EPIDEMIOLOGY AND PLACE: A SPATIAL AREA FOR HEALTH ANALYSIS

Autores

  • Maria Jalila Vieira de Figueirêdo Leite Escola de Saúde/UFRN http://orcid.org/0000-0001-7620-4403
  • Aldo Dantas Departamento de Geografia/UFRN
  • Angelo Giuseppe Roncalli Departamento de Odontologia/UFRN

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2015.2854

Palavras-chave:

Epidemiology, Health analysis, Place, Spatial area, Territory

Resumo

The authors present a theoretical discussion related to spatial areas used in Epidemiology, analysing their theoretical and methodological strengths and weaknesses in the recognition of social determinants of health. Some territorial divisions were defended as alternative scales because of homogeneity and accuracy characteristics, and because of their particular criteria of definitions, while recognizing the necessity to overcome some challenges related to the concepts, research designs and access to data available in these scales.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Maria Jalila Vieira de Figueirêdo Leite, Escola de Saúde/UFRN

Cirurgiã-dentista, especialista em saúde pública e em odontologia em saúde coletiva, mestre em odontologia social. Escola de Enfermagem - Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Aldo Dantas, Departamento de Geografia/UFRN

Doutor em Geografia Humana/USP.

Angelo Giuseppe Roncalli, Departamento de Odontologia/UFRN

Doutor em Odontologia Social/UNESP.

Referências

AQUINO, R. et al. Estudos ecológicos (desenho de dados agregados). In: ALMEIDA FILHO, N.; BARRETO, M. L. (Org). Epidemiologia & saúde: fundamentos, métodos e aplicações. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011, p. 175-185.

ARCAYA, M. et al. Area variations in health: a spatial multilevel modelling approach. Health place, v. 18, n. 4, p. 824-831, 2012.

BALASHOV, Y. S. The 70th anniversary of E. N. Pavlovsky’s concept of natural nidality of human diseases. Entom. Rev., v. 90, n. 4, p. 533-536, 2010.

BARCELLOS, C. Unidades y escalas en los análisis espaciales en salud. Rev. Cub. Salud Pública, v. 29, n. 4, p. 307-313, 2003.

BONFIM, C.; MEDEIROS, Z. Epidemiologia e Geografia: dos primórdios ao geoprocessamento. Espaç. Saúde, v.10, n.1, p. 53-62, 2008.

BORREL, C. et al. Inequalities in mortality in small areas of eleven Spanish cities (the multicentre MEDEA project). Health place, v. 16, n.4, p. 703-711, 2010.

BOUSQUAT, A.; COHN, A. A dimensão espacial nos estudos sobre saúde: uma trajetória histórica. Rev. História, Ciências, Saúde, v. 11, n. 3, p. 549-568, 2004.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Metodologia do censo demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2013a. Disponível em: . Acesso em: 01 mar. 2015.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Diretoria de Geociência. Coordenação de Geografia. Divisão Urbano Regional. Rio de Janeiro: IBGE, 2013b. Disponível em: . Acesso em: 01 mar. 2015.

BUSS, P. M.; PELLEGRINI FILHO, A. A Saúde e seus determinantes sociais. Physis (Rio J.), v. 17, n. 1, p. 77-93, 2007.

CAIRUS, H. F. Ares, águas e lugares. In: CAIRUS, H. F.; RIBEIRO JÚNIOR, W. A. Textos hipocráticos: o doente, o médico e a doença. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2005. p. 91-129. (Coleção História & Saúde).

CUMMINS, S. et al. Understanding and representing ‘place’ in health research: a relational approach. Soc. Sci. Med., v. 65, n. 9, p.1825-1838, 2007.

CZERESNIA, D.; RIBEIRO, A. M. O conceito de espaço em epidemiologia: uma interpretação histórica. Cad. Saúde Pública, v. 16, n. 3, p. 595-617, 2000.

DIEZ ROUX, A. V. Next steps in understanding the multilevel determinants of health. J Epidemiol. Community Health, v. 62, n. 11, p. 957-959, 2009.

FARIA, R. M.; BORTOLOZZI, A. Espaço, território e saúde: contribuições de Milton Santos para o tema da geografia da saúde no Brasil. Rev. RA’E GA, n. 17, p. 31-41, 2009.

FROHLICH, K. L. et al. Understanding place and health: a heuristic for using administrative data. Health Place, v. 13, n. 2, p. 299-309, 2007.

GONDIN, G. M. M. Espaço e Saúde: uma (inter) ação provável nos processos de adoecimento e morte em populações. In: MIRANDA, A. C. et al. Território, ambiente e saúde. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2008. p.57-75.

HEIDEGGER, M. A questão da técnica. In: _______Ensaios e Conferências: Martin Heidegger. Trad. LEÃO, E.C., FOGEL, G.; SCHUBACK, M.S.C. 7 ed. Petrópolis: Vozes; Bragança Paulista: São Francisco, 2006, p. 11-38. (Coleção Pensamento Humano)

LEITE, M.J.V.F. Efeito de diferentes divisões territoriais na flutuação aleatória de indicadores socioeconômicos relacionados à determinação social da saúde. 2015. 83 f. Tese (Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.

MERLO, J. Contextual influences on the individual life course: building a research framework for social epidemiology. Psychosoc. Interv., v. 20, n. 1, p. 109-118, 2011.

MONKEN, M.; BARCELLOS, C. Vigilância em saúde e território utilizado: possibilidades teóricas e metodológicas. Cad. Saúde Pública, v. 21, n. 3, p. 898-906, 2005.

REGO, S. Convite a (re)leitura dos textos hipocráticos. Cad. Saúde Pública. v. 22, n. 1, p. 228-235, 2006.

ROJAS, L. I.; BARCELLOS, C. Geografia y salud en América latina: evolución y tendencias. Rev. Cubana Salud Publica, v. 29, n. 4, p. 330-343, 2003.

ROJAS, L. I. La diferenciacion territorial de la salud em la recuperación de los contextos. In: BARCELLOS, C. A geografia e o contexto dos problemas de saúde. Rio de Janeiro: ABRASCO: ICICT; EPSJV, 2008, p. 87-106.

SANTOS, S.M., BARCELLOS, C. A vizinhança como contexto: resgatedo nível ecológico na determinação de saúde e bem estar. Cap. 12. In: MIRANDA et al. Território, Ambiente e Saúde. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2008, p.217-236.

SANTOS, M. Sistema de objetos, sistemas de ações. In: ______. Técnica, espaço, tempo. 5. ed. São Paulo: EDUSP, 2008. p. 85-111.

SANTOS, M. O espaço: sistemas de objetos, sistemas de ação. In: ______. A natureza do espaço. 4. ed. 5 reimp. São Paulo: EDUSP, 2009. p. 61-87.

SCLIAR, M.; ALMEIDA FILHO, N.; MEDRONHO, R. Raízes históricas da epidemiologia. In: ALMEIDA FILHO, N.; BARRETO, M. L. (Org). Epidemiologia & Saúde: fundamentos, métodos e aplicações. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011, p. 5-23.

SILVEIRA, M. L. O espaço geográfico: da perspectiva geométrica à perspectiva existencial. Rev. GEOUSP Espaço Tempo, n. 19, p. 81-91, 2006.

SNOW, J. Sobre a maneira de transmissão do cólera. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 1999.

TUNSTALL, H. V.; SHAW, M.; DORLING, D. Places and health. J. Epidemiol. Community Health, v. 58, n. 1, p. 6-10, 2004.

STEVEN, J. O mapa fantasma: como a luta de dois homens contra o cólera mudou o destino de nossas metrópoles. Trad. Sérgio Lopes. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

VIEITES, R. G. Os estudos de Samuel Pessoa e Luiz Jacintho da Silva e a geografia médica no Brasil. Hygeia, v. 10, n.18, p. 140-148, 2014.

VIEITES, R. G.; FREITAS, I. A. Pavlovsky e Sorre: duas importantes contribuições à geografia médica. Ateliê Geográfico, v. 1, n. 2, p. 187-201, 2007.

Downloads

Publicado

2016-01-13

Como Citar

Leite, M. J. V. de F., Dantas, A., & Roncalli, A. G. (2016). EPIDEMIOLOGY AND PLACE: A SPATIAL AREA FOR HEALTH ANALYSIS. HOLOS, 8, 357–367. https://doi.org/10.15628/holos.2015.2854

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)