CULTURA DE SEGURANÇA E PRÁTICAS DE APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL EM ORGANIZAÇÕES DE ALTA CONFIABILIDADE

Autores

  • Liana Holanda Nepomuceno Nobre Universidade Federal Rural do Semi-Árido - UFERSA http://orcid.org/0000-0001-6756-9179
  • Elisabete Stradiotto Siqueira Universidade Federal Rural do Semi-Árido - UFERSA
  • Luciana Holanda Nepomuceno Universidade Federal Rural do Semi-Árido - UFERSA
  • Vitor Meyer Junior Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR http://orcid.org/0000-0002-3576-2342

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2016.3956

Palavras-chave:

Organizações de Alta Confiabilidade, Cultura de Segurança, Aprendizagem Organizacional, Cultura Organizacional, Práticas de Aprendizagem

Resumo

O artigo analisa elementos da cultura de segurança e práticas de aprendizagem organizacional em uma usina nuclear norte-americana. Realizou-se pesquisa qualitativa, descritiva, com uso de entrevista estruturada. A análise destacou três fatores: (1) caracterização das organizações de alta confiabilidade, (2) cultura de segurança, e (3) práticas de aprendizagem organizacional. Os resultados apontam para a caracterização da usina como organização de alta confiabilidade. Sistemas de informação, de segurança e envolvimento dos empregados foram os elementos de cultura destacados. Em relação às práticas de aprendizagem organizacional, distinguiram-se as formas de comunicação. Concluiu-se que práticas de aprendizagem organizacional fortalecem a cultura de segurança.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Liana Holanda Nepomuceno Nobre, Universidade Federal Rural do Semi-Árido - UFERSA

Doutora em Administração pela PUC-PR. Professora Adjunta do Curso de Administração (CCSAH / UFERSA)

 

Elisabete Stradiotto Siqueira, Universidade Federal Rural do Semi-Árido - UFERSA

Doutora em Administração pela PUC-SP. Professora Adjunta do Curso de Administração (CCSAH / UFERSA)

Luciana Holanda Nepomuceno, Universidade Federal Rural do Semi-Árido - UFERSA

Doutoranda em Sociologia Econômica e das Organizações pelo Instituto Superior de Economia e Gestão na Universidade de Lisboa. Professora Adjunta do Curso de Administração (CCSAH / UFERSA)

Vitor Meyer Junior, Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUCPR

Doutor em Administração Universitária pela University of Houston (EUA). Professor do PPGA/PUCPR.

Referências

ANTONELLO, C. S. A metamorfose da aprendizagem organizacional: uma revisão crítica. In: RUAS, R. L.; ANTONELLO, C. S.; BOFF, L. H. (org.) Os novos horizontes da gestão:

aprendizagem organizacional e competências. Porto Alegre: Editora Bookman, 2005.

ANTONELLO, C. S.; GODOY, A. S. A Encruzilhada da Aprendizagem Organizacional: uma Visão Multiparadigmática. Revista de Administração Contemporânea, v. 14, n. 2, 2010.

BAGNARA, S.; PARLANGELI, O.; TARTAGLIA, R. Are hospitals becoming high reliability organizations? Applied ergonomics, v. 41, n. 5, p. 713-8, set. 2010.

BARROS, A.J.P.; LEHFELD, N.A.S. Projeto de Pesquisa: Propostas Metodológicas. Petrópolis: Vozes, 1990.

BOIN, A.; SCHULMAN, P. Assessing NASA’s Safety Culture: The Limits and Possibilities

of High?Reliability Theory. Public Administration Review, n. December, 2008.

COLUSSI, D.; BECKER, G. V.; OLIVEIRA, M. A relação entre as práticas de aprendizagem organizacional eo processo de formação de estratégias em uma instituição de ensino preparatório para concurso. Estudos do CEPE, n. 29, 2009.

COX, S.; JONES, B.; COLLINSON, D. Trust relations in high-reliability organizations. Risk analysis : an official publication of the Society for Risk Analysis, v. 26, n. 5, p. 1123-38, out. 2006.

GIL, A. C., Como elaborar projetos de pesquisa, São Paulo, 4 ed., São Paulo: Editora Atlas, 2002.

GONÇALVES, C. A.; MEIRELLES, A. M. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2004.

LEITE, J. B. D.; PORSSE, M. C. S. Competição baseada em competências e aprendizagem organizacional: em busca da vantagem competitiva. Revista de Administração Contemporânea. Curitiba, 2003.

LIRA, M.T.V.; ARAGÃO, M.H.M.; MERCADO, L.P.L. Desafios do Skype na Coleta de Dados na Pesquisa em Educação Online in: V EPEAL - Encontro de Pesquisa em Educação de Alagoas, 2010, Maceió. Anais...Maceió, Universidade Federal de Alagoas.

MAGUIRE, S.; ALLEN, P.; MCKELVEY, B. Complexity and Management: Introducing SAGE Handbook. In: ALLEN, P.; MAGUIRE, S.; MCKELVEY, B. The SAGE Handbook of Complexity and Management. Los Angeles: SAGE, 2011.

MURO, P., MEYER, V., Organizações complexas e confiabilidade organizacional: reflexões sobre as HRO – High Reliability Organizations. Revista de Negócios, Blumenau, v. 16, n. 2, Abr./jun. 2011.

NAVARRO, L. L. L. Organizações de alta confiabilidade: um estudo sobre suas características e princípios. 2011. 226 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Programa de Engenharia de Produção, UFRJ/COPPE, 2011.

NICOLACI-DA-COSTA, A. M.; ROMÃO-DIAS; D.; LUCCIO, F. Uso de Entrevistas OnLine no Método de Explicitação do Discurso Subjacente. Revista Psicologia: Reflexão e Crítica, volume 22, número 1, páginas 36-43, 2009.

PERROW, C. Normal Accidents: Living with High – Risk Technologies. Princeton, NJ: Princeton University Press, 1999.

PEREIRA, J. Indicadores de cultura de segurança na indústria de manutenção aeronáutica. In: Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais, XV, 2012, São Paulo. Anais... São Paulo: FGVEAESP, 2012.

ROBERTS, K. H.; ROUSSEAU, D. M. Research in nearly failure-free, high-reliability organizations: having the bubble. IEEE Transactions on Engineering Management, v. 36, n. 2, mar. 1989.

RUAS, R.; ANTONELLO, C. S. Repensando os Referenciais Analíticos em Aprendizagem Organizacional : uma Alternativa para Análise Multidimensional. Revista de administração contemporânea, v.7, n.3, set. 2003.

SAMUELS, J. G. The application of high-reliability theory to promote pain management. The Journal of nursing administration, v. 40, n. 11, p. 471-6, nov. 2010.

SPEIER, C. et al. Global supply chain design considerations: Mitigating product safety and security risks. Journal of Operations Management, v. 29, n. 7-8, p. 721-736, nov. 2011.

SUTCLIFFE, K. M. High reliability organizations (HROs). Best practice & research. Clinical anaesthesiology, v. 25, n. 2, p. 133-44, jun. 2011.

TELLES, M.M.M.; TEIXEIRA, F.L.C. Aspectos de dominação e emancipação na gestão do conhecimento organizacional: o papel da tecnologia da informação. In: Cidade de Conhecimento [online]. Disponível em: <http://www.cidade.usp.br> Acesso em: 02 de setembro de 2004.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 3a ed, São Paulo: Atlas, 2000.

VERSIANI, A.; FISCHER, A. A aprendizagem organizacional como um campo específico de conhecimento no cenário dos estudos organizacionais. Revista Economia & Gestão, p. 1031, 2009.

WEICK, K. E.; SUTCLIFFE, K. M. Mindfulness and the Quality of Organizational Attention. Organization Science, v. 17, n. 4, p. 514-524, jul. 2006.

____. Managing the unexpected: resilient performance in an age of uncertainty. San Francisco: John Wiley &Sons, 2007.

WEICK, Karl E.; SUTCLIFFE, K.M.; OBSTFELD, D. Organizing for High Reliability: Processes of Collective Mindfulness. In: SUTTON, R.S. and STAW, B.M. Research in Organizational Behavior, Volume 1; Stanford: Jai Press, pp. 81–123, 1999.

WEICK, K.E.; WESTLEY, F. Aprendizagem Organizacional: confirmando um oximoro. In:

CLEGG, S.R., HARDY, C., NORD, W. (org.), Handbook de estudos organizacionais. Volume 3. São Paulo: Atlas, 2004, p. 361-388.

Downloads

Publicado

12/11/2016

Como Citar

Holanda Nepomuceno Nobre, L., Stradiotto Siqueira, E., Holanda Nepomuceno, L., & Meyer Junior, V. (2016). CULTURA DE SEGURANÇA E PRÁTICAS DE APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL EM ORGANIZAÇÕES DE ALTA CONFIABILIDADE. HOLOS, 7, 402–417. https://doi.org/10.15628/holos.2016.3956

Edição

Seção

ARTIGOS