CARACTERIZAÇÃO SOCIOECONÔMICO CULTURAL E PROCEDIMENTOS PÓS-COLHEITA DE PLANTAS MEDICINAIS COMERCIALIZADAS POR RAIZEIROS EM QUATRO CIDADES DO RIO GRANDE DO NORTE

Autores

  • Afrânio César Araújo Universidade Federal do Rio Grande do Norte/Escola Agrícola de Jundaí
  • Analyana Priscilla Fernandes Universidade Federal do Rio Grande do Norte/Escola Agrícola de Jundaí
  • Caroliny Ferreira Lira Universidade Federal do Rio Grande do Norte/Escola Agrícola de Jundaí
  • Ariosto Céleo de Araújo Universidade Federal da Paraíba/Centro de Ciências Agrárias

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2017.1226

Palavras-chave:

Etnoconhecimento, medicina natural, mercados populares, beneficiamento

Resumo

Objetivou-se com este trabalho Estabelecer o perfil socioeconômico cultural de raizeiros e avaliar os procedimentos pós-colheita adotados para plantas medicinais comercializadas no estado do Rio Grande do Norte. O estudo foi realizado, nas cidades de Natal, Santana do Matos, Ipanguaçu e Lagoa de Pedras onde foram entrevistados, no total, 40 raizeiros. Foram utilizados formulários pré-estruturados nos quais constavam questões relacionadas a aspectos sociais, culturais e econômicos dos raizeiros e procedimentos pós-colheita das plantas medicinais comercializadas nestes municípios. Constatou-se que a maior parte dos entrevistados era parda, católica, havia cursado parcialmente o ensino fundamental e a renda mensal obtida com a venda das plantas medicinais era superior a um salário mínimo. Os procedimentos pós-colheita e o armazenamento de plantas medicinais adotados mostraram-se inadequadas por comprometerem a qualidade do produto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ALVES, R. R. da N; SILVA, A. de A. G. da; SOUTO, W. de M. S.; BARBOZA, R. R. D. (2007). Utilização e comércio de plantas medicinais em Campina Grande, PB, Brasil. Revista Eletrônica de Farmácia, 4 (2), 175-98.

ARAÚJO, A. C.; SILVA, J. P.; CUNHA, J. L. X. L.; ARAÚJO, J. L. O. (2009). Caracterização Sócio-econômico-cultural de Raizeiros e Procedimentos pós – colheita de Plantas Medicinais comercializadas em Maceió – AL. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 11 (1), 81-91.

ARNOUS, A. H.; SANTOS, A.S.; BEINNER, R. P. C. (2005). Plantas medicinais de uso caseiro - conhecimento popular e interesse por cultivo comunitário. Revista Espaço para a Saúde, 6 (2), 1-6.

BRITO, A. L. O.; PAIXÃO F. S.; REIS L. C.; SANTOS M. F.; CARVALHO R. M. C.; RIBEIRO S. S. (1999). Principais Cuidados no Cultivo, Manipulação e Consumo de Plantas Medicinais. Erros e Problemas mais Comuns. Disponível em: http://www.plantamed.com.br.

DANTAS, V. dos F.; DANTAS, I. C.; CHAVES, T. P.; FELISMINO, D. de C.; SILVA, H.; DANTAS, G. D. dos (2008). Análise das garrafadas indicadas pelos raizeiros na cidade de Campina Grande-PB. Biofar, 3 (1), 7-13.

DANTAS, I. C.; GUIMARÃES, F. R. (2006). Perfil dos raizeiros que comercializam plantas medicinais no município de Campina Grande, PB. Revista de Biologia e Ciências da Terra, 6 (1), 39-44.

ETHUR, L. Z.; JOBIM, J. C.; RITTER, J. G.; OLIVEIRA, G.; TRINDADE, B. S. (2011). Comércio formal e perfil de consumidores de plantas medicinais e fitoterápicos no município de Itaqui – RS. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 13, (2), 121-128.

FREITAS, A. V. L. de; COELHO, M. de F. B.; AZEVEDO, R. A. B. de; MAIA, S. S. S. (2012). Os raizeiros e a comercialização de plantas medicinais em São Miguel, Rio Grande do Norte, Brasil. Revista Brasileira de Biociências, 10 (2), 147-156.

HERTWIG, I.F.V. (1986). Plantas aromáticas e medicinais. São Paulo: Ícone.

IBGE (2010). Censo Populacional. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/

INSTITUTO PRÓ LIVRO (2016). Relatos da leitura no Brasil. Disponível em: http://www.publishnews.com.br.

MAGALHÃES, P. M. (1997). O caminho medicinal das plantas. Campinas: RZM Press.

MARTINS, E.R.; CASTRO, D. M. de; CASTELLANI, D. C.; DIAS, J. E. (2003). Plantas medicinais. Viçosa: UFV.

MELO, J.G.; NASCIMENTO, V. T. do; AMORIM, E. L. C. de; ANDRADE LIMA, C. S. de; ALBUQUERQUE, U. P. de. (2017). Qualidade de produtos à base de plantas medicinais comercializados no Brasil: castanha-da-índia (Aesculus hippocastanum L.), capim-limão (Cymbopogon citratus (DC.) Stapf) e centela (Centella asiatica (L.) Urban) (2007). Acta Botanica Brasilica, 21 (1), 27-36.

MONTEIRO, J. M.; ARAÚJO, E. de L.; AMORIM, E. L. C.; ALBUQUERQUE, U. P. de (2010). Local Markets and Medicinal Plant Commerce: A Review with Emphasis on Brazil. Economy Botany, 64, 352–366.

PINTO, E. P. P.; AMOROZO, M. C.; FURLAN, A. (2006). Conhecimento popular sobre plantas medicinais em comunidades rurais de mata atlântica - Itacaré, BA, Brasil. Acta Botanica Brasílica, 20 (4), 751-62.

PNUMA (2002). Convention on Biological Diversity. Disponível em: http:// www.biodiv.org.

ROCHA, F. A. G. da; MEDEIROS, F. G. M. de; SILVA, J. L. A. da (2010). Diagnóstico da qualidade sanitária de plantas medicinais comercializadas no município de Currais Novos, RN. Holos, 26 (2), 71-79.

SILVA, F.; CASALI, V. W. D.; LIMA, R. R.; ANDRADE, N. J. Qualidade pós-colheita de Achillea millefolium L., Origanum vulgare L. e Petroselinum crispum (Miller) A.W. Hill em três embalagens (1999). Revista Brasileira de Plantas Medicinais, 2 (1), 37-41, 1999.

Downloads

Publicado

21/12/2017

Como Citar

Araújo, A. C., Fernandes, A. P., Lira, C. F., & Araújo, A. C. de. (2017). CARACTERIZAÇÃO SOCIOECONÔMICO CULTURAL E PROCEDIMENTOS PÓS-COLHEITA DE PLANTAS MEDICINAIS COMERCIALIZADAS POR RAIZEIROS EM QUATRO CIDADES DO RIO GRANDE DO NORTE. HOLOS, 7, 225–237. https://doi.org/10.15628/holos.2017.1226

Edição

Seção

ARTIGOS