COOPERATIVAS AGROPECUÁRIAS E O DESAFIO DA SUCESSÃO NA AGRICULTURA FAMILIAR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2017.4210

Palavras-chave:

juventude rural, reprodução social, migração, assistência técnica

Resumo

O estudo visa analisar as contribuições das cooperativas agropecuárias sobre a sucessão nos estabelecimentos agropecuários familiares. Foi conduzido como estudo de casos amostrados através de critérios institucionais e geográficos, envolvendo oito cooperativas. Os dados foram coletados com entrevistas junto aos dirigentes e jovens rurais vinculados com as organizações. Também foram utilizadas fontes documentais. Esses dados foram submetidos à análise de conteúdo. Notou-se interesse das cooperativas agropecuárias sobre a sucessão, com o desenvolvimento de ações voltadas a condicionantes socioeconômicas significantes aos jovens rurais. Embora os resultados alcançados sejam tímidos, a contribuição das cooperativas agropecuárias mostrou-se relevante à sucessão na agricultura familiar. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Laila Mayara Drebes, Universidade Federal de Santa Maria

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Extensão Rural (PPGExR) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Bolsista CAPES.

Rosani Marisa Spanevello, Universidade Federal de Santa Maria - campus Palmeira das Missões

Professora Associada da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) - campus Palmeira das Missões.

Referências

Abramovay, R. (Org.). (1998). Juventude e agricultura familiar: desafios dos novos padrões sucessórios. Brasília: Unesco.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Bialoskorski Neto, S. (2007). Um ensaio sobre desempenho econômico e participação em cooperativas agropecuárias. Revista de Economia e Sociologia Rural, 45 (1), 119-138. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20032007000100006.

Boessio, A. T. (2015). Jovens rurais e processos de sucessão: em análise uma cooperativa agropecuária no triângulo mineiro. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, Brasil.

Bourdieu, P. (2011). Las estrategias de la reproducción social. Buenos Aires: Siglo Veintiuno Editores.

Bourdieu, P. (2012a). Uma vida perdida. In: Bourdieu, P. (Org.). A miséria do mundo (pp. 437-441). Petrópolis: Vozes.

Bourdieu, P. (2012b). As contradições da herança. In: Bourdieu, P. (Org.). A miséria do mundo (pp. 587-593). Petrópolis: Vozes.

Brumer, A. (2004). Gênero e agricultura: a situação da mulher na agricultura do Rio Grande do Sul. Estudos Feministas, 12(1), 205-227. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ref/v12n1/21699.

Camarano, A. A., & Abramovay, R. (1998). Êxodo rural, envelhecimento e masculinização no Brasil: panorama dos últimos cinquenta anos. Revista Brasileira de Estudos de População, 5(2), 45-65. Disponível em:www.rebep.org.br/index.php/revista/article/download/404/pdf_380.

Carneiro, M. J. (1999). O ideal rurbano: campo e cidade no imaginário dos jovens rurais. In: Silva, F. C. T., Santos, R., & Costa, L. F. C. (Orgs.). Mundo rural e política: ensaios interdisciplinares (pp. 97-117). Rio de Janeiro: Campus.

Castro, E. G. (2009). Juventude rural no Brasil: processos de exclusão e a construção de um ator político. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Ninez y Juventud, 7(1), 179-208. Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?pid=S1692715X2009000100008&script=sci_arttext.

Champagne, P. (1986). La reproduction de l´identité. Actes de la Recherche en Sciences Sociales, (65), 41-64. Disponível em: http://www.persee.fr/doc/arss_0335-5322_1986_num_65_1_2349.

Drebes, L. M. (2014). Projeto de juventude rural, campo de possibilidade e migrações: um estudo documental do Centro de Desenvolvimento do Jovem Rural (CEDEJOR). Revista Monografias Ambientais, 13(5), 4087-4098. Disponível em: http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/remoa/article/view/15036.

Facioni, D., & Pereira, M. W. G. (2015). Análise dos determinantes da sucessão em assentamento rural no estado de Mato Grosso do Sul. Organizações Rurais & Agroindustriais, 17(1), 119-136. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/878/87838281010.pdf.

Gaviria, M. R., & Menasche, R. (2006). A juventude rural no desenvolvimento territorial: análise da posição e do papel dos jovens no processo de transformação do campo. Estudo e Debate, 13(1), 69-82. Disponível em: http://www6.ufrgs.br/pgdr/arquivos/526.pdf.

Gil, A. C. (2011). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Editora Atlas.

Ibge. (2000). Censo Demográfico 2000. Base de Dados. Sem local: IBGE. Disponível em: http://www.ibge.gov.br.

Ibge. (2010). Censo Demográfico 2010. Base de Dados. Sem local: IBGE. Disponível em: http://www.ibge.gov.br.

Lamarche, H. (1993). A agricultura familiar: comparação internacional – uma realidade multiforme. Campinas: Editora UNICAMP.

Leitzke, V. W., & Santos, V. Z. (2013). Juventude Rural e Inclusão do Jovem na Gestão de Cooperativas da Economia Solidária, no Nordeste do RS. In: Cotrim, D. S (Org.). Gestão de cooperativas: produção acadêmica da Ascar. (pp. 316-330). Porto Alegre: EMATER/RS-ASCAR.

Matte, A., Spanevello, R. M., & Andreatta, T. (2015). Perspectivas de sucessão em propriedades de pecuária familiar no município de Dom Pedrito - RS. Holos, 1(31), 144-159. Disponível em: http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/1964.

Poupart, J. et. al. (Org.). (2010). A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Editora Vozes.

Renk, A., & Cabral Jr., V. (2002). Campesinidade e migração internacional: novas estratégias dos jovens rurais do Oeste Catarinense. Revista Esboços, 10(10), 09-28. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/esbocos/article/view/385.

Rosa, C. I. L. F., & Silva, O. H. (2010). Sucessão familiar e cooperativismo: o caso da cooperativa COOPERVAL. Revista NUPEM, 2(2), 177-187. Disponível em: http://www.fecilcam.br/revista/index.php/nupem/article/view/129.

Silvestro, M. L. (Org.). (2001). Os impasses sociais da sucessão hereditária na agricultura familiar. Florianópolis: Epagri; Brasília: NEAD/MDA.

Spanevello, R. M., & Lago, A. (2006). As cooperativas agropecuárias e a sucessão profissional na agricultura familiar. Anais do Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Sociologia e Administração Rural, Londrina, PR, Brasil, 45. Disponível em: www.sober.org.br/palestra/6/1001.

Spanevello, R. M. (2008). A dinâmica sucessória na agricultura familiar. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Spanevello, R. M., Azevedo, L. F., Vargas, L. P., & Matte, A. (2011). A migração juvenil e implicações sucessórias na agricultura familiar. Revista de Ciências Humanas, 45(2), 291-304.

Stropassolas, V. L. (2003). O movimento (migratório) da juventude rural: em busca do reconhecimento social e da cidadania. Revista Grifos, (14), 147-167.

Weisheimer, N. (2009). A situação juvenil na agricultura familiar. Tese de Doutorado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Downloads

Publicado

29/08/2017

Como Citar

Drebes, L. M., & Spanevello, R. M. (2017). COOPERATIVAS AGROPECUÁRIAS E O DESAFIO DA SUCESSÃO NA AGRICULTURA FAMILIAR. HOLOS, 2, 360–374. https://doi.org/10.15628/holos.2017.4210

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)