Um estudo multicaso quanto à relação entre os Manuais do Usuário e a legislação vigente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2019.6217

Palavras-chave:

Construção de Edifícios, Qualidade, Desempenho, Manual do Usuário.

Resumo

A Indústria da Construção Civil difere das demais em muitos aspectos, apresentando peculiaridades que refletem uma estrutura dinâmica e complexa. Entre essas peculiaridades, destacam-se às relativas ao tamanho das empresas, à curta duração das obras, à sua diversidade e à rotatividade da mão de obra (ARAÚJO, 2008). Essa indústria também possui grande representatividade econômica, tanto no cenário internacional quanto no nacional, ocupando posição de destaque na composição do Produto Interno Bruto (PIB). A necessidade de se estabelecer parâmetros de qualidade para as obras de edificações tem sido uma demanda dos intervenientes do setor da construção civil. O foco no desempenho vem ao encontro dessa necessidade, com o estabelecimento de exigências a serem atendidas, bem como a forma de mensurá-las. E é nesse sentido que se evidencia a importância da elaboração do Manual do Usuário pelas empresas construtoras de edificações. Este artigo apresenta parte de uma pesquisa que teve como objetivo maior elaborar um diagnóstico quanto à contribuição do Manual do Usuário para a qualidade e desempenho das edificações verticais construídas pelas empresas construtoras da grande João Pessoa. Os resultados apontam que os manuais são elaborados apenas para cumprir um requisito legal e que a qualidade de construção e o desempenho das obras não possuem relação com o conteúdo dos manuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Nelma Mirian Chagas de Araújo, Instituto Federal da Paraíba

Graduada em Engenharia Civil com especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho, mestrado e doutorado em Engenharia de Produção. Áreas de atuação: Engenharia Civil e Engenharia de Segurança do Trabalho. Linhas de Pesquisa: Planejamento e Controle de Obras; Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil; Segurança e Saúde no Trabalho; Gerenciamento de Canteiros de Obras.

Referências

ARAÚJO, N. M. C. (2008). Custos da implantação do PCMAT na ponta do lápis. 2. ed. São Paulo: Fundacentro.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (2011). NBR 14037: Diretrizes para elaboração de manuais de uso, operação e manutenção de edificações – Requisitos para elaboração e apresentação dos conteúdos. Rio de Janeiro.

_______ (2013). NBR 15575: Edificações Habitacionais – Desempenho. Rio de Janeiro, 2013.

CÂMARA BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO. Produto Interno Bruto (PIB) – Total Brasil. Recuperado em 12 fevereiro, 2016, de http://www.cbicdados.com.br/menu/pib-e-investimento/pib-brasil-e-construcao-civil.

CASTRO, U. R. (2007). A importância da manutenção predial preventiva e as ferramentas para sua execução. Monografia, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.

GASPAROLI, P. e SCALTRITTI, M. (2011). Inspections and maintenance pogrammes for the conservation of historic architecture – some critical issues related to degradation and durability. Proceedings of the International Conference on Durability of Building Materials and Components, Porto, Portugal, 12.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (2010). Censo das cidades e regiões brasileiras. Recuperado em 1 março, 2014, de http://www.censo2010.ibge.gov.br/sinopse/index.php?dados=12.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (2014). Pesquisa anual da indústria da construção 2012. v. 22. Rio de Janeiro: IBGE.

MELHADO, S. B. (2001). Gestão, cooperação e integração para um novo modelo voltado a qualidade do processo de projeto na construção de edifícios. Tese de Livre Docência, Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

MESEGUER, A. G. (1991). Controle e garantia da qualidade na construção. São Paulo: Sinduscon-SP.

OLIVEIRA, L. A. e MITIDIERI FILHO, C. V. (2012, maio). O projeto de edifícios habitacionais considerando a norma brasileira de desempenho: análise aplicada para as vedações verticais. Gestão e Tecnologia de Projetos, v. 7, n. 1, p. 90-100.

ROCHA, H. F. (2007). Importância da manutenção predial preventiva. Holos, v. 2, p 72-77.

SHEBALJ, V. L. C. C. (2010). Inspeção e manutenção predial. Série de cadernos técnicos CREA-PR. Recuperado em 8 abril, 2014, de http://docslide.com.br/documents/caderno-tecnico-crea-pr-inspecao-e-manutencao-predial.html.

TAMAKI, L. (2010, maio). Vale o desempenho. Téchne, v. 1, n. 158, p 44-51.

VERGARA, S. C. (2009). Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 11. ed. São Paulo: Atlas.

Downloads

Publicado

29/12/2019

Como Citar

Araújo, N. M. C. de, Medeiros, M. O., & da Silva, M. R. (2019). Um estudo multicaso quanto à relação entre os Manuais do Usuário e a legislação vigente. HOLOS, 7, 1–9. https://doi.org/10.15628/holos.2019.6217

Edição

Seção

ARTIGOS