INFLUÊNCIA DO PÓ DE PEDRA E BORRACHA DE PNEU INSERVÍVEL COMO AGREGADOS NO CONCRETO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2021.9661

Palavras-chave:

Concreto. Pó de Pedra. Borracha de Pneu Inservível. Sustentabilidade.

Resumo

A indústria da construção civil é uma das principais consumidoras de recursos naturais, gerando enormes impactos ambientais. Tal verdade tem motivado diversos estudos sobre produzir determinado produto de forma sustentável, como é o caso do concreto, por exemplo, em substituir os agregados. Com isso, o presente trabalho teve como objetivo estudar as respostas do concreto, em concordância com a utilização dos rejeitos do pó de pedra em substituição ao agregado miúdo e a borracha de pneu inservível em substituição ao agregado graúdo. Realizou-se um programa experimental a partir da caracterização dos materiais, produção de corpos de prova e verificação do concreto no seu estado fresco e endurecido. Após a elaboração de um traço referência que atingisse uma resistência à compressão superior a 25 MPa aos 28 dias, sucedeu-se a substituição dos agregados tradicionais para o de uso alternativos em proporções de 10%, 15%, 20%, 30%, 40% e 50%. Por fim, comprovou-se que o pó de pedra e a borracha de pneu inservível pode ser substituído em até 15% aos agregados tradicionais para concretos de fins estruturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

José Anselmo da Silva Neto, Universidade Federal da Paraíba (UFPB) - Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental (PPGECAM).

Graduado de Tecnologia em Construção de Edifícios pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB), Campus Campina Grande (2018). Mestrando em Engenharia Civil na Universidade Federal da Paraíba pelo Programa de Pós Graduação em Engenharia Civil e Ambiental (PPGECAM - UFPB), com ênfase em Estruturas e Materiais. Atualmente desempenha estudos laboratoriais para diagnóstico experimental de argamassas e concretos utilizando metodologias para modelos sustentáveis, tendo como fundamentação o "pensar globalmente, agir localmente" ao focar na necessidade de realinhar essas práticas construtivas com modelos sustentáveis de habitação. Como pesquisador, têm experiência na área de Engenharia Civil, com foco em Tecnologia dos Materiais e Adequação Ambiental, atuando nos seguintes temas: compósitos de matrizes cimentícias (Concretos e Argamassas: propriedades reológicas, mecânicas e durabilidade), materiais pozolânicos, resíduos industriais, materiais ativados alcalinamente (argamassas e concretos) e construção sustentável.

Marcos Severino de Lima, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba - IFPB, Campus Campina Grande

Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal da Paraíba (1985) e mestrado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Campina Grande (2005). Atualmente é professor efetivo do Instituto Federal de Ciência , Educação e Tecnologia da Paraíba. Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Processos Construtivos.

Aline Figueirêdo Nóbrega de Azerêdo, Universidade Federal de Campina Grande - UFCG

Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal da Paraíba (2005), mestrado em Engenharia Urbana pela Universidade Federal da Paraíba (2007) e doutorado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Pernambuco (2012) com período sanduíche de 1 ano na University of Illinois at Urbana-Champaign - EUA. Foi professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba no curso de técnico de Edificações (2014 a 2018) Atualmente (desde 08/2018) é professora adjunta da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e também é professora permanente (orientadora de mestrado) do Curso de Pós Graduação em Engenharia Civil e Ambiental da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). É líder do grupo de pesquisa Estruturas e Materiais (UFCG) e integrante de grupos de pesquisa no diretório do CNPq denominado: Edificações: Estruturas, Materiais e Desempenho (UFPB), Estudo e Aplicação de Tecnologia de Materiais para o Desenvolvimento do Ambiente Construído (UFPE), Materiais e construções sustentáveis (IFPB), experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Materiais e Componentes de Construção, atuando principalmente nos seguintes temas: materiais pozolânicos, ligantes, cal, argamassas convencionais e históricas e resíduos industriais. 

Givanildo Alves de Azerêdo, Universidade Federal da Paraíba - UFPB

Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal da Paraíba (1994), mestrado em Matériaux et Structures - Génie Civil - Ecole Nationale des Travaux Publics de l'Etat (2001), em Lyon - França, mestrado em Estruturas - Engenharia Civil pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1997), na área de modelagem numérica pelo Método dos Elementos Finitos e doutorado em Génie Civil - Institut National Des Sciences Appliquées (2005), em Lyon - França. Atualmente é professor Associado II da Universidade Federal da Paraíba. Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Construções Em Terra Crua, Alvenarias e em Estruturas de Concreto Armado, atuando principalmente nos seguintes temas: Reologia das pastas, argamassas e concretos, Comportamento estrutural de alvenarias e Dimensionamento de Estruturas de Concreto Armado. No ano de 2011, realizou na University of Illinois at Urbana-Champaign, nos Estados Unidos, o pós-doutorado no tema da Reologia Dinâmica de pastas cimentícias. 

Referências

ÂNGULO, S. C.; ZORDAN, S. E.; JOHN, V. M. Desenvolvimento sustentável e a reciclagem de resíduos na construção civil. In: SEMINÁRIO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A RECICLAGEM NA CONSTRUÇÃO CIVIL - MATERIAIS RECICLADOS E SUAS APLICAÇÕES, 4., 2011, Belo Horizonte- MG. Anais.... Belo Horizonte: IBRACON, 2015. p. 43 - 56.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 5738: Concreto - Procedimento para moldagem e cura de corpos-de-prova: NBR 5739. Rio de Janeiro, 2003.

______. NBR 6467: Determinação do inchamento do agregado miúdo. Rio de Janeiro, 2006.

______. NBR 7218: Determinação do teor de argila em torrões e materiais friáveis. Rio de Janeiro, 2010.

______. NBR 9778: Argamassa e concreto endurecidos - Determinação da absorção de água, índice de vazios e massa específica. Rio de Janeiro, 1994.

______. NBR 9939: Determinação do teor de umidade total. Rio de Janeiro, 2011.

______. NBR NM 287: Determinação do teor de umidade- Método da secagem por estufa. Rio de Janeiro, 2012.

______. NBR NM 46: Determinação do material fino que passa através da peneira 75 µm, por lavagem. Rio de Janeiro, 2003.

______. NBR NM 47: Concreto - Determinação do teor de ar em concreto fresco. Rio de Janeiro, 2002.

______. NBR NM 67: Concreto - Determinação da consistência pelo abatimento do tronco de cone: NBR NM 67. Rio de Janeiro, 1998.

______. NBR NM 7217: Determinação da composição granulométrica- Rio de Janeiro, 2009.

______. NBR NM 7219/82: Determinação do teor de material pulverulento - Rio de Janeiro, 1987.

______. NBR NM 7251: Determinação da massa unitária em estado solto- Rio de Janeiro, 1982.

______. NBR NM 8953: Concreto para fins estruturais – Classificação pela massa específica, por grupos de resistência e consistência (Concrete for structural use – Densitu, strength and consistence classification). Rio de Janeiro, 2015.

______. NBR NM 9776: Determinação da massa específica pelo frasco de chapmam- Rio de Janeiro, 1987.

______. NBR NM 9937: Determinação da massa específica pelo método da proveta- Rio de Janeiro, 1987.

BASHAR, S. M.; KHANDAKER, M.; H. ANWAR.; et al. Properties of crumb rubber hollow concrete block. J. Cleaner Prod., Vol. 23, p. 57-67, 2012.

BENAZZOUK, O. D; LANGLET, T.; MEZREB, K.; J.M; et al. Physico-mechanical properties and water absorption of cement composite containing shredded rubber wastes. Cement Concr. Compos. V. 29, pp. 732-740, 2007.

BLESSEN, S. T.; GUPTA, R.; PANIKAR, J. Experimental and modeling studies on high strength concrete containing waste tire rubber. Sustainable Cities Soc., V.19, pp. 68-73, 2015.

BLESSEN, T. S.; GUPTA, J.C; PANICKER, V. J. Recycling of waste tire rubber as aggregate in concrete: durability-related performance. J. Cleaner Prod. (2015). Available online 26 February.

FERNANDES, A. V. B.; AMORIM, J. R. Concreto sustentável aplicado na construção civil. Caderno de Graduação-Ciências Exatas e Tecnológicas-UNIT, v. 2, n. 1, p. 79-104, 2014.

FIONTI, C.F.; AKASAKI J.L.; NIRSCHL G.C.; “Estudo da viabilidade de produção dos blocos estruturais de concreto com adição de resíduos de borracha.”; 44° Congresso Brasileiro do Concreto (IBRACON), Belo Horizonte, 2002.

GARRICK, G. M. Analysis and Testing of Waste Tire Fiber Modified Concrete. (M.S. thesis). Department of Mechanical Engineering, B.S., Louisiana State University, 2001.

GIANSANTE, A. E.; LEVY, S. M. As implicações dos resíduos da construção civil na limpeza pública. In: SEMINÁRIO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A RECICLAGEM NA CONSTRUÇÃO CIVIL - MATERIAIS RECICLADOS E SUAS APLICAÇÕES, 4., 2011, Belo Horizonte - MG. Anais... . Belo Horizonte: IBRACON, 2015. p. 39 - 42.

GIRKAS, G.; NAGROCKIENE, D. Crushed rubber waste impact of concrete basic properties. Constr. Build. Mater., Vol. 140, p. 36-42, 2017.

JALAL, M.; ARABALI, P.; GRASLEY, Z.; et al. Behavior assessment, regression analysis and support vector machine (SVM) modeling of waste tire rubberized concrete. Journal of Cleaner Production, v. 273, p. 122960, 2020.

JALAL, M.; NASSIR, N.; JALAL, H. Waste tire rubber and pozzolans in concrete: A trade-off between cleaner production and mechanical properties in a greener concrete. Journal of Cleaner Production, v. 238, p. 117882, 2019.

JANG, J. W.; YOO, T. S.; OHANDA, J. H.; IWASAKI, I. Discarded tire recycling practices in the United States, Japan and Korea. Resour. Conserv. Recycl., Vol. 22, pp. 1-14, 1998.

KAKROODI, A.R.; LEDUC, S.; NUNEZ, R. G.; RODRIGUES, D. Mechanical properties of recycled polypropylene/SBR crumb rubber blends reinforced by birch wood flour. Polym. Polym. Compos., Vol. 20, n°5, p. 439-444, 2012.

KARIMIPOUR, A.; GHALEHNOVI, M.; DE BRITO, Jorge. Mechanical and durability properties of steel fibre-reinforced rubberised concrete. Construction and Building Materials, v. 257, p. 119463, 2020.

KOGEL, J. E., TRIVEDI, N. C., and BARKER, J. M. Industrial minerals and rocks, 7th Ed., Society for Mining, Metallurgy and Exploration, Englewood, CO. 2016.

LANGER, W. H., DREW, L. J., and SACHS, J. S. Aggregate and the environment: Production, construction, reclamation. American Geological Institute, Alexandria. 2014.

MARTINS DE SOUZA et al. Utilização do pó de pedra em substituição a areia natural na produção do concreto. Faculdade Capixaba de Nova Venécia – Multivix Engenharia Civil. Nova Venécia, p.18, 2016.

MECHI, A.; SANCHES, D. L. Impactos ambientais da mineração no Estado de São Paulo. Revista Estudos Avançados (USP), n. 68, vol. 24. São Paulo, 2010.

MEHTA, P. K.; MONTEIRO, P. J. M. Concreto: estrutura, propriedades e materiais. São Paulo: Pini, 2014, 573 p.

MENOSSI, RÔMULO T. Utilização do pó de pedra basáltica em substituição à areia natural do concreto. Ilha Solteira, 2004. 97p. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, Universidade Estadual Paulista.

MOREIRA, J.F.; FIDELIS, V.R.P.; DIAS, J.F. Concreto com borracha de pneus aplicado em ciclovia. Revista Holos Environment, V.14, n.2, p.185. 2014.

NAIK, T. R.; MORICONI, G. Environmental-friendly durable concrete made with recycled materials for sustainable concrete construction, in: International Symposium on Sustainable Development of Cement, Concrete and Concrete Structures, Toronto, Ontario, October, 2015, pp. 5–7.

NOBRE FILHO, et al. Sustentabilidade ambiental da extração de áridos: A lavra de areia no canal ativo do Rio Canindé – Paramoti – Ceará. Geociências. São Paulo, UNESC, v. 31, n. 1, p. 5-12, 2012.

NORMA PORTUGUESA. NP EN 206-1: Especificação, desempenho, produção e conformidade de betão, Notas de estudo de Gestão Ambiental. Portugal, 2007.

ONUAGULUCHI. O; PANESAR, D. K. Hardened properties of concrete mixes containing pre-coated crumb rubber and silica fume. J. Cleaner Prod., Vol. 82, pp. 125-131, 2014.

PAPAKONSTANTINOU, C. G.; TOBOLSKI, M, J. Use of waste tire steel beads in Portland cement concrete. Cement Concr. Res., Vol. 36, p. 1686-1691, 2006.

PINTO, N. A.; FIORITI, C. F. AVALIAÇÃO DE ARGAMASSAS MISTAS DE REVESTIMENTO PRODUZIDAS COM BORRACHA DE PNEUS. Revista TECNO-LÓGICA. V.20, n.2, p. 103. 2016.

RASHID, K.; YAZDANBAKHSH, A.; REHMAN, M. Sustainable selection of the concrete incorporating recycled tire aggregate to be used as medium to low strength material. Journal of Cleaner Production, v. 224, p. 396–410, 2019.

SALLES, F. M.; TASHIMA, M. M.; FAZZAN, J. V.; CAMACHO, J. S.; AKASAKI, L.; MELGUES, J. L. P.; MENOSSI, T. Pó de pedra: uma alternativa ou um complemento ao uso da areia na elaboração de misturas de concreto. HOLOS Environment. V.10, n. 2, 2010. p. 209. ISSN:1519-8634 (ON-LINE).

SEGRE, N. C. Reutilização de borracha de pneus usados como adição em pasta de cimento. Tese de Doutorado, Universidade Estadual de Campinas – Instituto de Química. Campinas, 1999.

SILVA, L. S., DEMETRIO, J. C. C., DEMETRIO, F.J. C. Concreto Sustentável: Substituição da Areia Natural por Pó de Brita para Confecção de Concreto Simples. Universidade Estadual do Maranhão, UEMA, São Luís – MA, 2015.

SU, H.; YANG, J.; LING, T. C.; GHATAORA, G. S.; DIRAR, S. Properties of concrete prepared with waste tyre rubber particles of uniform and varying sizes. J. Cleaner Prod., V.91, pp. 288-296, 2014.

WEIDONG, C. Study on properties of recycled tire rubber modified asphalt mixes using dry process. Constr. Build. Mater., Vol. 21, n° 5, p. 1011-1015, 2007.

WONG, S; TING, S. Use of recycled rubber tires in normal- and high-strength concretes. ACI Mater. J. (2009)

XIANG, S. H. BAOSHAN. Recycling of waste tire rubber in asphalt and Portland cement concrete: an overview. Constr. Build. Mater., Vol. 67 (Part B), p. 217-224, 2014.

YONGHUI, Z. H.; MIZI, F.; LIHUI, C. JIANDONG, Z. Lignocellulosic fibre mediated rubber composites: an overview. Compos. B Eng., 76, p. 180-191, 2015.

Downloads

Publicado

18/06/2021

Como Citar

da Silva Neto, J. A., de Lima, M. S., de Azerêdo, A. F. N., & de Azerêdo, G. A. (2021). INFLUÊNCIA DO PÓ DE PEDRA E BORRACHA DE PNEU INSERVÍVEL COMO AGREGADOS NO CONCRETO. HOLOS, 2, 1–17. https://doi.org/10.15628/holos.2021.9661

Edição

Seção

ARTIGOS