GOVERNANÇA DA ÁGUA NO BRASIL: UMA CONTRIBUIÇÃO BIBLIOMÉTRICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2016.4814

Palavras-chave:

Crise Hídrica, água, Gestão

Resumo

A água é indispensável para o desenvolvimento social, pessoal e econômico, sendo assim é necessário adotar novas práticas de relação entre governo, sociedade e o uso sustentável da mesma. Desde 2012, vários municípios brasileiros têm se deparado com reduções no volume pluviométrico, delineando um cenário de crise hídrica. Diante disso, esse trabalho através de um estudo bibliométrico com 137 artigos compreende a dimensão e as características da governança da água no contexto nacional. Destacou-se um total de 1120 citações desses artigos, o que dá uma média por ano de 65,88 citações e 8,18 por artigo, além disso a amostra apresentou 1,82 autores por artigo, o autor com maior número de publicações foi Jacobi, P. R. e o periódico com maior destaque em volume de publicações foi o Ambiente & Sociedade. Dessa forma, nota-se que o tema não é pouco discutido e a transição da inovadora governança da água, trata-se da reintegração da natureza na história, pois, a dimensão cultural aponta que são necessárias mudanças nos nossos valores, instituições e modo de vida na medida em que não se pode viver bem se a natureza é destruída.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

André Carlos Silva, Universidade Federal de Goiás

Possui graduação em Engenharia de Minas (2000), mestrado em Engenharia Mineral (2003) e doutorado em Engenharia de Materiais (2010) pela Universidade Federal de Ouro Preto e Pós-doutorado (2012) em andamento no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Metalúrgica, Materiais e de Minas (PPGEM) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente é professor Adjunto II do Departamento de Engenharia de Minas da Universidade Federal de Goiás, Campus Catalão e Coordenador do Curso de Especialização em Tratamento de Minérios. Tem experiência na área de Engenharia de Minas, com ênfase em Tratamento de Minérios, atuando nas seguintes áreas: simulação computacional, automação industrial e equipamentos de tratamento de minérios. É editor associado da Revista Tecnologia em Metalurgia, Materiais e Mineração (ABM) e revisor das revistas: Espaço em Revista, Exacta, Revista Escola de Minas (REM) e Revista de Ciência e Tecnologia do Vale do Jequitinhonha.

Referências

Araújo, C. A. (2006) Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão, 12(1), 11-32.

Campos, V. N. O. & Fracalanza, A. P. (2010) Governança das Águas no Brasil: conflitos pela apropriação da água e a busca da integração como consenso. Ambiente & Sociedade, 13(2), 365?382.

Costa, A. L. & Mertens, F. (2015) Governança, redes e capital social no plenário do Conselho Nacional de Recursos Hídricos do Brasil. Ambiente & Sociedade, 18(3), 153?170.

Fracalanza, A. P., Jacob, A. M. & Eça, R. F. (2013) Justiça Ambiental e Práticas de Governança da Água: (Re) Introduzindo Questões de Igualdade na Agenda. Ambiente & Sociedade, 16(1), 19?38.

Gil, A. C. (2010) Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: 5. Ed. Atlas.

Grafton, R. Q., Pittock, J., Davis, R., Williams, J., FU, G., Warburton, M., Udall, B., Mckenzie, R., Yu, X., Che, N., Connell, D., Jiang, Q., Kompas, T., Lynch, A., Norris, R., Possingham, H. & Quiggin, J. (2013) Global insights into water resources, climate change and governance. Nature Climate Change, 3(), 315-321.

Jacobi, P. R., Cibim, J., Leão, R. S. (2015) Crise hídrica na macrometrópole paulista e respostas da sociedade civil. Estudos avançados, 29(84), 27-42.

Jacobi, P. R., Fracalanza, A. P., Silva?Sánchez, S. (2015) Governança da água e inovação na política de recuperação de recursos hídricos na cidade de São Paulo. Cadernos Metrópole, 17(33), 61?81.

Martins, R. C. (2015) Fronteiras entre desigualdade e diferença na Governança das Águas. Ambiente & Sociedade, 18(1), 221?238.

Oliveira, M. A., Barbosa, E. M. & Neto, J. D. (2013) Gestão de recursos hídricos no Rio Grande do Norte: Uma análise da implementação da política hídrica. HOLOS, 29(1), 3-27.

Ottoni, B., Couceiro, S., Castro, V., & Pereira, R. (2011). A OUTORGA DO DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS NO RIO GRANDE DO NORTE. HOLOS, 1, 57-71. doi:http://dx.doi.org/10.15628/holos.2011.399

Rodrigues, E. L., Elmiro, M. A. T., Jacobi, C. M. & Lamounier, W. L. (2015) Aplicação do modelo SWAT na avaliação do consumo de água em áreas de florestas plantadas na bacia do rio Pará, Alto São Francisco, em Minas Gerais. Sociedade & Natureza, Uberlândia, 27(3), 485?500.

Silva, J. A. L., Medeiros, M. C. S., Freitas, J. P., Dantas, H. F. S. A. & Azevedo, P. V. (2014) Gestão hídrica a partir de cisternas de placas: avaliação socioambiental da eficiência do P1MC no município de Pedra Lavrada?PB. HOLOS, 30(4), 47-60. doi:http://dx.doi.org/10.15628/holos.2014.1541

Souza, M., Silva, C. P. & Barbosa, L. M. (2014) Governança e difusão de normas para a gestão de aquíferos compartilhados: O papel do ISARM. Contexto Internacional, 36(1), 261?289.

Tundisi, J. G. (2008) Recursos hídricos no futuro: problemas e soluções. Estudos Avançados, 22(63), 7-16.

Wolkmer, M. F. S. & Pimmel, N. F. (2013) Política Nacional de Recursos Hídricos: governança da água e cidadania ambiental. Sequência, 34(67), 165?198.

Downloads

Publicado

09/05/2017

Como Citar

Silva, A. C., Vasconcelos, D. P., Barros, M. R. de, Oliveira, N. G. de, & Hordones, P. A. (2017). GOVERNANÇA DA ÁGUA NO BRASIL: UMA CONTRIBUIÇÃO BIBLIOMÉTRICA. HOLOS, 8, 147–155. https://doi.org/10.15628/holos.2016.4814

Edição

Seção

ARTIGOS