AVALIAÇÃO DE VARIEDADES CRIOULAS DE MILHO PARA PRODUÇÃO ORGÂNICA NO SEMIÁRIDO POTIGUAR

Autores

  • Bernardo Bezerra Araújo Júnior IFRN
  • Alice Emilaine Melo IFRN
  • Jennifer Nainne Rodrigues Matias IFRN
  • Maria Andreza Fontes IFRN

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2015.2277

Palavras-chave:

Zea mays, Agricultura orgânica, soberania de sementes.

Resumo

Com a expansão do comércio de cultivares híbridas, várias comunidades rurais têm abandonado suas sementes tradicionais, tornando o camponês mais dependente de multinacionais do setor de sementes. Porém, as sementes locais têm sua importância, seja do ponto de vista genético, ambiental, social e até mesmo econômico, e com base nisso, foi instalado um ensaio com cinco variedades crioulas e uma cultivar comercial de milho visando avaliar características de crescimento e produção, em sistema orgânico de produção na região semiárida do estado do Rio Grande do Norte. O ensaio foi conduzido na Horta Experimental do Instituto Federal do Rio Grande do Norte - Campus Ipanguaçu, com delineamento experimental em blocos ao acaso com três repetições e seis tratamentos. As variedades crioulas apresentaram o mesmo desempenho de crescimento e de produção observado na cultivar híbrida, com exceção para a característica massa de 100 grãos, em que a cultivar híbrida tendeu a apresentar os menores valores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Bernardo Bezerra Araújo Júnior, IFRN

Engenheiro Agrônomo, Mestre em Agronomia: Fitotecnia. Professor do IFRN Campus Ipanguaçú

Alice Emilaine Melo, IFRN

Estudante do curso técnico em agroecologia do IFRN - Campus Ipanguaçu

Jennifer Nainne Rodrigues Matias, IFRN

Estudante do curso superior de Tecnologia em Agroecologia IFRN - Campus Ipanguaçu

Maria Andreza Fontes, IFRN

estudante do curso técnico em Agroecologia IFRN - campus Ipanguaçu

Referências

ARAÚJO, A. V.; BRANDÃO JUNIOR, D. S.; FERREIRA, I. C. P. V.; COSTA, C. A.; PORTO, B. B. A. Desempenho agronômico de variedades crioulas e híbridos de milho cultivados em diferentes sistemas de manejo. Revista Ciência Agronômica, v. 44, n. 4, p. 885 – 892, 2013.

BOEF, W. S. Biodiversidade e agrobiodiversidade. In: BOEF, W. S.; THIJSSEN, M. H.; OGLIARI, J. B.; STHAPIT, B. R. (Org.) Biodiversidade e agricultores: fortalecendo o manejo comunitário. Porto Alegre: L&PM, 2007. cap. 2, p. 36-40.

BRITO, A. R. M. B.; TABOSA, J. N.; CARVALHO, H. W. L.; SANTOS, M. X.; TAVARES, J. A.; DIAS, F. M.; NASCIMENTO, M. M. A.; TAVARES FILHO, J. J.; SOUZA, E. M. Adaptabilidade e estabilidade de cultivares de milho no Estado de Pernambuco. Revista Ciência Agronômica, v. 36, n. 3, p. 348-353, 2005

CARPENTIERE-PÍPOLO, V.; SOUZA, A.; SILVA, D. A.; BARRETO, T. P.; GARBUGLIO, D. D.; FERREIRA, J. M. Avaliação de cultivares de milho crioulo em sistema de baixo nível tecnológico. Acta Scientiarum. Agronomy, v. 32, n. 2, p. 229-233, 2010.

CECCARELLI, S. Specific adaptation and breeding for marginal conditions. Euphytica, v. 77, n. 3, p. 205-219, 1994.

COSTA, J. R. S.; SILVA, F. M. Análise da precipitação na cidade de Ipanguaçu/RN por imagens de satélite e distribuição de gumbel. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA, 13. Viçosa-MG. Anais... Viçosa-MG. 2008.

EICHOLZ, E. D.; EICHOLZ, M.; FONSECA, E.; SILVA, S. D. A. Avaliação agronômica de variedades de milho no sul do RS. REUNIÃO TÉCNICA ANUAL DO MILHO, 58. Pelotas-RS. Anais...Pelotas-RS, 2013.

EMBRAPA. Sistema brasileiro de classificação de solos. Brasília: EMBRAPA-SPI. 2006. 412p.

FERREIRA, D. F. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, v. 35, n.6, p. 1039-1042, 2011

IBGE. Levantamento sistemático da produção agrícola. v. 23, n. 12, p. 1-80, Rio de Janeiro, 2010.

MACHADO, A. T.; MACHADO, C. T. T.; MIRANDA, G. V.; COELHO, C. H. M.; GUIMARÃES, L. J. M. Resposta de variedades de milho a níveis e fontes de nitrogênio. Planaltina: Embrapa Cerrados, 2003. 27 p. (Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, 93).

MELAMED, R.; GASPAR, J.C.; MIERKELEY, N. Pó-de-rocha como fertilizante alternativo para sistemas de produção sustentáveis em solos tropicais. Rio de Janeiro: Centro de Tecnologia Mineral, 2007. Série de Estudos e documentos, 72, 24p.

MENEGUETTI, G. A.; GIRARDI, J. L.; REGINATTO, J. C. Milho crioulo: tecnologia viável e sustentável. Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável, v. 3, n. 1, 2002.

MIRANDA, G. V.; SOUZA, L. V.; SANTOS, I. C.; MENDES, F. F. Resgate de variedades crioulas de milho na região de Viçosa-MG. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 2, n. 1, p. 1145-1148, 2007.

PATERNIANI, E.; NASS, L. L.; SANTOS, M. X. O valor dos recursos genéticos de milho para o Brasil: uma abordagem histórica da utilização do germoplasma. In: UDRY, C.W.; DUARTE, W. (Org.) Uma história brasileira do milho: o valor dos recursos genéticos. Brasilia: Paralelo 15, 2000. p.11-41.

PINHEIRO, S.; BARRETO, S. B. MB4: Agricultura sustentável, trofobiose e biofertilizantes. Canoas-RS: La Salle. 1996. 273p.

Downloads

Publicado

2015-07-24

Como Citar

Júnior, B. B. A., Melo, A. E., Matias, J. N. R., & Fontes, M. A. (2015). AVALIAÇÃO DE VARIEDADES CRIOULAS DE MILHO PARA PRODUÇÃO ORGÂNICA NO SEMIÁRIDO POTIGUAR. HOLOS, 3, 102–108. https://doi.org/10.15628/holos.2015.2277

Edição

Seção

ARTIGOS