PRODUTIVIDADE DE CULTURAS ANUAIS EM SISTEMA DE CONSÓRCIO COM A PALMA FORRAGEIRA RESISTENTE À COCHONILHA-DO-CARMIM (Dactylopius opuntiae Cockerell)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2021.11212

Palavras-chave:

Cactáceas, Consórcio, Cultivo, Semiárido, Sequeiro.

Resumo

Objetivou-se com esse trabalho avaliar a produtividade de culturas anuais e o desenvolvimento de variedades de palma forrageira resistentes a Cochonilha-do-carmim em sistema de consórcio. O experimento foi desenvolvido na estação experimental do INSA em Campina Grande, Paraíba, Brasil. Foi conduzido em sistema consorciado, usando as variedades de palma Orelha de elefante mexicana, Baiana e Miúda, em consórcio com Milho e Sorgo em sistema de sequeiro. Utilizou-se o delineamento em blocos casualizados em parcelas subdivididas com 3 repetições. As avaliações na palma forrageira e nas culturas em consórcio ocorreram 90 dias após o plantio. Para a palma avaliou-se altura de planta, largura da planta, número de cladódios por planta, comprimento, largura de cladódio, perímetro de cladódio, espessura de cladódio, área fotossintética ativa e área de cladódio e para o sorgo e milho avaliou-se altura de planta, diâmetro, produtividade de massa verde e produtividade de massa seca. Verificou-se, aos 90 dias após o plantio, que dentre as variedades a orelha de elefante mexicana se destacou, apresentando valores significativos para altura e largura de planta. Para a produtividade de massa verde obteve-se em média 12.265 Kg ha-1 e 9.973 Kg ha-1 para o sorgo e milho respectivamente. Em relação a produtividade de massa secado sorgo, observa-se que ocorreu diferença significativa entre os consórcios, com maiores valores no consórcio com a palma miúda, 7.095 kg ha-1 e menor na baiana com 4.415 kg ha-1. A variedade Orelha de elefante mexicana destacou-se em relação às demais em todos os parâmetros e o sorgo foi o consórcio mais produtivo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Elder Cunha de Lira, Instituto Nacional do Semiárido

Pesquisador Bolsista do Instituto Nacional do Semiárido - INSA/PCI/CNPq

Jucilene da Silva Araújo, Instituto Nacional do Semiárido

Tecnologista do Instituto Nacional do Semiárido - INSA/MCTI

Evaldo dos Santos Felix, Instituto Nacional do Semiárido

Pesquisador Bolsista do Instituto Nacional do Semiárido - INSA/PCI/CNPq

George Vieira do Nascimento, Instituto Nacional do Semiárido

Pesquisador Bolsista do Instituto Nacional do Semiárido - INSA/PCI/CNPq

Tarcísio José de Oliveira Filho, Instituto Nacional do Semiárido

Pesquisador Bolsista do Instituto Nacional do Semiárido - INSA/PCI/CNPq

José Thyago Aires Souza, Instituto Nacional do Semiárido

Pesquisador Bolsista do Instituto Nacional do Semiárido - INSA/PCI/CNPq

Daniel Duarte Pereira, Universidade Federal da Paraíba

Professor da Universidade Federal da Paraíba - Centro de Ciências Agrárias - UFPB/CCA

Referências

Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba – AESA. (2018). Meteorologia – Chuvas - Gráfico. Município: Campina Grande. Disponível em: http://www.aesa.pb.gov.br/aesa-website/meteorologia-chuvas-grafico/?id_municipio=51&date_chart=2019-04-01&period=week. Acesso em: 13 set. 2020.

Albuquerque, S. S. C.; Lira, M. A.; Santos, M. V. F.; Dubeux Júnior, J. C. B.; Melo, J. N.; Farias, I. (2002). Utilização de três fontes de nitrogênio associadas à palma forrageira (Opuntia fícus-indica, Mill) cv. gigante na suplementação de vacas leiteiras mantidas em pasto diferido. Revista Brasileira de Zootecnia, 31(3), 1315-1324.

Albuquerque, A.G. (2012). O SISTEMA SÃO BENEDITO COMO PROPOSTA DE PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA NO SEMIÁRIDO BRASILEIRO. 76p. Monografia (Curso de Agronomia) - Universidade Federal da Paraíba, Areia - PB. Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/bitstream/123456789/584/1/AGA11072014.pdf. Acesso em: 23 fev. 2021.

Alvares, C. A.; Stape, J. L.; Sentelhas, P. C.; Gonçalves, J. L. M.; Sparovek, G. (2013). Köppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, 22(6), 711-728. Disponível em: https://www.schweizerbart.de/papers/metz/detail/22/82078/Koppen_s_climate_classification_map_for_Brazil. Acesso em: 22 fev. 2021.

Araújo, J. S.; Pereira, D. D.; Lira, E. C.; Felix, E. S.; Souza, J. T. A.; Lima, W. B. (2019). Palma Forrageira: Plantio e Manejo. Campina Grande, PB. Instituto Nacional do Semiárido (INSA). Disponível em: <https://portal.insa.gov.br/noticias/1507-insa-lanca-a-cartilha-palma-forrageira-plantio-e-manejo>. Acesso em: 13 set. 2020.

Costa, T. C. T. (2014). Determinação da área de cladódios de três clones de palma forrageira do gênero Opuntia. Monografia – Universidade Estadual da Paraíba. Catolé do Rocha, Paraíba. Disponível em: http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/bitstream/123456789/4782/1/PDF%20-%20Thuane%20Cristina%20Teod%c3%b3sio%20da%20Costa.pdf. Acesso em: 14 set. 2020.

Felix, E. S.; Lima, W. B.; Silva, C. T.; Araújo, J. S.; Pereira, D. D.; Lira, E. C. (2018). Cultivo de palma forrageira (Opuntia Stricta) irrigada com água salinizada. Braz. Ap. Sci. Rev., Curitiba, 2(6), 1869-1875.

Feitosa, C. E. (2019). DESENVOLVIMENTO DA PALMA FORRAGEIRA SOB ASPECTOS AGROECOLÓGICOS NO SEMIÁRIDO SERGIPANO. 39p. Trabalho de Conclusão de Curso (Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe – Campus São Cristóvão, SÃO CRISTÓVÃO - SE. Disponível em: https://repositorio.ifs.edu.br/biblioteca/handle/123456789/1018.

Ferreira, D. F. (2011). Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência & Agrotecnologia, Lavras, 35(6), 1039-1042. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cagro/v35n6/a01v35n6.pdf. Acesso em: 14 set. 2020.

Gebremariam, T.; Melaku, S.; Yami, A. (2006). Effect of different levels of cactus (Opuntia ficus-indica) inclusion on feed intake, digestibility and body weight gain in tef (Eragrostis tef) straw based feeding of sheep. Animal Feed Science and Technology, 131, 43-52.

Oliveira Junior, S.; Barreiro Neto, M.; Ramos, J. P. F.; Leite, M. L. M. V.; Brito, E. A.; Nascimento, J. P. (2009). Crescimento vegetativo da palma forrageira (Opuntia fícus-indica) em função do espaçamento no Semiárido paraibano. Tecnologia e Ciência agropecuária, 3(1), 7-12. Disponível em: https://revistatca.pb.gov.br/edicoes/volume-03-2009/volume-3-numero-1-fevereiro-2009/tca02_palma.pdf. Acesso em: 14 set. 2020.

Pinheiro, K. M.; Silva, T. G. F.; Sousa Carvalho, H. F.; Santos, J. E. O.; Morais, J. E. F.; Zolnier, S.; Santos, D. C. (2014). Correlações do índice de área do cladódio com características morfogênicas e produtivas da palma forrageira. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 49(12), 939-947. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/pab/v49n12/0100-204X-pab-49-12-00939.pdf. Acesso em: 14 set. 2020.

Ramírez-Tobias, H. M.; Aguirre-Rivera, J. R.; Pinos-Rodriguez, J. M. (2010). Productivity of Opuntia ssp. and Nopalea sp. (Cactacea) growing under greenhouse hydroponics system. Journal of Food, Agricultura & Environment, 8, 660-665. Disponível em: https://www.cabdirect.org/cabdirect/abstract/20113031115. Acesso em: 14 set. 2020.

Ramos, J. P. F.; Leite, M. L. M. V.; Oliveira Junior, S.; Nascimento, J. P.; Santos, E. M. (2011). Crescimento Vegetativo de Opuntia Ficus-Indica em diferentes espaçamentos de plantio. Revista Caatinga, Mossoró, 24(3), 41-48. Disponível em: https://periodicos.ufersa.edu.br/index.php/caatinga/article/view/1602/4743. Acesso em: 14 set. 2020.

Santos, D. C.; Farias, I.; Lira, M. A.; Santos, M. V. F.; Arruda, G. P.; Coelho, R. S. B.; Dias, F. M.; Melo, J. N. (2006). Manejo e utilização da palma forrageira (Opuntia e Nopalea) em Pernambuco. Recife: IPA. 45p. Disponível em: http://www.ipa.br/publicacoes_tecnicas/Pal01.pdf. Acesso em: 14 set. 2020.

Saraiva, F. M. (2014). Desenvolvimento e acúmulo de nutrientes de palma forrageira (Nopalea) em diferentes sistemas de cultivo. 104p. Tese (Doutorado integrado em zootecnia) - Departamento de zootecnia, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife. Disponível em:http://www.tede2.ufrpe.br:8080/tede/bitstream/tede2/7023/2/Felipe%20Martins%20Saraiva.pdf. Acesso em: 23 fev. 2021.

Silva, D. J & Queiroz, A. C. (2002). Análise de Alimentos: métodos químicos e biológicos. 3. ed. Viçosa: UFV. 235p.

Silva, L. M.; Fagundes, L. L.; Viegas, P. A. A.; Muniz, E. N.; Rangel, J. H. A.; Moreira, A. L.; Backes, A. A. (2014a). Produtividade da palma forrageira cultivada em diferentes densidades de plantio. Ciência Rural, Santa Maria, 44(11), 2064-2071. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cr/v44n11/0103-8478-cr-44-11-02064.pdf. Acesso em: 14 set. 2020.

Silva, T. G. F.; Miranda, K. R.; Santos, D. C.; Queiroz, M. G.; Silva, M. C.; Cruz Neto, J. F.; Araújo, J. E. M. (2014b). Área do cladódio de clones de palma forrageira: modelagem, análise e aplicabilidade. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife, 9(4), 633-641. Disponível em: http://www.agraria.pro.br/ojs-2.4.6/index.php?journal=agraria&page=article&op=view&path%5B%5D=agraria_v9i4a4344&path%5B%5D=255. Acesso em: 14 set. 2020.

Silva, T. G. F.; Araújo Primo, J. T.; Morais, J. E. F.; Diniz, W. J. S.; Souza, C. A. A.; Silva, M. C. (2015a). Crescimento e produtividade de clones de palma forrageira no semiárido e relações com variáveis meteorológicas. Revista Caatinga, 28, 10-18. Disponível em: https://periodicos.ufersa.edu.br/index.php/caatinga/article/view/3630/pdf_241. Acesso em: 14 set. 2020.

Silva, P. F.; Matos R. M.; Borges, V. E.; Junior, G. J. D.; Neto, J. D. (2015b). CRESCIMENTO E PRODUÇÃO DE PALMA FORRAGEIRA SOB FERTILIZAÇÃO MINERAL. Journal of Agronomic Sciences, Umuarama, 4(2), 96-115.

Snyman, H. A. (2006). Root distribution with changes in distance and depth of two-year-old cactus pears Opuntia ficus-indica and Opuntia robusta plants. South African Journal of Botany, 72, 434-441. Disponível em: https://reader.elsevier.com/reader/sd/pii/S0254629906000330?token=CBB47023FCFF6B17FA3079E0FDD49647637674B822A5373BB571D51DB1A63F58C6F9A095C92CAF3D864C7BBC32CBFA01. Acesso em: 14 set. 2020.

Soares, M. S. (2017). Palma forrageira: aspecto do cultivo e desempenho animal. Nutritime Revista Eletrônica, on-line, Viçosa, 14(4), 6041-6055. Disponível em: http://www.nutritime.com.br/arquivos_internos/artigos/Artigo_431.pdf. Acesso em: 12 set. 2020.

Taiz, L.; Zeiger, E.; Moller, I.; Murphy, A. (2017). Fisiologia e desenvolvimento vegetal. 6.ed. Porto Alegre: Artmed. 858p.

Downloads

Publicado

18/06/2021

Como Citar

de Lira, E. C., Araújo, J. da S., Felix, E. dos S., Nascimento, G. V. do, Oliveira Filho, T. J. de, Souza, J. T. A., & Pereira, D. D. (2021). PRODUTIVIDADE DE CULTURAS ANUAIS EM SISTEMA DE CONSÓRCIO COM A PALMA FORRAGEIRA RESISTENTE À COCHONILHA-DO-CARMIM (Dactylopius opuntiae Cockerell). HOLOS, 2, 1–12. https://doi.org/10.15628/holos.2021.11212

Edição

Seção

ARTIGOS