DESENVOLVIMENTO E POLÍTICAS SOCIAIS FOCALIZADAS: DA CONCEPÇÃO DE ESTADO À CONCEPÇÃO DE MERCADO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2017.5040

Palavras-chave:

Política Social, Residual, Redistributiva

Resumo

O objeto de investigação do presente texto é a política social focalizada, em particular, busca demonstrar que as políticas sociais focalizadas não são apenas de cunho residual, podem ser ainda aliadas à políticas universalizantes, o que as tornam redistributiva. Tal objetivo se faz salutar no momento em que as políticas sociais focalizadas são crucificadas como apenas residuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Draibe, S. M. (2003). A política social no período FHC e o sistema de proteção social. Tempo Social, p. 63-101.

Esping-Andersen, G. (1991). As Três Economias do Welfare State. Lua Nova, n. 24, p. 85-116.

Kerstenetzky, C. L. (2012). O Estado do Bem-Estar Social na Idade da Razão: a reivenção do estado social no mundo contemporâneo. Rio de Janeiro: Elsevier.

Kerstenetzky, C. L. (2009). Redistribuição e Desenvolvimento? A Economia Política do Programa Bolsa Família. Dados, v. 52, n. 1, p. 53-83.

Kerstenetzky, C. L. (2006). Políticas Sociais: focalização ou universalização? Revista de Economia Política, v. 26, n. 4, p. 564-574.

Marshall, T. H. (1967). Cidadania, Classe Social e Status. Rio de Janeiro: Zahar.

Moraes, R. (2001). Neoliberalismo: de onde vem, para onde vai? São Paulo: Editora Senac.

Offe, C. & Lenhardt, G. Teoria do Estado e Política Social: tentativas de explicação político-sociológica para as funções e os processos inovadores da política social. In. Offe, C. (1984). Problemas Estruturais do Estado Capitalista. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

Smith, A. (1983). A Riqueza das Nações: investigação sobre sua natureza e suas coisas. Vol. 2. São Paulo: Abril Cultural.

Downloads

Publicado

18/07/2017

Como Citar

Gomes da Silva, F. R. B., & Lima, A. J. (2017). DESENVOLVIMENTO E POLÍTICAS SOCIAIS FOCALIZADAS: DA CONCEPÇÃO DE ESTADO À CONCEPÇÃO DE MERCADO. HOLOS, 1, 361–373. https://doi.org/10.15628/holos.2017.5040

Edição

Seção

ARTIGOS