PERFIL DE HOMENS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

Fabiana Pinheiro Santiago, Poliana R. Filgueira de Souza, Flávia C. de Azevedo Machado, Eliana Regina Lima Fernandes

Resumo


Características próprias do universo masculino como o simbolismo da masculinidade podem dificultar práticas de autocuidado, bem como a procura por serviços de saúde, tornando este grupo mais vulnerável ao adoecimento. Com intuito de reverter este panorama, criou-se no Brasil a Política Nacional de Atenção Integral a Saúde do Homem (PNAISH). Assim, este estudo busca traçar o perfil de homens que acessaram serviços da atenção primária da Zona Norte de Natal/RN e verificar o conhecimento da PNAISH por este grupo. Para tanto, realizou-se um estudo seccional com 155 homens entre 20 e 59 anos que responderam a um questionário para caracterizá-los quanto: condição socioeconômica, hábitos, perfil de doença, conhecimento da PNAISH e percepção quanto ao serviço de saúde acessado. Assim foi constatado, dentre outros aspectos, que a maioria dos indivíduos eram pardos, tinham baixa escolaridade, renda entre 1 e 2 salários e desconheciam a PNAISH. Em relação ao serviço, 90,3% disseram ter resolvido sua demanda, porém apenas 55,4% consideraram a assistência satisfatória. Por conseguinte, homens que acessam a atenção primária são, em sua maioria, de baixa condição socioeconômica e desconhecedores da PNAISH. Assim, é necessário disseminar mais informações sobre esta política e adequar os serviços de saúde para atender as reais necessidades da população masculina.


Palavras-chave


Gênero; Saúde pública; Pol[itica

Texto completo:

PDF

Referências


ALBANO, B.R.; BASÍLIO, M.C.; NEVES, J.B. Desafios para inclusão dos homens nos serviços de Atenção Primária. Revista Enfermagem Integrada, v.3, n.2, p. 554-563, 2010.

BORTOLUZZI, M. C.; TRAEBERT, J.; LOGUERCIO, A.; KEHRIG, R. T. Prevalência e perfil dos usuários de álcool de população adulta em cidade do sul do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v.15, n.3,p.679-685, 2010.

BARROS, A.J.D.; CASCAES, A.M.; WEHRMEISTER, F.C.; MESA, J.M.; MENEZES, A.M.B. Tabagismo no Brasil: desigualdades regionais e prevalência segundo características ocupacionais. Ciência & Saúde Coletiva, v.16, n.9, p.3707-3716, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde, Instituto Nacional de Câncer (INCA), Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS). Pesquisa especial de tabagismo – PETab: relatório Brasil. Rio de Janeiro: INCA; 2011. Disponível em:< http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pesquisa_especial_tabagismo_petab.pdf>. Acesso em: 10 abr. 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Diagnóstico da saúde da população masculina. Brasília; 2009. Disponível em: . Acesso em: 07 set. 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (princípios e diretrizes). Brasília: MS; 2008. Disponível em: . Acesso em: 18 set. 2012.

COUTO, M. T.; PINHEIRO, T. F.; VALENÇA, O.; MACHIN, R.; SILVA, G. S. N.; GOMES, R.; SCHRAIBER, L. B.; FIGUEIREDO, W. S. et al . O homem na atenção primária à saúde: discutindo (in) visibilidade a partir da perspectiva de gênero. Interface- Comunicação, Saúde, Educação, v.14, n.3, p.257-270, abr./jun.2010.

FEITOSA, R.C.L.; PONTES, E. R.J.C. Levantamento dos hábitos de vida e fatores associados à ocorrência de câncer de tabagistas do município de Sidrolândia (MS, Brasil). Ciência & Saúde Coletiva, v.16, n.2, p.605-613, 2011.

GOMES, R.; MOREIRA, M.C.N.; NASCIMENTO, E.F.; REBELLO, L.E.F.S.; COUTO, M.T.; SCHRAIBER, L.B. Os homens não vêm! Ausência e/ou invisibilidade masculina na atenção primária. Ciência & Saúde Coletiva, v.16, n.1, p.983-992, 2011.

GOMES, R.; NASCIMENTO, E.F.; REBELLO, L.E.F.S.; ARAÚJO, F.C. As arranhaduras da masculinidade: uma discussão sobre o toque retal como medida de prevenção do câncer prostático. Ciência & Saúde Coletiva, v.13, n.6, p.1975-1984, nov./dez.2008.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Sidra, censo. Brasil, 2010. Disponível em: < http:/www.sidra.Ibge.gov.br>. Acesso em: 11 out. 2011.

KORIN D. Novas perspectivas de gênero em saúde. Adolescência Latinoamericana, v.2, n.2, p.67-79, mar.2001.

LEAL, A.F.; FIGUEIREDO, W.S.; SILVA, G.S.N. O percurso da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAHISH), desde a sua formulação até sua implementação nos serviços públicos locais de atenção à saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v.17, n.10, p.2607-2616, 2012.

MACIEL, P.S.O. O homem na Estratégia de Saúde da Família. Natal: UFRN, 2009. 81 p. Dissertação (Mestrado) – Programa de pós-graduação em enfermagem, Universidade Federal do rio Grande do Norte, Natal, 2009.

MASCARENHAS, M.D.M.; MALTA, D.C.; SILVA, M.M.A.; CARVALHO, C.G.; MONTEIRO, R.A.; MORAIS NETO, O.L. Consumo de álcool entre vítimas de acidentes e violências atendidas em serviços de emergência no Brasil, 2006 e 2007. Ciência & Saúde Coletiva, v.14, n.5, p.1789-1796, 2009.

SCHWARZ , E.; GOMES, R.; COUTO, M.T.; MOURA, E.C.; CARVALHO, A.S.; SILVA, S.F.C. Política de Saúde do Homem. Revista de Saúde Pública, v.46, n.1, p.108-116, dez. 2012.

SCHRAIBER, L.B.; FIGUEIREDO, W.S.; GOMES, R.; COUTO, M.T.; PINHEIRO, T.F.; MACHIN, R.; SILVA, G.S.N.; VALENÇA, O. Necessidades de saúde e masculinidades: atenção primária no cuidado aos homens. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.26, n.5, p.961-970, maio 2010.

SILVA, P.A.S.; FURTADO, M.S.; GUILHON, A.B.; SOUZA, N.V.D.O.; DAVID, H.M.S.L. A saúde do homem na visão dos enfermeiros de uma unidade básica de saúde. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v.16, n.3, p.561-568, jul./set. 2012.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Rio de janeiro: SBC; 2010. Disponível em: Acesso em: 10 abr. 2013.

VIEIRA, L.C.S.; FIGUEIREDO, M.L.F.; SALES, R.L.U.B.; LOPES, W.M.P.S.; AVELINO, F.V.D. A política nacional de saúde do homem: uma reflexão sobre a questão de gênero. Enfermagem em Foco, v.2, n.4, p.215-217, 2011.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2015.3214



 

HOLOS IN THE WORLD