PERSPECTIVAS DE INSERÇÃO DA ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA NA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO RIO GRANDE DO NORTE

Autores

  • Augusto César Fialho Wanderley IFRN-Professor
  • Antonio Luiz P. Siqueira Campos Departamento de Engenharia Elétrica - UFRN

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2013.1493

Resumo

A geração de energia elétrica no Brasil é predominantemente renovável, com a geração interna hidráulica sendo superior a 74% do total de sua matriz energética. O racionamento de energia elétrica ocorrido em 2001, devido à falta de chuvas, levou o país a incrementar a participação de fontes alternativas de energia. Esta necessidade por novas fontes de energia faz com que as potencialidades regionais sejam aproveitadas, o que configura a mudança do modelo de geração, passando de geração centralizada para geração distribuída. Dentre as fontes alternativas de energia, a solar apresenta-se como uma fonte bastante promissora para o Brasil, tendo em vista que a maior parte do seu território está localizada próximo à linha do equador, o que acarreta em um dia de maior duração solar. O Rio Grande do Norte (RN) tem um dos maiores índices de incidência solar do território brasileiro, o que o torna apto a receber investimentos para a instalação de usinas solares fotovoltaicas. Este artigo analisará o potencial de geração da energia solar fotovoltaica no RN através de medições solarimétricas realizadas em Natal, capital do estado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Antonio Luiz P. Siqueira Campos, Departamento de Engenharia Elétrica - UFRN

Prof do Depto de Eng Elétrica da UFRN Programa de Pós-Graduação em Eng Elétrica Pesquisador de Produtividade do CNPq

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA (BRASIL). Atlas de energia elétrica do Brasil. 3. ed. Brasília: ANEEL, 2008. Disponível em: <http://www.aneel.gov.br/visualizar_texto.cfm?idtxt=1689>. Acesso em: 14 fev. 2013.

CENTRO DE PESQUISAS DE ENERGIA ELÉTRICA. CENTRO DE REFERÊNCIA PARA ENERGIA SOLAR E EÓLICA SÉRGIO DE SALVO BRITO. Manual de engenharia para sistemas fotovoltaicos. Rio de Janeiro: CRESESB, 2004. Disponível em: < http://www.cresesb.cepel.br/publicacoes/download/Manual_de_Engenharia_FV_2004.pdf >. Acesso em: 10 mar. 2013.

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA. EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA (BRASIL). Plano Nacional de Energia 2030. Brasília: MME: EPE, 2007. Disponível em: < http://www.mme.gov.br/mme/galerias/arquivos/publicacoes/pne_2030/PlanoNacionalDeEnergia2030.pdf >. Acesso em: 18 mar. 2013.

RODRIGUES, Délcio; MATAJS Roberto. Um banho de sol para o Brasil: o que os aquecedores solares podem fazer pelo meio ambiente e a sociedade. São Lourenço da Serra: Vitae Civilis, 2005.

EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA (BRASIL). Balanço Energético Nacional 2012: Ano base 2011. Rio de Janeiro: EPE, 2012. <https://ben.epe.gov.br/downloads/Relatorio_Final_BEN_2012.pdf>. Acesso em: 15 fev. 2013.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA (BRASIL). Banco de Informações de Geração. Disponível em: < http://www.aneel.gov.br/aplicacoes/capacidadebrasil/operacaocapacidadebrasil.asp >. Acesso em: 01 jun. 2013.

WINROCK INTERNATIONAL – BRAZIL, 2002. Trade guide on renewable energy in Brazil. October 2002.

VARELLA, F., CAVALIERO, C., SILVA, E.. REGULATORY INCENTIVES TO PROMOTE THE USE OF PHOTOVOLTAIC SYSTEMS IN BRAZIL. HOLOS - ISSN 1807-1600, Natal, 3, jun. 2012. Disponível em: <http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/883>. Acesso em: 08 out. 2012.

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA (BRASIL). Estudo e propostas de utilização de geração fotovoltaica conectada à rede, em particular em edificações urbanas. Brasília: MME, 2009.

CENTRO DE PESQUISAS DE ENERGIA ELÉTRICA. CENTRO DE REFERÊNCIA PARA ENERGIA SOLAR E EÓLICA SÉRGIO DE SALVO BRITO. Disponível em: <http://cresesb.cepel.br/content.php?cid=381>. Acesso em: 02 jun. 2013.

SILVA, Selênio Rocha. EEE024 – Fundamentos em fontes alternativas de energia. Disponível em: <http://www.cpdee.ufmg.br/~selenios/Geracao/EEE024-2013_3.pdf>. Acesso em: 02 jun. 2013.

EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA (BRASIL). Análise da inserção da geração solar na matriz elétrica brasileira. Rio de Janeiro: EPE, 2012. Disponível em: < http://www.epe.gov.br/geracao/Documents/Estudos_23/NT_EnergiaSolar_2012.pdf >. Acesso em: 22 jun. 2012.

VIEIRA, Leonardo. Eletricidade solar: visão do CEPEL. Workshop sobre usinas solares termelétricas. Recife, 2010.

PEREIRA, Enicio Bueno; MARTINS, F.R.; ABREU, S. L.; RUTHER, R. Atlas brasileiro de energia solar. São José dos Campos: INPE, 2006. Disponível em: < http://mtc-m17.sid.inpe.br/col/sid.inpe.br/mtc-m17@80/2007/05.04.14.11/doc/atlas_solar-reduced.pdf >.

LODI, Cristiane. Perspectivas para a geração de energia elétrica no Brasil utilizando a tecnologia solar térmica concentrada. 2011. 127 p. Dissertação (Mestrado em Planejamento Energético)- UFRJ/COPPE, Rio de Janeiro, 2011.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS. SISTEMA DE ORGANIZAÇÃO NACIONAL DE DADOS AMBIENTAIS (REDE SONDA). Disponível em: <http://sonda.ccst.inpe.br/>. Acesso em: 18 mar. 2013.

MEDEIROS, Elvis Néris de. Relatório Final de Estágio. Natal, 2012.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA (BRASIL). P&D 013/2011 - Arranjos Técnicos e Comerciais para Inserção da Geração Solar Fotovoltaica na Matriz Energética Brasileira. Disponível em: < http://www.aneel.gov.br/arquivos/PDF/P&D_Est_013-2011-r2.pdf >. Acesso em: 30 abr. 2013.

__________. Resolução normativa nº 481. Disponível em: <http://www.aneel.gov.br/cedoc/ren2012481.pdf>. Acesso em: 20 maio. 2013.

__________. Resolução normativa nº 482. Disponível em: <http://www.aneel.gov.br/cedoc/bren2012482.pdf>. Acesso em: 20 maio. 2013.

__________. Resolução normativa nº 493. Disponível em: < http://www.aneel.gov.br/cedoc/ren2012493.pdf >. Acesso em: 20 maio. 2013.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Normas técnicas. Disponível em: <http://www.abnt.org.br/>. Acesso em: 20 maio. 2013.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA ELÉTRICA E ELETRÔNICA. Propostas para inserção da energia solar fotovoltaica na matriz elétrica brasileira. São Paulo: ABINEE, 2012. Disponível em: < http://www.abinee.org.br/informac/arquivos/profotov.pdf >. Acesso em: 30 jul. 2012.

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA. EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA (BRASIL). Plano Decenal de expansão de energia 2021. Brasília: MME: EPE, 2012. Disponível em: <http://www.epe.gov.br/PDEE/20130326_1.pdf>. Acesso em: 15 fev. 2013.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. INSTITUTO PARA O DESENVOLVIMENTO DAS ENERGIAS ALTERNATIVAS NA AMÉRICA LATINA. Relatório estádios solares: opção sustentável para a copa 2014 no Brasil. 2004. Disponível em: <http://www.americadosol.org/wp-content/uploads/2010/08/Estadios-Solares-UFSC-e-Ideal-GTZ-20100501.pdf>. Acesso em: 10 jan. 2013.

ENERGIA solar já é economicamente viável para 15% dos lares brasileiros. Portal Brasil. Brasília, 03 jul. 2012. Disponível em: < http://www.brasil.gov.br/noticias/arquivos/2012/07/03/energia-solar-ja-e-economicamente-viavel-para-15-dos-lares-brasileiros-diz-epe >. Acesso em: 20 ago. 2012.

SUNEDISON e petrobras assinam acordo para construir uma das maiores usinas fotovoltaicas do Brasil. Portal Sunedison. São Paulo, 16 mar 2013. Disponível em: < http://www.sunedison.com.br/info/imprensa/sunedison-petrobras-usinas-fotovoltaicas-brasil.html >. Acesso em: 08 abr. 2013.

RIO Grande do Norte prepara licitação para atlas solarimétrico. Portal Jornal da Energia. São Paulo, 24 maio 2013. Disponível em: < http://www.jornaldaenergia.com.br/ler_noticia.php?id_noticia=13589&id_tipo=3&id_secao=8&id_pai=2 >. Acesso em: 25 maio. 2013.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA ELÉTRICA E ELETRÔNICA. Energia fotovoltaica. Disponível em: < http://gsfotovoltaico.com.br/?page_id=66 >. Acesso em: 02 jun. 2013.

Downloads

Publicado

2013-08-02

Como Citar

Fialho Wanderley, A. C., & Campos, A. L. P. S. (2013). PERSPECTIVAS DE INSERÇÃO DA ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA NA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO RIO GRANDE DO NORTE. HOLOS, 3, 3–14. https://doi.org/10.15628/holos.2013.1493

Edição

Seção

ARTIGOS