MACROINVERTEBRADOS BENTÔNICOS COMO BIOINDICADORES DA QUALIDADE DA ÁGUA EM UM TRECHO DO RIO APODI-MOSSORÓ

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2016.4183

Palavras-chave:

Bioindicador, macroinvertebrados bentônicos, qualidade da água.

Resumo

Este trabalho foi realizado com o intuito avaliar a presença de macroinvertebrados bentônicos como bioindicadores da qualidade da água em um trecho do rio Apodi-Mossoró no município de Governador Dix-Sept Rosado, Rio Grande do Norte. Para isso, foram realizadas coletas em três pontos de um trecho do rio Apodi-Mossoró. A identificação dos invertebrados foi feita através de estereomicroscópio com o auxílio de bibliografias especializadas. A quantidade de macroinvertebrados foi expressa em número de macroinvertebrados e por metro quadrado de acordo com a ferramenta utilizada. Foram encontrados nos três pontos organismos pertencentes os filos insecta e mollusca, no qual o filo mollusca foi o mais representativo em todos os pontos amostrados, apresentando um total de 17.725 indivíduos por m² coletados com a draga e 831 indivíduos com o pegador manual. A classe gastropoda foi a que apresentou mais indivíduos em todas as coletas principalmente da família dos Thiarídeos representados pela espécie Melanoide tuberculata, um fato preocupante a saúde pública, tendo em vista que esta espécie é vetor de doenças como a esquistossomose. De modo geral, foram coletados em maior abundância indivíduos resistentes à poluição, sendo um indicativo de que as águas dos pontos amostrados possam estar poluídas e/ou contaminadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Antônio Helton da Silva Barbosa, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN

Possui graduação em Gestão Ambiental pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (2014). Atualmente é graduando em Geografia e mestrando em Ciências Naturais pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Tem experiência na área de Ciências Ambientais, com ênfase em Planejamento Ambiental e Geoprocessamento.

Camila Saiury Pereira Silva, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN

Possui Bacharelado em Gestão Ambiental pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (2014). Atualmente é mestranda em Ciências Naturais pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Naturais (PPGCN/UERN). Tem experiência na área de Ciências Ambientais, com ênfase em Gestão Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: educação ambiental, geoprocessamento, sustentabilidade e resíduos sólidos.

Shaline Elaide de Araújo, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN

Possui Bacharelado em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Mossoró, RN.  Atualmente é mestranda em Ciências Naturais pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Naturais (PPGCN/UERN).

Thaís Bezerril Brandão de Lima, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN

Possui graduação em Zootecnia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2004).  Atualmente é mestranda em Ciências Naturais pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Naturais (PPGCN/UERN). Tem experiência na área de Zootecnia, com ênfase em Produção Animal, atuando principalmente nos seguintes temas: meio ambiente, carcinicultura marinha, sistema de gestão ambiental, sustentabilidade e conscientização ambiental.

Iron Macêdo Dantas, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal da Paraíba (1990), mestrado em Agronomia (Entomologia) pela Universidade Federal de Lavras (1992) e doutorado em Agronomia (Produção Vegetal) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2002). Atualmente é professor adjunto IV da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Tem experiência na área de Zoologia, com ênfase em Ecologia de Insetos, atuando principalmente nos seguintes temas: insetos do bioma caatinga, macroinvertebrados aquáticos e meio ambiente.

Referências

ABÍLIO, F. J. P. et al. Macroinvertebrados bentônicos como bioindicadores de qualidade ambiental de corpos aquáticos da caatinga. Oecol. Bras., v. 11, p 397-409, 2007.

ABÍLIO, F. J. P. Gastrópodes e outros invertebrados do sedimento litorâneo e associados à macrófitas aquáticas, em açudes do semi-árido Paraibano, nordeste do Brasil. Tese de Doutorado. Programa de Pós Graduação em Ecologia e Recursos Naturais. Universidade Federal de São Carlos, 179p. 2002.

BARBOSA, A. H. S; FERNANDES, S. E. M; LIMA, T. B. B. Protocolo de coleta de macroinvertebrados bentônicos. Disciplina Técnicas de Coleta de Amostras do Curso de Pós-Graduação em Ciências Naturais da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Disponibilizado em doc. via e-mail, 2015.

BARBOZA, L. G. A.; MUCELIN, C. A.; BIESDORF, D. L. Avaliação da qualidade da água do rio Alegria, Medianeira-PR, por meio de indicadores biológicos. XVII seminário de inorvação cientifica e tecnologica da UTFP. 2012.

BROWN, K. M. Resource overlap and competition in pond snails: na experimental analysis. Ecology, v. 63, p. 412-422, 1982.

CALLISTO, M. Macroinvertebrados bentônicos. In: Bozelli, R. L.; Esteves, F. A.; Roland, F. Lago Batata: impacto e recuperação de um ecossistema amazônico. Rio de Janeiro: IBUFRJ/SBL, p. 139-152, 2000.

CARDOSO, R. DOS S; NOVAES, C. P. Variáveis limnológicas e macroinvertebrados bentônicos como bioindicadores de qualidade da água. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, v. 01, n. 05, pp. 16-35, 2013.

CUNHA, D. G. F; CALIJURI, M. C. Sistemas aquáticos continentais. In: CALIJURI, M. C; CUNHA, D. G. F. (Coord.). Engenharia Ambiental: Conceitos, Tecnologia e Gestão. Campus, 2012. Disponível em <https://books.google.com.br>. Acesso em: 20 de Jul. 2015.

DIAS, A. M. et al. Macroinvertebrados bentônicos associados á macrófitas aquáticas em um trecho do rio Mossoró. Revista Verde, v. 7, n. 5, p. 36-39, 2012.

DORNELLES, L. E. et al. Aspectos quantitativos das infrapopulacões de metazoários associados à pomacea sp. (mollusca, ampulariidae) da estação de piscicultura da universidade federal de mato grosso do sul, Brasil. Anais do IX Congresso de Ecologia do Brasil, 13 a 17 de Setembro de 2009, São Lourenço– MG.

ELLER, A. P. R. et al. Biomonitoramento da Bacia do Rio das Velhas utilizando os Macroinvertebrados Bentônicos Bioindicadores de qualidade de água como ferramenta de avaliação ambiental. 2009. Disponível em <http://150.164.90.128/assets/files/Biomonitoramento/biomonitoramento-novo.pdf>. Acesso em: 20 de Jul. 2015.

ESTEVES, F. A. Fundamentos de Limnologia. Rio de Janeiro: FINEP/INTERCIÊNCIA. p. 575, 1988.

LADSON, A. R; et al. Development and testing of an Index of Stream Condition for waterway management in Australia. Freshwater Biology, v. 41, n. 2, p. 453 – 468, 1999.

LUCCA, P. G. J. et al. Levantamento de macroinvertebrados bentônicos em viveiros de pisciculturas. XV encontro Latino Americano de iniciação cientifica e XI encontro Latino Americano de pós-graduação-Universidade do Vale do Paraíba, 2003.

MARQUES, M. G. S. M., FERREIRA, R. L.; BARBOSA, F. A. R. A comunidade de macroinvertebrados aquáticos e características limnológicas das lagoas Carioca e da Barra, Parque Estadual do Rio Doce, MG. Revista Brasileira de Biologia v. 59, n. 2, p. 203-210, 1999.

MATSUMURA-TUNDISI, T. Diversidade de zooplancton em represas do Brasil. In: HENRY, R. Ecologia de reservatórios. São Paulo: FAPESP/FUNDIBIO, 1999. p.41-54.

MELO, L. E. L. 2000. O uso do gastrópode Pomacea lineata (Spix, 1827) como indicador de qualidade de mananciais de água doce do Nordeste do Brasil: Uma proposta metodológica. Resumo (dissertação). Programa regional de Pós - Graduação em Desenvolvimento e Meio - Ambiente (PRODEMA)-Universidade Federal da Paraíba.

NAIME, R. H; SPILKI, F. R. Preservação ambiental e o caso especial do manejo de resíduos de laboratório: conceitos gerais e aplicados. Universidade Feevale. Novo Hamburgo, Rio grande do Sul, Brasil, 2012.

NASCIMENTO FILHO, S. L. DO; VIANA, G. F. S. Macroinvertebrados bentônicos como ferramenta para avaliação da qualidade da água (sertão de Pernambuco, Brasil). XIII JORNADA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO – JEPEX 2013. UFRPE: Recife, 2013.

PAMPLIN, P. A. Z. Avaliação da Qualidade Ambiental da Represa de Americana (SP) com Ênfase no Estudo da Comunidade de Macroinvertebrados Bentônicos e Parâmetros Ecotoxicológicos. São Carlos (SP). Dissertação (Mestrado). Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 111p. 1999.

QUEIROZ, J. F.; TRIVINHO-STRIXINO, S.; NASCIMENTO, V. M. C. Organismos bentônicos bioindicadores da qualidade das águas da Bacia do Médio São Francisco. Jaguariúna: EMBRAPA Meio Ambiente, 2000.

REMOR, M. B. et al. Qualidade da água do Rio das Pedras utilizando macroinvertebrados bentônicos como bioindicadores. Revista Cascavel, v.6, n.2, p.97-111, 2013.

SANTOS, I. G. A. dos; RODRIGUES, G. G. Colonização de macroinvertebrados bentônicos em detritos foliares em um riacho de primeira ordem na Floresta Atlântica do nordeste brasileiro. Iheringia, Série Zoologia, Porto Alegre, 105(1):84-93, 2015.

SILVA, P. B. et al. Aspectos físicoquímicos e biológicos relacionados à ocorrência de Biomphalaria glabrata em focos litorâneos da esquistossomose em Pernambuco. Química Nova, v. 29, n. 5, p. 901-906. 2006.

ZARDO, D. C. et al. Variação espaço-temporal naabundância de ordens e famílias de macroinvertebrados bentônicos registrados em área de nascente, Campo Verde-MT. REVISTA UNIARA, v.16, n.1, 2013.

Downloads

Publicado

12/11/2016

Como Citar

Barbosa, A. H. da S., Silva, C. S. P., Araújo, S. E. de, Lima, T. B. B. de, & Dantas, I. M. (2016). MACROINVERTEBRADOS BENTÔNICOS COMO BIOINDICADORES DA QUALIDADE DA ÁGUA EM UM TRECHO DO RIO APODI-MOSSORÓ. HOLOS, 7, 121–132. https://doi.org/10.15628/holos.2016.4183

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)