PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DAS VÍTIMAS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO ATENDIDAS NUM SERVIÇO PÚBLICO DE EMERGÊNCIA DA REGIÃO METROPOLITANA DE NATAL/RN

Autores

  • Wilma Maria da Costa Medeiros Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Cristiana Horta Galvão Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Inez Sigma Cunacia Guedes Autônoma
  • Márcia Rique Carício Universidade Federal da Paraíba
  • Éster Maria Fernandes de Macedo Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel
  • Luciana Melo Ribeiro Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel e Hospital Universitário Onofre Lopes

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2017.4876

Palavras-chave:

Acidentes de Trânsito, Ferimentos e Lesões, Serviços de Saúde

Resumo

Devido à frequência de ocorrência e gravidade, os acidentes de trânsito são caracterizados como epidemias para as sociedades atuais e entram na agenda da saúde pública como morbimortalidades por causas externas, acarretando uma série de prejuízos individuais e sociais, como também, elevados custos ao sistema de saúde e ocorrências de sequelas temporárias ou permanentes, até invalidez e óbito. Dada a relevância do tema, este trabalho tem como objetivo descrever o perfil dos pacientes vítimas de acidente de trânsito atendidos no serviço de urgência e emergência do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, um hospital de referência na cidade de Natal, Brasil. Trata-se de um estudo transversal, incluindo 10.377 pacientes vítimas de acidente de trânsito, atendidos no período de 1 de janeiro a 31 de dezembro de 2014. Os resultados indicam que a maioria das vítimas era do sexo masculino (76,7%); as motocicletas são o tipo de veículo mais envolvido em acidentes (74,2%) e a faixa etária com maior incidência foi a de 21 a 30 anos (33,93%). Os principais diagnósticos foram: escoriação e corte (25,5%); contusão, entorse e luxação (23%); fraturas (21,1%); trauma crânio-encefálico (13,9%) e politraumatismo (8,8%). Os resultados estão de acordo com outros estudos da literatura nacional. Como conclusão geral, há a necessidade de aplicação urgente de ações preventivas e de controle voltadas, principalmente, aos jovens do sexo masculino condutores de motocicletas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Wilma Maria da Costa Medeiros, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Possui graduação em Processamento de Dados pela UnP (1995), mestrado em Engenharia Elétrica e de Computação pela UFRN (2009) e no momento é aluna do doutorado em Saúde Coletiva - PPSCol/UFRN. Atualmente é professora da Escola de Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Possui experiência nas áreas de Ciência da Computação, Informática em Saúde e Sistemas de Informação em Saúde.

Cristiana Horta Galvão, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Possui Graduação em Gestão Hospitalar pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2015). Participou do projeto de extensão, intitulado "Gestão da Informação em Saúde no Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel", como bolsista no período de 02/03/2015 a 19/12/2015.

Inez Sigma Cunacia Guedes, Autônoma

Psicóloga Clínica, com formação em psicomotricidade pela USF/SP. Especialista em Neuroreabilitação, pela UFRN.

Márcia Rique Carício, Universidade Federal da Paraíba

Professora do Ensino Básico,Técnico e Tecnológico da Universidade Federal da Paraíba, Doutora em Educação pela Universidade Federal da Paraíba, Mestre em Enfermagem na linha de pesquisa em Saúde Coletiva no Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFPB (2010), Sanitarista, Especialista em Gestão de Serviços de Saúde, Obstetrícia, Saúde da Família e Saúde Coletiva. Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal da Paraíba (1989). Membro do Grupo de Pesquisa em Educação e Emocionalidade. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Saúde Coletiva, Gestão de Serviços de Saúde, Terapia Comunitária, Processo de trabalho em Saúde, Política de Saúde e SUS.

Éster Maria Fernandes de Macedo, Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel

Possui graduação em curso de Enfermagem e Obstetrícia pela UFRN do RN (1986), especialista em Epidemiologia Hospitalar (2004). Atualmente é servidora do HMWG, exercendo cargo de Coordenadora do Núcleo de Vigilância em Saúde desde 2011.

Luciana Melo Ribeiro, Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel e Hospital Universitário Onofre Lopes

Possui graduação em curso de Enfermagem e Obstetrícia pela UFRN do RN (1992), especialista em Educação Profissional (2004), Especialista em Vigilância Epidemiológica das Doenças Transmissíveis pela UFRN e UFRJ (2008) e Mestrado em Enfermagem pela UFRN (2010). Atualmente é servidora do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel (HMWG) e Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), exercendo atividades principalmente no seguinte tema: vigilância epidemiológica hospitalar.

Referências

Amorim, C.R.; Araújo, E.M.; Araújo, T.M.; Oliveira, N.F. (2012). Acidentes de trabalho com mototaxistas. Rev Bras Epidemiol. v.15, n.1, p.25-27.

Bacchieri, G; Barros, A.J.D. (2011). Acidentes de trânsito no Brasil de 1998-2010: muitas mudanças e poucos resultados. Rev. Saúde Pública; v.45, p.949-63.

Bastos, Y.G.L.; Andrade, S.M.; Soares, D.A. (2005). Características dos acidentes de trânsito e das vítimas atendidas em serviço pré-hospitalar em cidade do Sul do Brasil, 1997/2000. Cad. Saúde Pública. v.21, p.815-22.

Cabral, A.P.S., Souza, W.V.; Lima, M.L.C. (2011). Serviço de Atendimento Móvel de Urgência: um observatório dos acidentes de transportes terrestre em nível local. Rev Bras Epidemiol, v.14, n.1, p.3-14.

Caixeta, C.R.; Minamisava, R.; Oliveira, L.M.A.C.; Brasil, V.V. (2010). Morbidade por acidentes de transporte entre jovens de Goiânia, Goiás. Ciência & Saúde Coletiva, v.15, n.4, p.2075-2084.

Cavalcante, F.G.; Morita, P.A.; Haddad, S.R. (2009). Sequelas invisíveis dos acidentes de trânsito: o transtorno de estresse pós-traumático como problema de saúde pública. Cien Saúde Colet. v.14, n.5, p.1763-72.

Confederação Brasileira dos Municípios - CNM. (2009). Mapeamento das mortes por acidentes de trânsito no Brasil. Estudos Técnicos da Confederação Brasileira dos Municípios, Brasília.

Costa, M.J.C; Mangueira, J.O. (2014). Perfil epidemiológico de ocorrência no trânsito no Brasil – Revisão integrativa. SANRE, Sobral, v.13, n.2, p.110-116.

Debieux, P.; Chertman, C.; Mansur, N.S.; Dobashi, E.; Fernandes, H.J. (2010). Lesões do aparelho locomotor nos acidentes com motocicleta. Acta Ortop Bras. v.18, n.6, p.353-6.

Departamento de Informática do SUS - DATASUS, 2016. http://www.datasus.gov.br/cid10/V2008/WebHelp/v01_v99.htm.

Falconi Consultores de Resultados, Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV) e AMBEV S.A. (2014). Retrato da Segurança Viária no Brasil. São Paulo.

Farias, G.M.; Barros, W.C.T.S; Rocha, K.M.M. (2009). Caracterização dos Condutores de Motocicleta Vítimas de Acidentes de Trânsito Atendidos em Hospital de Urgência. Revista de Enfermagem da UFPE on line. v.3, n.4, p.898-907.

Gawryszewski, V.P.; Coelho, H.M.M.; Scarpelini, S.; ZAN, R.; Mello Jorge, M.H.P.; Rodrigues, S.E.M. (2009). Perfil dos atendimentos a acidentes de transporte terrestre por serviços de emergência em São Paulo. Rev Saúde Pública. v.43, n.2, p.275-82.

Governo do Rio Grande do Norte. (2016). Disponível em: http://www.walfredogurgel.rn.gov.br/Conteudo.asp?TRAN=ITEM&TARG=33384&ACT=&PAGE=0&PARM=&LBL=Institui%E7%E3o#sthash.PI2LPmxN.dpuf.

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - IPEA. (2006). Impactos sociais e econômicos dos acidentes de trânsito nas rodovias brasileiras. Brasília: IPEA/DENATRAN/ANTP.

Malta, D.C.; Andrade, S.S.C.A.; Gomes, N.; Silva, M.M.A.; Moraes Neto, O.L.; Reis, A.A.C.; Nardi, A.C.F. (2016). Lesões no trânsito e uso de equipamento de proteção na população brasileira, segundo estudo de base populacional. Ciência e Saúde Coletiva, v.21, n.2, p.399-409.

Mello Jorge, M.H.P. (2013). Acidentes de trânsito no Brasil: um atlas de sua distribuição. São Paulo: ABRAMET,

Minayo, M.C.S. (2007). Trajetória histórica de inclusão da violência na agenda do setor saúde. In: Minayo MCS, Deslandes SF, organizadoras. Análise diagnóstica da política nacional de saúde para redução de acidentes e violências. Rio de Janeiro: Fiocruz; p.17-29.

Ministério da Saúde. (2001). Política nacional de redução da morbimortalidade por acidentes e violências. Brasília: Ministério da Saúde.

Ministério da Saúde. Brasília. (2013). Acessado em junho de 2016. Disponível em: http://www.isaudebahia.com.br/noticias/detalhe/noticia/ministerio-da-saude-investe-no-atendimento-as-vitimas-de-trauma/.

Morais Neto, O.L.; Montenegro, M.M.S.; Monteiro, R.A.; Siqueira Júnior, J.B.; Silva, M.M.A.; Lima, C.M. et al. (2012). Mortalidade por acidentes de transporte terrestre no Brasil na última década: tendência e aglomerados de risco. Cien Saude Colet. v.17, n.9, p.2223-36.

Morais O. L. N.; Silva M. M. A.; Lima, C. M.; Malta, D. C.; Silva, J. R. J. B. et al. (2015). Vida no Trânsito Project: evaluation of the implementation in five Brazilian state capitals, 2011-2012. Epidemiol. Serv. Saúde. sep. 2013, vol.22, no.3, p.373-382. Disponível em: http://scielo.iec.pa.gov.br/pdf/ess/v22n3/v22n3a02.pdf.

Paixão, L.M.M.; Gontijo, E.D.; Mingot, S.A.; Costa, D.A.S.; Friche, A.A.L.; Caiaffa, W.T. (2015). Óbitos no trânsito urbano: qualificação da informação e caracterização de grupos vulneráveis. Cad. Saúde Pública, v.31, Sup1, S1:S15.

Parreira, J.G.; Gregorut, F.; Perlingeiro, J.A.G.; Solda, S.C.; Assef, J.C. (2012). Análise comparativa entre as lesões encontradas em motociclistas envolvidos em acidentes de trânsito e vítimas de outros mecanismos de trauma fechado. Rev Assoc Med Bras, v.58, n.1, p.76-81.

Prefeitura Municipal de Natal - PMN. (2016). http://www.natal.rn.gov.br/noticia/ntc-18251.html.

Reichenheim, M.E.; Souza, E.R.; Moraes, C.L.; Mello Jorge, M.H.P.; Silva, C.M.F.P. Minayo, M.C.S. (2011). Violência e lesões no Brasil: efeitos, avanços alcançados e desafios futuros. The Lancet, v.6736, n.11, p.75-89.

ROCHA, G.S.; SCHOR, N. Acidentes de motocicleta no município de Rio Branco: caracterização e tendências. Cien Saude Colet., v.18, n.3, p.721-31, 2013.

Rodrigues, R.I.; Cerqueira, D.R.C.; Lobão, W.J.A.; Carvalho, A.X.Y. (2009). Os custos da violência para o sistema público de saúde no Brasil: informações disponíveis e possibilidades de estimação. Cad. Saúde Pública, v.25, n.1, p.29-36.

Sado, M.J.; Morais, F.D.; Viana, F.P. (2009). Caracterização das vítimas por acidentes motociclísticos internadas no hospital de urgências de Goiânia. Revista Movimenta, v.2, n.2, p.49-53.

Santos, A.M.; Moura, M.E.; Nunes, B.M.; Leal, C.F.; Teles, J.B. (2008). Perfil das vítimas de trauma por acidente de moto atendidas em um serviço público de emergência. Caderno de Saúde Pública. V.24, n.8, p.1927-1938.

Soares, D.F.P.P.; Mathias, T.A.F.; Silva, D.W. (2011). Andrade, S.M. Motociclistas de entrega: algumas características dos acidentes de trânsito na região sul do Brasil. Rev Bras Epidemiol. v.14, n.3, p.433-444.

Souza, E.R.; Lima, M.L.C. Panorama da violência urbana no Brasil e suas capitais. (2007). Ciência e Saúde Coletiva, v.11, p.211-1222.

Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana - STTU. (2015). Anuário estatístico 2014: Acidentes de trânsito do município de Natal. Disponível em: http://www.mapadaviolencia.org.br/pdf2013/mapa2013_transito.pdf. Acesso em: 30/09/2015.

Tribuna do Norte. (2016). http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/custo-de-acidentes-supera-r-2-6-bi/350747.

Veronese, A.M.; Oliveira, D.L.L.C.; Shimitz, T.S.D. (2006). Caracterização de motociclistas internados no Hospital de Pronto-Socorro de Porto Alegre. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre (RS), v.27, n.3, p.379-85.

Veronese, A.M.; Oliveira, D.L.L.C. (2006). Os riscos dos acidentes de trânsito na perspectiva dos moto-boys: subsídios para promoção da saúde. Cad. Saúde Pública, v.22, n.12, p.2717-2721.

Waiselfisz, J.J. (2013). Mapa da violência – Acidentes de trânsito em motocicletas, Brasília, Unesco, Instituto Airton Senna.

World Health Organization - WHO. (2010). The UN tackles road safety. Geneva. Acessado em junho de 2016. Disponível em: http://www.who.int/mediacentre/news/notes/2010/traffic_injuries_media_20100303/en/.

Downloads

Publicado

21/12/2017

Como Citar

Medeiros, W. M. da C., Galvão, C. H., Guedes, I. S. C., Carício, M. R., Macedo, Éster M. F. de, & Ribeiro, L. M. (2017). PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DAS VÍTIMAS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO ATENDIDAS NUM SERVIÇO PÚBLICO DE EMERGÊNCIA DA REGIÃO METROPOLITANA DE NATAL/RN. HOLOS, 7, 213–224. https://doi.org/10.15628/holos.2017.4876

Edição

Seção

ARTIGOS