INDICADORES AMBIENTAIS PARA O INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2019.9205

Palavras-chave:

Indicadores ambientais, gestão hídrica, gestão energética, resíduos sólidos.

Resumo

O objetivo do trabalho é propor um conjunto de indicadores ambientais para mensurar a gestão hídrica e  energética e a gestão de resíduos sólidos para o ambiente organizacional com foco na área de ensino, no caso, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte. No contexto institucional no qual o trabalho se insere, considera-se que esse esforço propiciará a instituição envolvida a implementação de uma ferramenta adequada para a mensuração da dimensão ambiental dos eixos estabelecidos, dispondo assim de competências necessárias para abordar, melhorar, instigar o tema da preservação dos recursos naturais. Destacam-se como resultados: um conjunto consistente de indicadores de resultados para mensuração das variáveis propostas, visando a efetiva implementação e melhoria contínua no processo de acompanhamento do desempenho ambiental da Instituição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Maria Valiene Gomes Oliveira, IFRN

Mestre em Ciências  Ambientais do PPgURN - IFRN

Gerda Lúcia Pinheiro Camelo, IFRN

Graduada em Ciências Contábeis; Graduada em Administração de Empresas, Mestre em Gestão e Políticas Públicas, Doutora em Recursos Naturais

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO 14.031. Gestão ambiental – avaliação de desempenho ambiental - diretrizes. Primeira ed. Rio de Janeiro, 2004.

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DAS FUNDAÇÕES EDUCACIONAIS. Como atuam as comunitárias. Disponível em: < http://www.universidadecomunitaria.com.br>. Acesso em: 12 set. 2015.

AGENCIA NACIONAL DE ÁGUAS. Cadernos de recursos hídricos. Disponibilidade e demandas. Brasília, 2005. Disponível em: <http://www2.ana.gov.br/Paginas/servicos/planejamento/estudos/cadernoderecursos.aspx>. Acesso em: 26 maio 2017.

ASSOCIATION OF UNIVERSITY LEADERS FOR A SUSTAINABLE FUTURE. The talloires declaration, 1990. Disponível em: <http://ulsf.org/programs_talloires.html>. Acesso em: 16 jan. 2016.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Instituto de Energia e Meio Ambiente. Brasília, 2013. Disponível em:< http://www.mma.gov.br/port/conama/processos/C1CB3034/Apres_IEMA_Zamboni.pdf>. Acesso em: 23 out. 2015.

_______. Ministério do Meio Ambiente. Painel nacional de indicadores ambientais. Brasília, DF, 29 jan. 2013. Disponível em:<http://www.mma.gov.br/publicacoes/pnia>. Acesso em: 24 mai. 2016.

_______. Ministério do Meio Ambiente. Plano de gestão de resíduos sólidos: manual de orientação. Brasília, DF, 2012. Disponível em:< http://www.mma.gov.br/estruturas/182/_arquivos/manual_de_residuos_solidos3003_182.pdf>. Acesso em: 24 mai. 2016.

_______. Ministério do Meio Ambiente. Proteção da atmosfera. Agenda 21 global. Capítulo 9. Brasília, DF, 2013. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/responsabilidade-socioambiental/agenda-21/agenda-21-global> Acesso em 09 set 2015.

______. Ministério do Meio Ambiente. Um recurso cada vez mais ameaçado. Brasília. Disponível em:< http://www.mma.gov.br/images/noticias_arquivos/banner_pnia_2012.pdf>. Acesso em: 26 mai. 2017.

_______. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Indicadores de Programas: guia metodológico/Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos. Brasília, DF, 6 mar. 2010. Disponível em:<http://www.orcamentofederal.gov.br/programa-esplanada-sustentavel/sispes>. Acesso em: 24 mai. 2016.

_______. DECRETO Nº 5.940, de 25 de outubro de 2006. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Decreto/D5940.htm.

CENTRO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO. Indicadores de desempenho ambiental das indústrias. São Paulo, 2011. Disponível em:< http://www.ciesp.com.br/pesquisas/indicadores-de-desempenho-ambiental-na-industria/>. Acesso em: 16 fev. 2016.

CONSELHO EMPRESARIAL BRASILEIRO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. Energia renovável: entraves, desafios e oportunidades. Rio de Janeiro: 2016. Disponível em:<http://cebds.org/wp-content/uploads/2016/05/CEBDS_SUM_FINANCIAMENTO_A_ENERGIA_RENOV%C3%81VEL-entraves_desafios_oportunidades_SITE.pdf>. Acesso em: 26 maio 2017.

DI CARLI, A, A. Água é vida eu cuido, eu poupo: para um futuro sem crise. Primeira ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2015.

GASPARINI, L. V. L. Analise das interelações de indicadores econômicos, ambientais e sociais para o desenvolvimento sustentável. 2003. 221 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção), Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003.

_______. Como elaborar programas de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas. São Paulo, v. 35, n. 2, abril,1995.

INSTITUTO ETHOS. Indicadores ethos de responsabilidade social empresarial 2007. São Paulo, 2007. Disponível em:< http://www3.ethos.org.br>. Acesso em: 14 nov. 2015.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Política socioambiental. 2015. Disponível em:< http://portal.ifrn.edu.br/servidores/campus-verde/politica-socioambiental-do-ifrn>. Acesso em: 14 nov. 2015.

JARDIM, W. F. Qualidade da água consumida pelos brasileiros. Oficina do eixo meio ambiente, clima e vulnerabilidades. São Paulo, Unicamp: 2013. Disponível em: <http://www.mobilizadores.org.br/wp-content/uploads/2014/05/cartilha-agua-final.pdf>. Acesso em: 26 maio 2017.

NAIME, R. Diagnóstico ambiental e sistemas de gestão ambiental. 6. ed. Novo Hamburgo, RS: FEEVALE, 2004.

OLIVEIRA, L. H. Metodologia para a implantação de programa de uso racional da água em edifícios. Boletim Técnico da Escola Politécnica da USP, Departamento de Engenharia de Construção Civil, BT/PCC/227. São Paulo: EPUSP, 1999.

RATTNER, H. O esgotamento dos recursos naturais: catástrofe interdependência? Revista de Administração de Empresas. Rev. Adm. Empres. v.17 n.2, São Paulo Mar./Abr. 1977. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-75901977000200002>. Acesso em: 29 fev. 2016.

REPORT CARD. PENN STATE GREEN DESTINY COUNCIL. Pena State Indicators Report 2000. Steps towar a sustainable university. Disponível em< http://www.willamette.edu/~nboyce/assessment/PennState.pdf>. Acesso em: 9 maio 2016.

PHILIPPI JR., A.; BRUNA, G. C. Curso de gestão ambiental. 2. ed. atual e ampl. São Paulo: Manole, 2014.

TAUK, S. M. Análise ambiental: uma visão multidisciplinar. São Paulo: Editora Universidade Estadual Paulista: FAPESP; SRT; FUNDUNESP, 1991.

THE COLLEGE SUSTAINABILITY REPORT CARD. Explore the report card. Disponível em: < 2011https://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http://www.greenreportcard.org/report-card-2011.html&prev=search>. Acesso em: 16 jan. 2016.

TOCCHETTO, M. R. L.; TOCCHETTO A. L.; PEREIRA, L. C. Indicadores de desempenho ambiental para empresas com atividade galvânica. In: Congresso acadêmico sobre o meio ambiente e desenvolvimento, 2004, Rio de Janeiro. Anais..., Rio de Janeiro, 2004.

TUCCI, C. E. M.; SILVEIRA, A. L. L. et al. Hidrologia: ciência e aplicação. 3. ed. 1. reimp, Porto Alegre: Ed. da UFRGS/ABRH, 2003.

UNCED. UNITED NATIONS CONFERENCE ON ENVIRONMENT AND DEVELOPMENT. Agenda 21. Rio de Janeiro, 1992. Disponível em: < http://www.meioambiente.pr.gov.br/arquivos/File/agenda21/Agenda_21_Global_Integra.pdf >. Acesso em: 29 fev. 2016.

VAN BELLEN, H. M. Indicadores de sustentabilidade: uma análise comparativa. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

VERGARA, S.C. Metodologia do trabalho científico. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

Downloads

Publicado

24/12/2019

Como Citar

Oliveira, M. V. G., & Camelo, G. L. P. (2019). INDICADORES AMBIENTAIS PARA O INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. HOLOS, 8, 1–15. https://doi.org/10.15628/holos.2019.9205

Edição

Seção

DOSSIÊ

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.