USO E OCUPAÇÃO DO SOLO NO MUNICÍPIO DE MARAPANIM/PA, COM BASE NOS DADOS DO PROJETO TERRACLASS PARA OS ANOS DE 2008 E 2010

Raynon Alves, Wanderson Gonçalves, Janaina Gonçalves, Gabriel Nunes, Elis Magno-Silva, Janaina Maia, Marcos Adami, Igor Narvaes

Resumo


As atividades humanas sobre a terra causam modificação na paisagem no transcorrer do tempo e o sensoriamento remoto gera dados que permitem analisar tais mudanças. Neste sentido, o presente estudo objetivou analisar o uso e ocupação do solo no município de Marapanim, localizado no nordeste do Pará, utilizando como base os dados do TerraClass referentes as classes temáticas mapeadas e monitoradas nos anos de 2008 e 2010. Para tanto, utilizou-se o banco de dados do Projeto TerraClass e os limites municipais estabelecidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, que com o uso do aplicativo SPRING, versão 5.2.4, pode se elaborar um mapa temático da cidade com relação às áreas alteradas e não alteradas e também realizou-se a tabulação cruzada dos dados. Pode-se verificar que a região da água doce do município de Marapanim apresentou maiores alterações, principalmente nas classes mosaicos de ocupações e vegetação secundária. Estas alterações podem decorrer da forte presença de agricultores itinerantes no local, e cujo sistema de produção se caracteriza por um modelo meramente extrativista baseado em atividades e técnicas agrícolas rudimentares e incoerentes à conservação do solo, as demais classes estudadas não sofreram alterações significativas. O grande número de áreas não observadas pode ter influenciado nos resultados, portanto faz-se necessário um estudo de campo com as comunidades do município.


 


Palavras-chave


Análise temporal; mudanças na paisagem; sensoriamento remoto.

Texto completo:

PDF

Referências


Alves, R. J. M. (2016). Diagnóstico socioeconômico, ambiental e de sustentabilidade em comunidades rurais do município de Marapanim, Pará, Brasil. (Mestrado em Ciências Ambientais). Universidade do Estado do Pará, Belém. 109f.

Alves, R. J. M., Pontes, A. N. & Gutjahr, A. L. N. (2016). Cenários de desenvolvimento sustentável de comunidades rurais do município de Marapanim, Pará, Brasil. Espacios, 37(20).

Asner, G. P. (2001). Cloud cover in Landsat observations of the Brazilian Amazon. International Journal of Remote Sensing, 22(18), 3855-3862.

Barbosa, G. B., Oliveira, F. A. D. & Ribeiro, P. R. D. (2016). Zoneamento urbano e direito fundamental ao trabalho: possibilidades para o desenvolvimento sustentável. Planeta Amazônia: Revista Internacional de Direito Ambiental e Políticas Públicas, Macapá, 8, 181-190.

Camara, G., Souza, R. C.M. & Freitasum, G. J. (1996). Spring: Integrating remote sensing and GIS by object-oriented data modelling. Computers & Graphics, 20(3), 395-403.

Campos, S., Cardoso, L. G., Campos, M., Nardini, R. C., Rodrigues, B. T., Rodrigues, M. T., Tagliarini, F. S. N. & Traficante, D. P. (2016). Geoprocessamento aplicado no diagnóstico dos conflitos de uso e ocupação do solo em áreas de preservação permanente no Ribeirão das Agulhas – Botucatu (SP). InterEspaço, Grajaú, 2(6). 163-175.

Castro, J. A. (1998). Noções da história de Marapanim. Belém, Gráfica e Editora Sagrada Família.

Conceição. A. A. (1995). Marapanim - Reconstituição Histórica Cultural Mística e Chistosa. Belém: Gráfica Norte.

Coutinho, A. C., Almeida, C., Venturieri, A., Esquerdo, J. C. D. M. & Silva, M. (2013). Uso e cobertura da terra nas áreas desflorestadas da Amazônia Legal: TerraClass 2008. Brasília, DF: Embrapa, Belém: INPE.

Fearnside, P. M. (2005). Desmatamento na Amazônia brasileira: história, índices e consequências. Megadiversidade, 1(1), 113-123.

_________ (2006). Desmatamento na Amazônia: dinâmica, impactos e controle. Acta Amazônica, 36(3), 395-400.

Ferreira, A. M. M. & Salati, E. (2005). Forças de transformação do ecossistema amazônico. Estudos avançados, 19(54), 25-44.

Ferreira, J. H. O., Kato, O. R., Freitas, A., Goular, J. & Pissatto, M. (2009). Sistemas Agroflorestais na Agricultura Familiar como Alternativa para Diversificação da produção e redução de queimadas no Nordeste Paraense. In: VII Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais. Diálogo e integração de saberes em sistemas agroflorestais para sociedades sustentáveis, Luziânia.

Furtado, L. G., Nascimeto, I. H., Santana, G. & Maneschy, M. C. (2006). Formas de utilização de manguezais no litoral do Estado do Pará: casos de Marapanim e São Caetano de Odivelas. Revista Amazônia: Ciência & Desenvolvimento, Belém, 1(2).

Hedden-Dunkhorst, B., Denich, M.; Vielhauer, K., Mendoza-Escalante, A., Börner, J., Hurtienne, T., Sousa-Filho, F. R. S., Sá, T. D. A. & Costa, F. A. (2003). Forest-based fallow systems: a safety net for smallholders in the Eastern Amazon. In: Proceedings of the International Conference On Rural Livelihoods, Forests and Biodiversity, Bonn, Germany.

Homma, A. K. O., Santos, J. C., Sena, A. L. S. & Menezes, A. J. E. A. (2014). Pequena produção na Amazônia: conflitos e oportunidades, quais os caminhos? Amazônia: Ciência & Desenvolvimento, Belém, 9(18), 137-154.

Hurtienne, T. P. (2005). Agricultura familiar e desenvolvimento rural sustentável na Amazônia. Novos Cadernos NAEA, Belém, 8(1), 19-71.

Instituto Brasileiro De Geografia E Estatística – IBGE. (2016). Cidades@. Disponível em: http://www.ibge.gov.br. Acesso em: 10 jun. 2016.

Kageyama, A. (2004). Mudanças no trabalho rural no Brasil, 1992-2002. Agricultura em São Paulo, 51(2), 71-84.

Leal, E. C., Vieira, I. C. G. & Kato, M. S. A. (2006). Banco de sementes em sistemas de produção de agricultura com queima e sem queima no município de Marapanim, Pará. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi: Ciências Naturais, Belém, 1(1), 19-29.

Lenzi, A. (2012). A vida ativa do solo. Revista Brasileira de Agroecologia, 7(1).

Lopes, A. C. (2016). Estudo sobre uso e ocupação do solo da área urbana ao norte do Parque Municipal da Lagoa do Peri. (Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianopilis, 153f.

Marangon, M., Presznhuk, R., Sordi, R. F. & Agudelo, L. P. P. (2004). Indicadores de sustentabilidade como instrumento para avaliação de comunidades em crise: aplicação à comunidade de Serra Negra. Revista Educação & Tecnologia, 8(1).

Matos, L. M. S. (2005). Agricultura Familiar e Informação para o Desenvolvimento Rural nos Municípios de Igarapé-Açu e Marapanim. (Mestrado em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável). Universidade Federal do Pará e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária.

Pereira, K. J. C., Lima, B. F., Reis, R. S. & Veasey, E. A. (2008). Saber tradicional, agricultura e transformação da paisagem na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, Amazonas. Uakari, 2(1), 9-26.

Pizzani, R., Schaefer, P., Goulart, R. Z. & Ludwig, R. L. (2009). Produção de Leite a Pasto: a importância do Pastoreio Rotativo. Revista Brasileira de Agroecologia, 4(2).

Raiol, C. S. & Rosa, L. S. (2013). Características socioeconômicas de agricultores familiares com sistemas agroflorestais no município de Santa Maria do Pará, Amazônia Oriental. Amazônia: Ciência & Desenvolvimento, Belém, 8(16), 121-133.

Ribeiro, A. S. S., Palha, M. D. D., Tourinho, M. M., Whiteman, C. & Silva, A. D. S. (2007). Utilização dos recursos naturais por comunidades humanas do Parque Ecoturístico do Guamá, Belém, Pará. Acta amazônica, 37(2), 235-240.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2018.2819



 

HOLOS IN THE WORLD