A LIDERANÇA COMO DIFERENCIAL NAS ORGANIZAÇÕES: UM ESTUDO SOBRE A PERCEPÇÃO DOS GESTORES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2017.4151

Palavras-chave:

Liderança, Motivação, Cultura organizacional

Resumo

As equipes de liderança estão se desenvolvendo e trazem novos pensamentos; há um aprofundamento na relação do líder com seu liderado, e sentimentos de companheirismo e amizade, cada vez mais presentes nas equipes de trabalho, têm apresentado bons resultados para as organizações. Este artigo visa identificar o papel do líder no processo de motivação das equipes de trabalho e procurar características influenciadoras que ele possa ter que refletem positivamente nos resultados das equipes e, por consequência, na empresa. Para isto, inicialmente desenvolveu-se uma pesquisa qualitativa por meio de entrevistas a uma equipe de liderança e, posteriormente, procedeu-se à análise dos dados coletados a fim de extrair resultados pertinentes ao assunto. Conclui-se que o estudo apresentou resultados satisfatórios, identificando os sentimentos dos líderes e de liderados quanto à cultura da organização em que atuam, podendo-se, a partir deles, iniciar um processo de reflexão para oportunizar melhorias contínuas nos resultados da empresa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Éverton Luiz Martins Dorneles, Uniritter

Especialista em Gestão Empresarial da UniRitter Laureate International Universities

Julice Salvagni, PNPD/CAPES- UNISINOS

Pós-Doutora (PNPD/CAPES - UNISINOS). Doutora em Sociologia (UFRGS/CAPES - 2012). Mestre em Ciências Sociais (Unisinos- 2011), Especialista em Gestão Empreendedora (Ftec- 2009) e Psicóloga (Unisinos- 2007). Atualmente é professora dos cursos de pós-graduação da UniRitter Laureate International Universities. 

Cristine Hermann Nodari, Mestrado Acadêmico em Administração da Universidade Potiguar - Uniritter

Pós-Doutora, Programa Nacional de Pós-Doutorado da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (PNPD/CAPES). Doutora em Administração pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Brasil e pela Universidade de Caxias do Sul (UCS) Brasil, Bolsista do Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições de Ensino Particulares da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (PROSUP/CAPES). Atualmente é professora do Mestrado Acadêmico em Administração da Universidade Potiguar.

Referências

Alcadipani, R., Crubellate, J.M. (2003). Cultura organizacional: generalizações improváveis e conceituações imprecisas. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, 43 (2), 64-77.

Araújo, L.C. G. D. (2007). Organizações, Sistemas e Métodos e as modernas ferramentas de Gestão Organizacional: arquitetura organizacional, empowerment, gestão da qualidade total, reengenharia. São Paulo: Atlas.

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Bianchi, E. M. P. G.; Quishida, A., Foroni, P.G. (2017). Atuação do Líder na Gestão Estratégica de Pessoas: Reflexões, Lacunas e Oportunidades. Revista de Administração, 21(1), 41-61.

Bitencourt, C.C., Berti, A.F. (2014). A gestão por competências: uma reflexão crítica sobre as implicações estratégicas. Revista Competência, 1(1), 1-15.

Cavalcanti, V.R., Lund, M., Cartilovsky, M., Lago, R.A. (2009). Liderança e Motivação. 3.ed. Rio de Janeiro: FGV.

Charan, Ram (2008). O Líder criador de líderes. 4. reimpr. Tradução de Cristina Yamagami. Rio de Janeiro: Elsevier.

Cooper, R. K., Sawaf, A., Inojosa, R., Mendes Costa, S. T. (1997). Inteligência Emocional na empresa. 2.ed. Rio de Janeiro: Campus.

Dantas, M., Cavalcante, V. (2006). Pesquisa qualitativa e pesquisa quantitativa. Recife: Universidade Federal de Pernambuco.

Davel, E., Machado, H. V. (2001) A dinâmica entre liderança e identificação: sobre a influência consentida nas organizações contemporâneas. Revista de Administração Contemporânea, 5 (3), 107-126.

Da Silva, S.A., Dos Santos, R.M.G. (2016). Qualidade de vida no trabalho: um estudo de caso em uma empresa do ramo salineiro de Baixa do Meio-RN. Revista Foco, 9(1).

Downey, M. (2010). Coaching eficaz. Tradução da 3.ed. norte-americana. São Paulo: Cengage Learning.

De Paula, A., Haiduke, I.V., Marques, I.A.A. (2016). Ergonomia e Gestão: complementaridade para a redução dos afastamentos e do stress, visando melhoria da qualidade de vida do trabalhador. Revista Conbrad, 1(1) 121-136.

Dejours, C. (2004). Subjetividade, trabalho e ação. Revista produção, 14 (3) 27-34.

Dejours, C. (1997). O fator humano. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas.

Dejours, C. (1999). A banalização da injustiça social. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas.

Drucker, P. (1976). O gerente eficaz. 3.ed. Rio de Janeiro: Zahar.

Ervilha, A. J. L. (2008). Liderando Equipes para otimizar resultados. 3.ed. São Paulo: Nobel.

Freitas, M.E. (1991). Cultura organizacional: grandes temas em debate. Revista de Administração de Empresas (FGV), São Paulo, 31(3), 4-9.

Gaskell, G. (2002). Entrevistas individuais e grupais. In: Bauer, M.W., Gaskell, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. São Paulo: Vozes.

Gil, A. C. (2009). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas.

Gilbreth, L.M. (1921). The Psychology of Management. New York: MacMillian.

Hair, J. F., Barin, B. M., Samouel, P. (2005). Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. São Paulo: Bookman.

Kotter, J. P. (1997). Afinal, o que fazem os líderes: a nova face do poder e da estratégia. São Paulo: Campus.

Limongi-França, A.C. (2006). Comportamento Organizacional: conceitos e práticas. São Paulo: Saraiva.

Limongi-França, A.C. (2005). Qualidade de vida no trabalho. Revista de Administração de Empresas, 45(1), p. 96.

Mello, J.B de; Ortega, M. (2012). Práticas de gestão empresarial de alta performance baseada em pessoas. São Paulo: Alaúde / Nova Cultural.

Mintzberg, H. (1980). The nature of managerial work. Englewood Cliffs, New Jersey: Prentice Hall.

Morin, E. M. (2001). Os sentidos do trabalho. Revista de administração de empresas, 41(3), 8-19.

Morin, E., Tonelli, M.J., Pliopas, A.L.V. (2007). O trabalho e seus sentidos. Psicologia & Sociedade, 19(1), 47-56.

Motta, F.C.P. (1981). O poder disciplinar nas organizações formais. Revista de Administração de Empresas, 21 (4), 33-41.

Motta, F.C.P. (1991). Organizações: vínculo e imagem. Revista de administração de empresas, 31(3), 5-11.

Policarpo, R.V.S., Borges, R.S.G. (2017). Mudança organizacional: os efeitos dos estilos de liderança no comportamento dos trabalhadores. Economia & Gestão, 16(45), 78-102.

Robbins, S. P. (2004). Comportamiento Organizacional: teoría y práctica. 10.ed. México: Pearson Education.

Rousseau, D. M. (1995). Psychological contracts in organizations: understanding written and unwritten agreements. Thousand Oaks, CA: Sage.

Ruffatto, J., Pauli, J., Ferrão, A.R. (2017) Influência do estilo de liderança na motivação e conflitos interpessoais em empresas familiares. Revista de Administração FACES Journal, 16(1), 29-44.

Schein, E. H. (1992). Organizational culture and leadership. San Francisco, CA: Sage.

Schein, E. H. (2009). Cultura Organizacional e Liderança. São Paulo: Atlas.

Schermerhorn Jr., John R., Hunt, James G., Osborn, Richard N. (1999). Fundamentos de comportamento organizacional. 2. ed. Porto Alegre: Bookman.

Segnini, L., Alcadipani, R. (2014). Poder e resistências nas organizações: a propósito das contribuições de Fernando C. Prestes Motta. Revista de Administração de Empresas, 54(3), 341-347.

Sennett, R. (1999). A corrosão do caráter. Rio de Janeiro: Editora Record.

Srour, R.H. (2012). Poder, Cultura e Ética nas Organizações. 3. ed. São Paulo: Elsevier.

Thomaz, W.J. (2007). Comportamento Organizacional. 2. ed. São Paulo: Atlas.

Vergara, S.C. (1999). Gestão de Pessoas. São Paulo: Atlas.

Vieira, A., Ferreira, M. C. A (1996). Qualidade de Vida no Trabalho. Florianópolis-SC: Insular.

Downloads

Publicado

2017-12-31

Como Citar

Dorneles, Éverton L. M., Salvagni, J., & Nodari, C. H. (2017). A LIDERANÇA COMO DIFERENCIAL NAS ORGANIZAÇÕES: UM ESTUDO SOBRE A PERCEPÇÃO DOS GESTORES. HOLOS, 8, 172–190. https://doi.org/10.15628/holos.2017.4151

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.