ENRIQUECIMENTO NUTRICIONAL DE RESÍDUOS DE ALGAS DO GÊNERO GRACILARIA SP. UTILIZANDO SACCHAROMYCES CEREVISIAE ATRAVÉS DE CULTIVO SEMISSÓLIDO.

Francisca Kelia Duarte Dias, Francisco Fabio Mesquita Oliveira, Luiz Gonzaga de Oliveira Matias, Thiago Martins Fernandes

Resumo


Mulheres de corpo e alga, cooperativa criada na comunidade da Barrinha, Icapuí-CE utiliza algas marinhas criando produtos, gerando renda e  resíduos. O objetivo é identificar os teores de proteínas totais (PT), de carboidratos solúveis totais (AST), umidade e cinzas nos resíduos, antes e depois da adição de diferentes concentrações de S. cerevisiae, em diferentes tempos de exposição, buscando o tempo de fermentação adequado para melhorar a composição nutricional. Foi dividido em duas etapas: levedura nas concentrações de 0%, 5%. 10% e 15% e expondo em estufa à 36°C nos tempos de 0h, 24h, 48h e 72h. A estatística foi feita usando o software Assistat®, montado em experimento fatorial, com três repetições. Observou-se que o melhor tempo para aumento de PT foi 24h na concentração de 10% (C2). Na segunda etapa, ao tempo e a concentração ideal da primeira etapa foi adicionado três tipos de fonte de nitrogênio: Sulfato de amônio 2,5%, a Uréia a 2,5%; e Sulfato de amônio e Uréia (1,25%, cada) e, após a FSS foram feitos testes de PT, AST, umidade e cinzas. A suplementação com uréia apresentou maior PT possível devido a uma maior disponibilidade de nitrogênio para formação de proteínas, comportamento parecido com os AST. A umidade mais adequada a legislação foi a amostra C3 atribuida a biomassa microbiana e as cinzas não apresentaram diferença significativa possivelmente devido ao consumo de AST e compostos nitrogenados para fabricação das proteínas. O resíduo, sendo mais estudado, pode servir como uma alternativa para o produtor rural, como ração animal.

Palavras-chave


Fermentação semissólida; Saccharomyces cerevisiae; Algas

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, P.M.Estudo da produção de proteína microbiana a partir do bagaço de maçã.Florianópolis:UFSC,2003.103p. Dissertação.

ASSOCIATION OF OFFICIAL ANALYTICAL CHEMISTS. Official Methods of analysis of the Association of Official Analytical Chemists(method 900.02). Arlington: A.O.A.C., 1996 chapter 44. p. 3.

AQUASIS (Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos). A Zona

Costeira do Ceará: Diagnóstico para Gestão Integrada. Fortaleza: AQUASIS, 2003.

p.

ARAÚJO, L.F; SILVA, F.L.H.da; BRITO, E. A; OLIVEIRA JÚNIOR, S; SANTOS, E.S. Enriquecimento protéico da palma forrageira com Saccharomyces cerevisiae para alimentação de ruminantes. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 60, n.2, p. 401-407, 2008. Disponívelem: Acesso em 12/01/2015.

ARAÚJO, L.F; SILVA, F.L.H.da; BRITO, E. A; OLIVEIRA JÚNIOR, S; SANTOS, E.S. Enriquecimento protéico da palma forrageira com Saccharomyces cerevisiae para alimentação de ruminantes. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 60, n.2, p. 401-407, 2009.

BHATIA, Y.; MISHRA, S.; BISARIA, V. S. Microbial β-Glucosidases: Cloning, Properties and Applications. Critical Reviews in Biotechnology, New-Delhi, v. 22, n. 4, p. 375-407, 2002. ISSN 0738-8551.

BRASIL. Ministério da Saúde. ANVISA. Resolução RDC n. 263, de 22 de setembro de 2005. Regulamento técnico para produtos de cereais, amidos, farinhas e farelos. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, Seção 1, p.368-369, 2005.

BURROWS, S. Baker's yeast. In: ROSE, A.H.; AARRISON,J.S. (Eds). The Yeasts: yeast technology, London: Academic Prress,v.3, p.349-419, 1970.

CABRAL, G. Plantas multiuso. Algas podem ser usadas com fins alimentares, medicinais e cosméticos. Disponível em http://www.correiobraziliense.com.br. Acesso em 14/11/2014.

CAMPOS, A.R.N.; SANTANA, R.A.C.; DNTAS, J.P. et al.Enriquecimento protéico do bagaço do pedúnculo de caju por cultivo semi-sólido. Revista de Biologia de Ciências daTerra, v.5, p.1-11, 2003.

CAMPOS, A. R. N. Enriquecimento protéico do bagaço do pedúnculo de caju (Anarcadium occidentale L.) por fermentação semi-sólida. Campina Grande, Paraíba, 87p. (Dissertação) - Universidade Federal de Campina Grande, 2005.

CANOILAS, L.M. Enriquecimento protéico de resíduos de farinha de mandioca pelo desenvolvimento de leveduras. Piracicaba: ESALQ, 1991. 110p. Tese de Mestrado.

COSTA, R. R.; MATIAS, L. G. O.; SOUZA, L. Estudo do teor de lipidios das macroalgas marinhas: Gracilaria caudata, Gracilaria birdiae e Gracilaria dominigensis para a produção de biodiesel. Resumo. Anais do XIV Congresso Brasileiro de Ficologia, 2012.

DUBOIS, M.; GILLES, K. A.; HAMILTON, J. K.; REBERS, P. A.; SMITH, F. Colorimetric method for determination of sugars and related substances. Analytical chemistry. Washington, v.28, n.3, p.350-356, 1956.

DUNLAP; MADIGAN; MARTINKO. Microbiologia de Brock. 12ª Ed. Editora: Artmed.2010

FRAZIER, W.C., WESTHOFF, D.C. Microbiologia de los alimentos. Zaragoza: Acribia, 1993. p.274-300.

FUNDAÇÃO BRASIL CIDADÃO PARA EDUCAÇÃO, CULTURA, TECNOLOGIA E MEIO AMBIENTE – FBC (Fortaleza, Ce). Ceará. Banco de dados. Icapuí - Ce, 2012.

GALVANI, F; GAERTNER, E. Adequação da metodologia Kjeldahl para determinação de nitrogênio total e proteína bruta. In: Embrapa Circular técnica, 63. Corumbá, 2006.

GIBBONS, W.R.; WESTBY, C.A.; DOBBS, T.L. A continous, farm-scale, solid-phase fermentation process for fuel ethanol and protein feed production from fodder beets. Biotechnology and Bioengineering. New York, v.26, p.1098-1107, 1984.

GIONGO, Camila Nascimento. Fermentação semissólida de okara com Saccharomyces cerevisiae r. f. bayanus visando a biotransformação de isoflavonas e melhoria da qualidade nutricional. 2013. 115p. Dissertação (Mestrado em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos) –Universidade Tecnológica Federal do Paraná. 2013.

BURROWS, S. Baker's yeast. In: ROSE, A.H.; AARRISON,J.S. (Eds). The Yeasts: yeast technology, London: Academic Prress,v.3, p.349-419, 1970.

CABRAL, G. Plantas multiuso. Algas podem ser usadas com fins alimentares, medicinais e cosméticos. Disponível em http://www.correiobraziliense.com.br. Acesso em 14/11/2014.

CAMPOS, A.R.N.; SANTANA, R.A.C.; DNTAS, J.P. et al.Enriquecimento protéico do bagaço do pedúnculo de caju por cultivo semi-sólido. Revista de Biologia de Ciências daTerra, v.5, p.1-11, 2003.

CAMPOS, A. R. N. Enriquecimento protéico do bagaço do pedúnculo de caju (Anarcadium occidentale L.) por fermentação semi-sólida. Campina Grande, Paraíba, 87p. (Dissertação) - Universidade Federal de Campina Grande, 2005.

CANOILAS, L.M. Enriquecimento protéico de resíduos de farinha de mandioca pelo desenvolvimento de leveduras. Piracicaba: ESALQ, 1991. 110p. Tese de Mestrado.

COSTA, R. R.; MATIAS, L. G. O.; SOUZA, L. Estudo do teor de lipidios das macroalgas marinhas: Gracilaria caudata, Gracilaria birdiae e Gracilaria dominigensis para a produção de biodiesel. Resumo. Anais do XIV Congresso Brasileiro de Ficologia, 2012.

DUBOIS, M.; GILLES, K. A.; HAMILTON, J. K.; REBERS, P. A.; SMITH, F. Colorimetric method for determination of sugars and related substances. Analytical chemistry. Washington, v.28, n.3, p.350-356, 1956.

DUNLAP; MADIGAN; MARTINKO. Microbiologia de Brock. 12ª Ed. Editora: Artmed.2010

FRAZIER, W.C., WESTHOFF, D.C. Microbiologia de los alimentos. Zaragoza: Acribia, 1993. p.274-300.

FUNDAÇÃO BRASIL CIDADÃO PARA EDUCAÇÃO, CULTURA, TECNOLOGIA E MEIO AMBIENTE – FBC (Fortaleza, Ce). Ceará. Banco de dados. Icapuí - Ce, 2012.

GALVANI, F; GAERTNER, E. Adequação da metodologia Kjeldahl para determinação de nitrogênio total e proteína bruta. In: Embrapa Circular técnica, 63. Corumbá, 2006.

GIBBONS, W.R.; WESTBY, C.A.; DOBBS, T.L. A continous, farm-scale, solid-phase fermentation process for fuel ethanol and protein feed production from fodder beets. Biotechnology and Bioengineering. New York, v.26, p.1098-1107, 1984.

GIONGO, Camila Nascimento. Fermentação semissólida de okara com Saccharomyces cerevisiae r. f. bayanus visando a biotransformação de isoflavonas e melhoria da qualidade nutricional. 2013. 115p. Dissertação (Mestrado em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos) –Universidade Tecnológica Federal do Paraná. 2013.

HOPPE, J. M. et. al. Produção de sementes e mudas florestais, Caderno Didático nº 1, 2ª ed.Santa Maria : [s.n.], 2004.388 p. HSIEH, M.; GRAHAM, T. L. Partial purification and characterization of a soybean b-glucosidase with high specific activity towards isoflavone conjugate. Phytochemistry, Philadelphia, v. 58, p. 995-1005, 2001. ISSN 0031-9422.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2014.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Normas Analíticas do Instituto Adolfo Lutz.v. 1: Métodos químicos e físicos para análise de alimentos, 3. ed. São Paulo: IMESP, 1985. p. 27-28.

KURBANOGLU, E. B. Production of single-cell protein from ram horn hydrolysate.Turkish Journal of Biology, v.25, p.371-377, 2001.

LIEBIG, M. J. Sur les phénomènes de la fermentation et de la putréfaction, et sur les causes qui les provoquent. Annales de Chimie et de Physique. 2e Serie LXXI, p.147-195. 1839

LIMA, L. F. O.; NASCIMENTO, B. M.; HABU, S.; PARADA, J. L.; SOCCOL, C. R. Produção de Biomassa e de Exopolissacarídeos por Agaricus brasiliensis em Fermentação Submersa. Anais do XVI Sinaferm, 2007.

OLIVEIRA, E.C. & MIRANDA, G.E.C. Aspectos sociais e econômicos da exploração de algas marinhas no Brasil. In Anais do IV Congresso Latinoamericano de Ficologia, Volume II Reunião Ibero-americana, VII Reunião Brasileira de Ficologia. Sociedade Ficológica da América Latina e Caribe Sociedade Brasileira de Ficologia, São Paulo, v.z p.359-369. 1998.

OLIVEIRA-FILHO, A. Estudos preliminares de macroalgas como indicadoras das condições ambientais da área recifal nas praias de Boa Viagem e do Pina, Pernambuco, Brasil. Monografia (Especialização) - Universidade Federal de Pernambuco. CTG. Departamento de Oceanografia. Gestão de Ambientes Costeiros Tropicais, 2001.

MACHADO, C. Mulheres de corpo e algas - Sustento que vem do mar.O estado, Fortaleza,11 de Março de 2014. O estado verde. Disponível em:< http://www.oestadoce.com.br/noticia/mulheres-de-corpo-e-algas-sustento-que-vem-do-mar>. Acesso em: 23/11/2014.

MANILAL, V.B.; NARAYANAN, C.S.; BALAGOPALAN, C. Cassava starch effluent treatment with concomitant scp production. World Journal of Microbiology and Biotechnology, Oxford, v.7, p.185-190, 1991.

McHUGH, D. J. Um guia para a indústria de algas. FAO Fisheries Technical Paper 441. 2003.

MENEZES, D.R. et al. Níveis de ureia em dietas contendo co-produto de vitivinícolas e palma forrageira para ovinos Santa Inês. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. [online]. 2009, vol.61, n.3, pp. 662-667. ISSN 0102-0935.

MENEZES, T.J.B.; SALVA, J.G.; BALDINI, V.L.; PAPINI, R.S.; SALES, A.M. Protein enrichment of citrus wastes by solid substrate fermentation. Process Biochemistry, London, p.167-171, Oct. 1989.

MEIRELES, A.J.A. (2006): Banco dos cajuais: aspectos geoambientais: fundamentos para o uso sustentável dos recursos naturais. Fundação Brasil Cidadão – Fortaleza CE, 2006.

MOLINA, G. Prospecção de processos biotecnológicos de interesse industrial. Dissertação de Mestrado. UNICAMP: Campinas, 2010, 126p.

NAGAI, T.; YUKIMOTO, T. Preparation and functional properties of beverages made from sea algae. Food Chemistry, V. 81, Issue 3, 2003.

NOUT, M. J. R.; KIERS, J.L.; Tempe fermentation, innovation and functionality, Update into the third millennium. Journal of Applied Microbiology, v. 98, p. 789-805, 2005. ISSN 1365-2672.

PADUA, D. M.C. Utilização da levedura alcoólica (Saccharomyces cerevisiae) como fonte protéica na alimentação de juvenis de pacu (Piaractus mesopotamicus, pisces, teleostei): aspectos metabólicos e de desempenho produtivo. Dissertação de Mestrado. UNESP: Jaboticabal, 1996, 133p.

PARAJÓ, J. C.; SANTOS, V.; DOMÍNGUEZ, H.; VÁZQUEZ, M. Protein concentrates from yeast cultured in wood hydrolysates. Food Chemistry, v.53,p.157-163, 1995.

PARK, S.; RAMIREZ, W.F. Dynamics of foreign protein secretion from Saccharomyces cerevisiae. Biotechnology and Bioengineering, New York, v. 33, p. 272, 1989. PEDROSO, R. A. Avaliação da influência de amido e carragena nas características físico-químicas e sensoriais de presunto cozido de peru. Dissertação de Mestrado. UEPG: Ponta Grossa, 2006, 74p.

PELCZAR, M.J., CHAN, E.C.S., KRIEG, N.R. Microbiologia. São Paulo : Makron Books, 2003. v.2, p.22-40.

PEPPLER, H.J. Food yeasts. In: ROSE, A.H.; HARRISON,J.S. (Eds). The yeast: tecnology. London: Academic Press,1970. v. 3, p.421-462.

PEREIRA, L. As Algas Marinhas e Respectivas Utilidades. Disponível em http://www.algas_marinhas_portugal.pdf. Acesso em 12/11/2014.a

PEREIRA, L. Extração, caracterização e utilização das carragenanas.Disponível em Acesso em12/11/2014.b

PINHEIRO, A.J.R.; HEDRICK, T.I.; CALLAN, J.Alimentos uni e multicelulares. Seiva, Viçosa, MG, v. 39, n.87, 1-9p. Jan., 1979.

RAVEN, P. H.; EVERT, R. F. ELCHHORN, S. E. Biologia Vegetal. 6ed, edt. Guanabara, cap. 14, 2007.

REBOUÇAS, C. R. R. Estudo do teor de lipidios das macroalgas marinhas: Gracilaria caudata, Gracilaria birdiae e Gracilaria dominigensis para a produção de biodiesel. Dissertação de Mestrado. UERN: Mossoró, 2013,79p.

ROSE, A.H., HARRISON, J.N. The Yeast. London: Academic Press. 1970. v.3.

SANTOS, T.C. Fermentação em estado sólido do farelo de palma forrageira: obtenção de enzimas industriais e enriquecimento protéico para utilização na alimentação de ruminantes.2013.Dissertação(Mestrado em Ciências Ambientais)-Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB): Itapetinga, BA,2013.

SCARINCI, H. E., UMANSKY, G., MENDOZA, M. S. C. Estudio de la composicion

quimica de biomasas celulares de leveduras. Arch. Lationoam. Nutr., Guatemala,v.40, n.4, p.594-602, 1990.

SCHWARTZ, M. Life and works of Luis Pasteur. Journal of Applied Microbiology, 91, 597-601, 2001.

SILVA, D.J. Análise de alimentos: Métodos Químicos e Biológicos. 2. ed., Viçosa:UFV, Imprensa Universitária, 1990. 165p.

SINGHANIA, R. R.; PATEL, A. K.; SOCCOL, C. R.; PANDEY, A. Recent advances in solid-state fermentation. Biochemical Engineering Journal, Trivandrum - India, v. 44, p. 13-18, 2009. ISSN 1369-703X.

SUN, Y.; ZHANG, Y.; LIU, N.; LI, D.; LI, M. Hydrolysis of genistin and daidzin by a β-glucosidase purified from Lentinula edodes. Journal of Medicinal Plants Research, Harbin -China, v. 24, n. 4, p. 2684-2690, dec. 2010. ISSN 1996-0875.

TORTORA, G.J.; FUNKE, B.R.; CASE, CL. Microbiologia. 10. ed., Porto Alegre: Artmed, 2010.

VILLAS BÔAS, S. G.; ESPOSITO, E. Bioconversão do bagaço de maçã: enriquecimento nutricional utilizando fungos para produção de um alimento alternativo de alto valor agregado Biotecnologia, Ciência & Desenvolvimento, v.14, p.38-42, 2000.

VINIEGRA-GONZALEZ, G. Solid state fermentation: definition, characteristics, limitation and monitoring, p. 5-22. In: ROUSSOUS, S. et al. 1997(Eds.)

YANG, S.S. Protein enrichment of sweet potato residue with amylolitic yeasts by solid-state fermentation. Biotechnology and Bioengineering, New York, v.32, p.886-890, 1988.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2019.3451



 

HOLOS IN THE WORLD