TINTAS ECOLÓGICAS A PARTIR DE MINERAIS ENCONTRADOS NA COSTA MARANHENSE

Autores

  • Fábio Henrique Silva Sales Instituto Federal do Maranhão Campus São Luís - Monte Castelo http://orcid.org/0000-0001-8662-4479
  • Thays O Costa Instituto Federal do Maranhão Campus São luís - Monte Castelo

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2018.4440

Palavras-chave:

Argila, minerais, tintas ecológicas, sustentabilidade.

Resumo

O estudo se propôs a investigar a viabilidade da utilização da argila situada na costa maranhense no desenvolvimento de uma tinta baseada em sua composição e que pudesse servir posteriormente para construções voltadas para a sustentabilidade. Após cuidadosa revisão bibliográfica sobre assuntos relacionados ao tema, foram feitas visitas aos locais identificados como ideais para a coleta da argila a ser usada, a fim de se catalogar as tonalidades encontradas em campo e selecionar as técnicas de produção de tintas mais apropriadas. No laboratório, foram feitos testes a fim de se identificar a melhor técnica a ser usada para uma produção em maior escala das tintas para serem aplicadas posteriormente como revestimento de pequenas construções sustentáveis locais, instituições de ensino público e quadros. Após um período de observação do desempenho da tinta fabricada, foi produzido relatório com a análise de suas propriedades e das vantagens e desvantagens do seu uso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Fábio Henrique Silva Sales, Instituto Federal do Maranhão Campus São Luís - Monte Castelo

Graduado em Física Licenciatura Plena pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Mestrado e Doutorado em Física da Matéria Condensada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Pesquisador do Grupo Teórico, cadastrado no CNPq, de Magnetismo e Materiais Magnéticos do Departamento de Física Teórica e Experimental da UFRN. Coordenador Regional pelo Estado do Maranhão da Olimpíada Brasileira de Física e da Olimpíada Brasileira de Astronomentil Bragaia e Astronáutica. Lider de dois grupos de pesquisa cadastrados no CNPQ, voltados para a Iniciação Científica Junior e o Ensino de Física do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA).

Thays O Costa, Instituto Federal do Maranhão Campus São luís - Monte Castelo

Técnica em EdificaçõesEstudante de Engenharia Civil

Referências

MATEUS, S.V.N. Construção Sustentável - Materiais eco-eficientes para a melhoria do desempenho de edifícios. Lisboa, 2012. Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia Civil - Perfil de Construção – Faculdade de Ciências e Tecnologia (Universidade Nova de Lisboa).

DIAS, L. J. B. S; JÚNIOR, J. D. M. N. CONTRIBUIÇÃO ÀS ANÁLISES AMBIENTAIS DA ILHA DO MARANHÃO. Ciências Humanas em Revista, São Luís, v. 3, n. 2, dez. 2005.

COUTINHO, A. S.; FARIA, N. V. F. Pigmento natural: confeccionando sua própria tinta. Juiz de Fora: Colégio de Aplicação João XXIII, 2010. Disponível em: < http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=26280>. Acesso em: 15 abr. 2012.

Tintas ecológicas. Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2012.

ARAÚJO, M. A. O que é Construção Sustentável? Portal do Voluntário. Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2012.

CUNHA, A. O. O ESTUDO DA TINTA/TEXTURA COMO REVESTIMENTO EXTERNO EM SUBSTRATO DE ARGAMASSA. Belo Horizonte, MG: UFMG, 2011. Originalmente apresentada como monografia ao Curso de Especialização em Construção Civil da Escola de Engenharia UFMG, 2011.

SANTOS, Julmar Conceição; GOMES, Tiago Marvila; SAMPAIO, Victor Gomes. ASPECTOS GERAIS SOBRE A FABRICAÇÃO DE TINTAS E REVESTIMENTOS. Alegre, ES. Disponível em: . Acesso em: 19 set. 1998

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, NBR 12554. Tintas para edificações não Industriais - Terminologia. Rio de Janeiro, RJ: ABNT, 1993.

Vida Sustentável em Meio Ambiente. Aprenda a Fazer uma Cola Caseira e Ecológica. Disponível em: . Acesso em: 11 jun.2013.

Downloads

Publicado

09/02/2018

Como Citar

Sales, F. H. S., & Costa, T. O. (2018). TINTAS ECOLÓGICAS A PARTIR DE MINERAIS ENCONTRADOS NA COSTA MARANHENSE. HOLOS, 1, 16–29. https://doi.org/10.15628/holos.2018.4440

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)