iniciação Científica da FFC, v. 8, n.1, p. 1-17.

Cardoso, I. D. (2013). Relato oral sobre sua história de vida. Entrevista concedida a Rony rei do Nascimento Silva. Aquidabã. 10 de maio.

Chartier, R. (1990). A História Cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro, ed. Bertrand Brasil.

Faria Filho, L. M. (2000). Instrução elementar no século XIX. In: Lopes, E. Ma. T., Faria Filho, L. M., & Veira, C. G. 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica.

Ferreira, M. D. (2013). Relato oral sobre sua história de vida. Entrevista concedida a Rony rei do Nascimento Silva. Graccho Cardoso. 11 de maio.

Frade, I. C. A. S. (2011). História da alfabetização e da cultura escrita: discutindo uma trajetória de pesquisa. In: Mortatti, M. R. L. (Orgs.). Alfabetização no Brasil: uma história de sua história São Paulo. Marília: Cultura Acadêmica. Oficina Universitária.

Hilsdorf, M. L. S. (1994). Métodos de Educação Popular na Propaganda Republicana (1870-1889). Cadernos de História e Filosofia da Educação, v.II, n.3, São Paulo.

Le Goff, Jacques. (1996) História e Memória. 4. ed. Campinas: Unicamp.

Magnani, M. R. M. (1997). Os sentidos da alfabetização: a “questão dos métodos” e a constituição de um objeto de estudo (São Paulo, 1876-1994). 1997. 389 f. Tese (Livre-docência em Metodologia da Alfabetização) – Faculdade de Ciência e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente.

Mesquita, I. M., Barreto, R. A. D. N., Silva, R. R. N. (2013). O coser das memórias de aluna, de operária e de professora na roça: as experiências de Luzia Honória dos Santos. História Oral, v. 16, n. 2, p. 101-127, jul./dez.

Melo, T. F. (2013). Relato oral sobre sua história de vida. Entrevista concedida a Rony rei do Nascimento Silva. Itabi. 09 de maio.

Mortatti, M. R. L. (2000). Os Sentidos da Alfabetização: São Paulo-1876- 1994. São Paulo: Unesp.

Mortatti, M. R. L. (2016). Os órfãos do construtivismo. RIAEE – Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 11, n. esp. 4, p.2267-2286.

Mortatti, M. R. L. (2009). A “querela dos métodos” de alfabetização no Brasil: contribuições para metodizar o debate. Revista Eletrônica Acolhendo a Alfabetização nos países de Língua Portuguesa (USP), v. 3, p. 91-114.

Moura, A. P. (2013). Relato oral sobre sua história de vida. Entrevista concedida a Rony rei do Nascimento Silva. Feira Nova. 07 de maio.

Oliveira, M. M. (2013). Relato oral sobre sua história de vida. Entrevista concedida a Rony rei do Nascimento Silva. Nossa Senhora das Dores. 06 de maio.

Pesavento, S. J. (2005). História & história cultural. 2ª Edição. Belo Horizonte: Autêntica.

Santos, L. D. (2016). Por uma história vista de baixo: as escolas primárias dos territórios do centro e sul do estado de Sergipe (1930 – 1960). 168f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Tiradentes, Aracaju.

Santos, I. F. (2013). Relato oral sobre sua história de vida. Entrevista concedida a Rony rei do Nascimento Silva. Cumbi. 08 de maio.

Santos, M. D. S. (2013). Relato oral sobre sua história de vida. Entrevista concedida a Rony rei do Nascimento Silva. Feira Nova. 07 de maio.

Santos, O. V. (2013). Relato oral sobre sua história de vida. Entrevista concedida a Rony rei do Nascimento Silva. Aquidabã. 09 de maio.

Santos, T. B. (2013). Relato oral sobre sua história de vida. Entrevista concedida a Rony rei do Nascimento Silva. Nossa Senhora das Dores. 06 de maio de 2013.

Sergipe. (1931). Relatório Anual apresentado ao Governo Interventorial pelo Dr. Helvécio de Andrade, diretor geral, em 1931. Aracajú: Diretoria Geral da Instrução Publica e Normal. Relatório Anual/Empreza Typographica d’O Luctador,

Sergipe. (1936). Mensagem apresentada à Assembléia Legislativa, em 7 de setembro de 1936, pelo Dr. Eronides Ferreira de Carvalho em 1936. Aracajú: Imprensa Official.

Sergipe. (1943). Relatório apresentado ao Exmo. Sr. Interventor Federal Coronel Algusto Maynard Gomes pelo Diretor Geral do Departamento de Educaçã pelo Dr. José Rollemberg Leite, 1943. Aracajú: Diretoria Geral Do Departamento de Educação.

Sergipe. (1948). Mensagem apresentada à Assembleia Legislativa Estadual por ocasião da abertura da sessão legislativa de 1948, pelo Dr. José Rollemberg Leite, governador do estado de Sergipe. Aracajú: Diretoria Geral Do Departamento de Educação.

Sergipe. (1956). Mensagem apresentada à Assembléia Legislativa apresentada por Leandro Maynard Maciel, por ocasião da abertura da sessão ordinária de 1956. Aracajú: Imprensa Oficial.

Silva, V. S. (2013). Relato oral sobre sua história de vida. Entrevista concedida a Rony rei do Nascimento Silva. Graccho Cardoso. 10 de maio.

Souza, R. F. (1998). Templos de civilização: a implantação da Escola Primária Graduada no estado de São Paulo, 1890-1910; São Paulo: Fundação Editora da UNESP.

Valdemarin, V. T. (1998). Método Intuitivo: os sentidos como janelas e portas que se abrem para um mundo interpretado. In: Souza, R. F., Valdemarin, V. T., & Almeida, J. S. O Legado Educacional do Século XIX. Araraquara: UNESP – Faculdade de Ciências e Letras.

Vidal, D. G. (2000). Escola Nova e Processo Educativo. In: Lopes, E. M. T., Faria Filho, L. M., & Veira, C. G. 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica.

Downloads

Publicado

21/12/2017

Como Citar

Silva, R., Barreto, R., & Mesquita, I. (2017). “LER, ESCREVER E CONTAR”: ENTRE CIRCULAÇÃO E APROPRIAÇÕES DE MÉTODOS NA ESCOLA PRIMÁRIA DO MÉDIO SERTÃO SERGIPANO (1930-1961). HOLOS, 7, 253–269. https://doi.org/10.15628/holos.2017.4923

Edição

Seção

ARTIGOS