O PROGRAMA RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA: DIALÉTICA ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2020.9545

Palavras-chave:

Residência Pedagógica, Educação Física, Docência, Formação de Professores

Resumo

A formação inicial docente tem sido pauta das discussões como cenário multifacetado com necessidades de uma interlocução centrada na realidade cultural, social e econômica da escola. Assim, no ano de 2018, na busca pela efetivação de uma práxis pedagógica com vistas a consolidar o processo formativo, o governo federal lança o Programa de Residência Pedagógica (RP), com o intuito de aperfeiçoar a formação discente e fortalecer o vínculo entre IES e escola. Neste ano, o curso de licenciatura em Educação Física da Universidade Estadual de Maringá é contemplado com 24 bolsas direcionadas a acadêmicos, 3 professores preceptores e 1 orientador de área. Findado a experiência de 18 meses do edital, o presente trabalho objetivou analisar as contribuições do RP no processo formativo em Educação Física a partir dos relatos dos  residentes. Para tanto, sustentamo-nos na pesquisa do tipo qualitativo, de análise documental, cujo tratamento dos dados se deu a partir dos pressupostos da análise de conteúdo. As Categorias de intepretação emergidas foram: (a) as dificuldades encontradas pelos residentes; (b) facilidades da prática pedagógica para a implementação do RP pelos residentes; (c) percepção dos residentes quanto aos benefícios gerados pelo projeto. Os resultados indicaram um sentimento de satisfação por parte dos residentes durante a realização do projeto; e destacando as contribuições do Programa para a viabilização de uma práxis pedagógica formativa no contexto IES e escola, por meio da imersão dos  futuros professores na realidade do ambiente educacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Jorge Henrique de Lima Monteiro, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Licenciado em Educação Física - UEM

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Educação - UEM

Leonardo Cordeiro de Queiroz, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Licenciado em Educação Física - UEM

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Educação - UEM

Ana Luíza Barbosa Anversa, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Doutora em Educação Física pelo programa de pós graduação associado em educação física. Professora do Departamento de Educação Física do Centro Universitário Metropolitano de Maringá e da Universidade Estadual de Maringá.

Vânia de Fátima Matias de Souza, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá; Professora Adjunta do Departamento de Educação Física da Universidade Estadual de Maringá. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá.

Referências

Anversa, A. L. B. (2017). Estágio Curricular e a constituição da Identidade Profissional do bacharel em Educação Física. 2017. Tese de Doutorado, Programa de Pós Graduação em Educação Física, Centro de Ciências da Saúde, Universidade Estadual de Maringá. Maringá, Brasil.

Aquino, J. G. (1996). A desordem na relação professor-aluno: indisciplina, moralidade e conhecimento. In Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus.

Barreta, R. Z. (2008) O estágio supervisionado na formação de professores em cursos de pedagogia. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós Graduação em Educação, Universidade do Oeste de Santa Catarina. Joaçaba, Brasil.

Brasil. (2018) Edital Capes 06/2018. Disponível em https://www.capes.gov.br/images/stories/download/editais/01032018-Edital-6-2018. Acesso em 04 de fevereiro de 2020.

Caimi, F. E. (2008) Aprendendo a ser professor de História. Passo Fundo: Editora da Universidade de Passo Fundo.

Dubar, D. A. A. (2012) Construção de si pela atividade de trabalho: a socialização profissional. Cadernos de Pesquisa, 42(146), 351-367.

Flores, P. P. (2018) O processo de identização docente durante o estágio curricular supervisionado: em jogo no campo da Educação Física. Tese de Doutorado, Programa de Pós Graduação em Educação Física, Departamento de Educação Física, Universidade Estadual de Maringá. Maringá, Brasil.

Fontana, M. J. & Fávero, A. A. (2013) Professor reflexivo: uma integração entre teoria e prática. Revista de Educação do IDEAU, 8(17), 1-15.

Galinha, S. & Francisco, C. M. (2014) O stresse do aluno estagiário. Egitania Sciencia, 47-60.

Gandin, D. (1994) Planejamento como Prática Educativa. São Paulo: Loyola.

Gatti, B. A. (2016) Formação de professores: condições e problemas atuais. Revista Internacional de Formação de Professores, 1(2), 161-171.

Gil, A. C. (1991) Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Libâneo, J. C. (2001) Organização e gestão da escola: teoria e prática. Goiânia: Alternativa.

Lima, L. G. S. C. & Damasceno, T. T. S. (2018) Análise da realidade escolar como forma de direcionar ações do Programa Residência Pedagógica [Resumo]. In: Congresso Internacional de Política Educacional e Emancipação (Eds) As relações entre Estado, Sociedade e Educação, (p. 279). Fortaleza, Brasil.

Machado, L. V. & Castro, A. (2019) Uma experiência do Programa Residência Pedagógica com a abordagem da teoria das inteligências múltiplas. Seminário de Integração e Socialização de Pesquisas e Práxis Pedagógica em Matemática, 1, 1-4.

Matos, T. S. & Nista-Piccolo, V. L. & Borges, M. C. (2016) Formação de professores de educação física: identidade profissional docente. Conhecimento & Diversidade, 8(15), 47-59.

Minayo, M. C. S. (1992) O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: HUCITEC/ABRASCO.

Moreira, M. A. (2012) Aprendizagem significativa: a teoria e textos complementares. São Paulo: Livraria da Física.

Nascimento, K. A & Silva, E. W. L. (2019) As principais dificuldades do estágio supervisionado no curso de licenciatura em computação e a sua relação com a formação docente. Brazilian Journal of Development. 5(12).

Pimenta, S. G. & Lima, M. S. L. (2012) Estágio e docência. São Paulo: Cortez.

Pimenta, S. G. (2017) Os cursos de licenciatura em pedagogia: fragilidades na formação inicial do professor polivalente. Educação e Pesquisa, São Paulo, 43(1), 15-30.

Rocha, A. C. & Pozzebon, M. C. L. (2013) Reflexões sobre a práxis: as vivências no estágio supervisionado em história. História & Ensino, 19(1), 71-98.

Sebastião, L. L. & Freire, E. S. (2009) A utilização de recursos materiais alternativos nas aulas de Educação Física: Um estudo de caso. Pensar a Prática, 12(3).

Silva Junior, A. P. (2016) Configurações e relações estabelecidas no Estágio Curricular Supervisionado na formação inicial de professores de Educação Física. Tese de Doutorado, Programa de Pós Graduação em Educação Física, Departamento de Educação Física, Universidade Estadual de Maringá. Maringá, Brasil.

Silva, M. & Ferreira, A. & Jesus, I. &Alencar, G. & Araújo, V. (2019, outubro). Consciência fonológica: articulação entre teoria e prática por meio do programa residência pedagógica. Trabalho apresentado no III Encontro das Licenciaturas Região Sul, Curitiba, Brasil.

Soler, R. (2003) Educação Física escolar. Rio de Janeiro: Sprint.

Souza, A. G. & Freire, E. S. (2008) Planejamento participativo e Educação Física: envolvimento e opinião dos alunos do Ensino Médio. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, 7(3).

Tardif, M. (2002) Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes.

Teixeira, A. (1971) Educação não é privilégio. São Paulo: Companhia Editora Nacional.

Zeichner, K. (2010) Repensando as conexões entre a formação na universidade e as experiências de campo na formação de professores em faculdades e universidades. Educação, 35(3), 479-504.

Downloads

Publicado

2020-05-15

Como Citar

Monteiro, J. H. de L., Queiroz, L. C. de, Anversa, A. L. B., & Souza, V. de F. M. de. (2020). O PROGRAMA RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA: DIALÉTICA ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA. HOLOS, 3, 1–12. https://doi.org/10.15628/holos.2020.9545

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)