IDENTIDADE DO ENSINO MÉDIO NO CONTEXTO DE IMPLEMENTAÇÃO DA REESTRUTURAÇÃO CURRICULAR DA SEDUC/RS: MUDANÇA OU CONTINUIDADE?

Luciana Bagolin Zambon, Eduardo Adolfo Terrazzan

Resumo


Neste artigo, buscamos compreender em que medida o processo de implementação da Proposta de Reestruturação Curricular do Ensino Médio da SEDUC/RS implicou em mudanças na definição da identidade do Ensino Médio. Para tanto, foram realizados 03 grupos focais que envolveram 20 Professores de Seminário Integrado (SI), novo componente curricular do Ensino Médio, e foram realizadas 34 entrevistas que envolveram 13 Coordenadores Pedagógicos, 20 Professores de SI (alguns agrupados) e 06 Professores do Ensino Médio, todos eles atuantes em 20 escolas da região da 8ª Coordenadoria Regional de Educação da SEDUC/RS que vivenciaram esse processo de implementação da Proposta. A partir dos resultados, podemos afirmar que a implementação da referida Proposta não modificou substancialmente o Ensino Médio, especialmente porque não suscitou suficientemente o questionamento sobre a função social dessa escola de Ensino Médio, que nesse processo permaneceu como um núcleo sólido, protegido de tal modo que ali não se efetivaram mudanças.

Palavras-chave


Ensino Médio, Políticas Educacionais, Reestruturação Curricular, Identidade do Ensino Médio

Texto completo:

PDF

Referências


Bernstein, B. (1996). A estruturação do discurso pedagógico: classe, código e controle. (2a ed.). (T. T. da Silva & L. F. G. Pereira, Trad.). Petrópolis: Vozes. (Obra original publicada em 1990).

Charmaz, K. (2009). A construção da teoria fundamentada: guia prático para análise qualitativa. (J. E. Costa, Trad.). (Coleção “Métodos e Pesquisa”). Porto Alegre: Artmed. (Obra original publicada em 2006).

Gibbs, G. (2009). Análise de dados qualitativos. (R. C. Costa, Trad.). Porto Alegre: Artmed. (Obra original publicada em 2008).

Kuenzer, A. Z. (2005). Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In D. Saviani, J. L. Sanfelice & J. C. Lombardi (Orgs.). Capitalismo, trabalho e educação. (3a ed.). Campinas: Autores Associados.

Mainardes, J. (2006). Abordagem do ciclo de políticas: Uma contribuição para a análise de Políticas Educacionais. Educação & Sociedade, 27(94), 47-69.

Nosella, P. (2011). Ensino médio: em busca do princípio pedagógico. Educação e Sociedade, 32(117), 1051-1066.

Oliveira, R. (2009). A possibilidade da escola unitária na sociedade capitalista. Cadernos de Educação, 32, 141-160.

Parecer n. 310, de 04 de abril de 2012 (2012). Aprova o Regimento Escolar Padrão para o ensino médio “politécnico” a ser adotado por escolas da Rede Pública Estadual que solicitarem credenciamento e autorização para funcionamento desse curso a partir do ano letivo de 2012. Porto Alegre, RS. Recuperado em 28 de junho de 2012, de http://www.ceed.rs.gov.br/download/1334679658pare_0310.pdf

Rio Grande do Sul, Secretaria da Educação (2011). Proposta pedagógica para o ensino médio politécnico e educação profissional integrada ao ensino médio 2011-2014. Porto Alegre, RS Recuperado em 28 de junho de 2012, de http://www.educacao.rs.gov.br/dados/ens_med_proposta.pdf

Silva, M. R. (2014). Perspectiva analítica para o estudo das políticas curriculares: processos de recontextualização. Anais da Jornada da Rede Latino Americana de Estudos Epistemológicos em Políticas Educacionais, Curitiba, PR, Brasil, 2.

Thurler, M. G. (2001). Inovar no interior da escola. (J. Wolff, Trad.). Porto Alegre: Artmed. (Obra original publicada em 1998).

Zibas, D. L. (1992). Ser ou não ser: o debate sobre o ensino médio. Cadernos de Pesquisa , 80, 56-61.

Zambon, L. B. (2015). Organização e desenvolvimento do trabalho escolar no contexto de implementação da proposta de reestruturação curricular do Ensino Médio da SEDUC/RS. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, Brasil.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2017.5755



 

HOLOS IN THE WORLD