COMPORTAMENTO MECÂNICO DO COMPÓSITO PRFV QUANDO IMERSO EM ÁGUA DO MAR POR TEMPO PROLONGADO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2017.5320

Palavras-chave:

Compósitos Poliméricos, Degradação Mecânica, Água do Mar, Propriedades Mecânicas

Resumo

No setor industrial, materiais que apresentem bom desempenho mecânico atrelado com uma vida útil elevada e a uma boa relação custo/benefício vem a cada dia sendo mais procurado, diante disso, os materiais compósitos, dentre eles os compósitos poliméricos fibrosos estão a cada dia  sendo mais utilizados, pois estes desempenham determinadas funções que os materiais convencionais não conseguem desempenhar. No entanto, em se tratando dos compósitos poliméricos é importante que se saiba de fato qual o comportamento que este material tem quando está em situações adversas como em contanto com os fluidos de processo ou até mesmo com calor.  Desta forma, o objetivo dessa pesquisa foi desenvolver um compósito utilizando uma matriz polimérica de resina poliéster com reforço fibroso de manta de vidro-E, onde este foi imerso em água do mar por um período de 1460 dias. Os corpos de prova (CP’s) foram submetidos ao ensaio de tração uniaxial, buscando determinar resistência e módulo de tração. Feito isso, realizou-se um comparativo das propriedades mecânicas para todas as condições de ensaio como estado seco e água do mar. Além disso, foi caracterizada a fratura final dos CP’s para a condição de imersão.  Ao término dos ensaios observou-se perda nas propriedades mecânicas para a condição de ensaio de tração após o período de imersão, porém esta perda não invalida o seu uso uma vez considerando estes parâmetros durante a elaboração do projeto estrutural. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ricardo Alex Dantas da Cunha, IFPA

Departamento de Ensino

Jayna Kátia Dionísio Santos, IFCE

Departamento de Ensino

Renata Carla Tavares dos Santos Felipe, IFRN

Diretoria Acadêmica de Indústria

Raimundo Nonato Barbosa Felipe, IFRN

Diretoria Acadêmica de Indústria

Referências

ASTM D 3039: Standard Test Method for Tensile Properties of Oriented Fiber Composites, 2008.

ASTM D 792: Standard Test Methods for Specific Gravity and Density of Plastics by Displacement - American Society for Testing and Materials, 2008.

ASTM D 3171: Standard Test Methods for Constituent Content of Composite Materials, 2004.

ASTM D 2563: Standard Practice for Classifying Visual Defects in Glass Reinforced Plastic Laminate Parts1, 2008.

Boger L., Wichmann M., Meyer, L. & Schulte, K. (2008). Load and health monitoring in glass fiber reinforced composites with an electrically conductive nanocomposite epoxy matrix. Composite Science Technologies. 68 (7-8), 1886 – 1894.

Cavalcanti, W. S., Carvalho, L. H. & Lima, A. G. B. (2005). Difusão de água em compósito poliéster insaturado reforçados por tecido híbrido de juta-vidro: modelagem e simulação. Revista Matéria. 10 (1), 14-23.

Felipe, Renata Carla Tavares Santos (2012). Envelhecimento ambiental acelerado em PRF a base de tecidos híbridos kevlar/vidro: propriedades e instabilidade estrutural. (Tese de doutorado) Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN.

Gupta, N., Brar, B.S. & Woldesenbet E. (2001). Effect of filler addition on the compressive and impact properties of glass fibre reinforced epoxy. Bulletin of Materials Science. 24 (2), 219–223.

Hull, D. & Clyne, T. W. (1996). An introduction to composite materials Ed. Cambridge University Press, Cambridge.

Loyola, B. R., Saponara, V. L. & Loh, K. J. (2010). In situ strain monitoring of fiber-reinforced polymers using embedded piezoresistive nanocomposites. Journal of Materials Science, 45 (24), 6786–6798.

Leonard, L. W. H; Wong, K. J & Low, K. O. J (2009). Fracture behaviour of glass fibre reinforced polyester composite. Journal of Materials: Design and Applications. 223 (2), 83–89.

Mendonça, P. T. R. (2005). Materiais compostos & estruturas-sanduíches. Ed: Manoele.

Sathishkumar ,T.P., Satheeshkumar, S. & Naveen, J. (2014). Glass fiber-reinforced polymer composites – a review. Journal of Reinforced Plastics and Composites. 33 (13), 1258–1275.

Rafiee, R. & Reshadi, F. (2014). Simulation of functional failure in GRP mortar pipes. Composite Structures Elsevier. 113, 155-163.

Sridhar, I. & Venkatesha, C. S. (2013). Variation of damping property of polymer composite under saline water treatment. International journal of innovations in engineering and technology. International Journal of Innovations in Engineering and Technology. 2 (1), 420–423.

Todo, M., Nakamura, T., Mada, T. & Takahashi, K. (2000). Effects of moisture absorption on the dynamic interlaminar fracture toughness of carbon/epoxy composites. Journal of Composite Materials. 34 (8), 630 - 648.

Zhai, Z., Chen, X., He, Z., Ye, J. & Zhu, X. (2014). Micromechanical modeling on the rate-dependent viscoplastic behavior of polymer composites with thermal residual stress effect. Journal of Reinforced Plastics and Composites. 33 (17), 1574–1589.

Downloads

Publicado

19/09/2017

Como Citar

Cunha, R. A. D. da, Santos, J. K. D., Felipe, R. C. T. dos S., & Felipe, R. N. B. (2017). COMPORTAMENTO MECÂNICO DO COMPÓSITO PRFV QUANDO IMERSO EM ÁGUA DO MAR POR TEMPO PROLONGADO. HOLOS, 4, 78–87. https://doi.org/10.15628/holos.2017.5320

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)