REDIMENSIONAMENTO DO SISTEMA DE RESFRIAMENTO DA FERMENTAÇÃO PARA ELEVAÇÃO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO DE ETANOL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2019.8374

Palavras-chave:

balanço de energia, fermentação alcoólica, trocadores de calor de placas

Resumo

O Brasil é um dos maiores produtores de cana-de-açúcar do mundo, produzindo através dela mais de 37 milhões de toneladas de açúcar e 27 bilhões de litros de etanol. Atualmente há uma elevação na demanda do consumo de etanol combustível, especialmente em função da variação do preço do petróleo no mercado internacional e o caráter renovável desta fonte de energia. Este trabalho tem como objetivo elevar a produção de etanol a partir do redimensionamento do sistema de resfriamento da fermentação de uma planta industrial, para tal feito foi necessário realizar um balanço de energia do sistema de arrefecimento da fermentação, em sua antiga configuração, e redistribuir as placas para atender a necessidade de absorção de calor do primeiro e segundo estágios. Outro ponto importante foi a ampliação do segundo estágio, aumentando o tempo de residência do mosto fermentado. As modificações implementadas geraram um aumento de produtividade da planta mensurados através da quantidade de cana de açúcar destinada a produção de etanol que dobrou em relação a safra anterior, a quantidade de vinho produzido que foi 36% maior, a elevação de 0,9% na quantidade de açúcares redutores totais (ART) presentes na alimentação, o que elevou em 6% o teor alcoólico do vinho, proporcionando uma produção 52% maior no período estudado, mantendo a temperatura da fermentação na faixa ótima de trabalho da levedura. Estes resultados evidenciam a elevação na produtividade do sistema e ainda proporcionou uma redução no custo de manutenção através da redução do número de trocadores de calor e bombas em operação na planta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

José Eduardo de Matos Paz, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Formado em Engenharia Química pela universidade de Federal da Paraíba, é mestrando do programa de Pós-graduação em Engenharia Química  PPGEQ/DEQ/UFPB. Está desenvolvendo sua dissertação na área de produção de álcool anidro. Atualmente é contratado como Engenheiro químico na Usina Central Olho D`água.

Alfredo Ismael Curbelo Garnica, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Formado em Engenharia Química pela universidade de Marta Abreu/VC/Cuba, fez mestrado e doutorado em Engenharia Química no PPGEQ/DEQ/UFRN. Atualmente é Professor associado III do Departamento de Engenharia Química/DEQ/UFPB y trabalha em pesquisas na área de petróleo com ênfase em fluidos de perfuração, colchões lavadores, lubrificantes e tratamento de efluentes de esta indústria. Também trabalha no projeto de equipamentos visando principalmente as operações de  destilação, absorção, adsorção e extração líquido-líquido. Possui artigos e patentes depositadas nas áreas de atuação mencionadas anteriormente.

Fabíola Dias da Silva Curbelo, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Formada em Engenharia Química pela universidade de Federal do Rio Grande do Norte, fez mestrado e doutorado em Engenharia Química no PPGEQ/DEQ/UFRN. Atualmente é Professora associado I do Departamento de Engenharia Química/DEQ/UFPB y trabalha em pesquisas na área de petróleo com ênfase em fluidos de perfuração, colchões lavadores, lubrificantes e tratamento de efluentes de esta indústria. Também trabalha no projeto de equipamentos visando principalmente as operações de destilação, absorção, adsorção e extração líquido-líquido. Possui artigos e patentes depositadas nas áreas de atuação mencionadas anteriormente.

Referências

Caldas, C. (1998). Manual de Análises Selecionadas Para Indústrias Sucroalcooleiras.1.ed. Maceió: STAB, 424 p.

Canedo, E. L. (2010). Fenômenos de Transporte. 1.ed. Rio de Janeiro: LTC, 536 p.

Companhia Nacional De Abastecimento (CONAB). (2018). Acompanhamento da Safra Brasileira de Cana-de-açúcar – Safra 2018/2019 – Segundo levantamento. Disponível em: <https://www.conab.gov.br/info-agro/safras/cana> . Acesso em: 7 de novembro de 2018.

Cunha, A., Missawa, L. G.; Reis, S. F.; Pereira, G. (2006). Control by sugar of Saccharomyces cerevisiae focculation for industrial ethanol production. FEMS YEAST RESEARCH, v. 6, p. 208-287.

Dryden Aqua. Scotland. Plate Heat Exchanger Operating & Instruction Manual. Disponível em: <http://www.drydenaqua.com/heating_cooling/>. Acesso em: 25 de outubro de 2018.

Gut, J. A. W. (2003). Configurações ótimas para trocadores de calor a placas. 2003. p.244. Tese (Doutorado em Engenharia Química) – Departamento de Engenharia Química. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. São Paulo.

Hewitt, G. F.; Shires, G. L.; Bott, T. R. (1994). Process Heat Transfer. Boca Raton: CRC Press.

Incropera, F. P.; Dewitt, D. P. 9 (2008). Fundamentos de transferência de calor e de massa. 6.ed. Rio de Janeiro: LTC, 643 p.

Kakaç, S.; Liu, H. (2002) Heat Exchangers: Selection, Rating and Thermal Design. 2.ed. Boca Raton: CRC Press.

Leão, R. M.; Amorim, H. V. (2005). Fermentação Alcoólica: ciência e tecnologia. 1.ed. Piracicaba: Fermentec, 448 p.

Manoel, A. A. S.; Moraes, M. B. Da C.; Santos, D. F. L.; Neves, M. F. (2017). Determinants of corporate cash holdings in times of crisis: insights from Brazilian sugarcane industry private firms. International Food and Agrobusiness Management Review, v.21. n.2. p. 1-18.

Rein, P. (2013). Engenharia do açúcar de cana. 1.ed. Berlim: Bartens, 878 p.

Souza, P. J.; Prado C. D.; Eleutherio, E. C.; Bonatto, D.; Malavazi, I.; Cunha, A. F. (2018). Improvement of Brazilian bioethanol production – challenges and perspectives on the identification and genetic modification of new strains of Saccharomyces cerevisiae yeasts isolated during ethanol process. Fungal Biology, v. 122, n. 6, p. 583-591.

Techaparin, A.; Thanonkeo, P.; Klanrit, P. (2017). High-temperature ethanol production using thermotolerant yeast newly isolated from Greater Mekong Subregion. Brazilian journal of Microbiology, v. 48, n. 3, p. 461-475.

Wang, P.; Zheng, D.; Chi, X.; Li, O.; Qian, C.; Liu, T.; Zhang, X.; Du, F.; Sun, P.; Qu,A.; Wu, X. (2014). Relationship of trehalose accumulation with ethanol fermentation in industrial Saccharomyces cerevisiae yeast strains. Bioresource Technology, v. 152, p. 371-376.

Zabed, H.; Faruq, G.; Sahu, J. N.; Azirun, M. S.; Hashim, R..; Boyce, A. N. (2014). Bioethanol Production from Fermentable Sugar Juice

Downloads

Publicado

24/12/2019

Como Citar

de Matos Paz, J. E., Curbelo Garnica, A. I., & Curbelo, F. D. da S. (2019). REDIMENSIONAMENTO DO SISTEMA DE RESFRIAMENTO DA FERMENTAÇÃO PARA ELEVAÇÃO DA CAPACIDADE DE PRODUÇÃO DE ETANOL. HOLOS, 4, 1–19. https://doi.org/10.15628/holos.2019.8374

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)