AVALIAÇÃO DO EFLUENTE DO DESSALINIZADOR E DA TILAPICULTURA EM SÃO JOSÉ DO SERIDÓ-RN

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2016.3643

Palavras-chave:

Reuso de água, piscicultura, dessalinização, qualidade da água, efluente

Resumo

A exploração das águas subterrâneas como forma de complementar e suprir a demanda de água na região do semiárido brasileiro, têm se tornado uma alternativa bastante utilizada pelo governo federal. Entretanto, devido aos altos teores de sais dissolvidos presentes nestas águas, a utilização de um tratamento para deixá-la potável é indispensável. O processo mais utilizado para este tratamento é o da dessalinização por osmose reversa, o qual produz certa quantidade de água potável e um rejeito bastante salino. Diversos estudos têm tentado encontrar uma alternativa para o aproveitamento deste efluente gerado, com o objetivo de minimizar o impacto ambiental. Uma forma de uso do efluente do dessalinizador é a sua aplicação em tanque de piscicultura, na qual a criação de tilápia tem apresentado um bom desempenho. Neste artigo buscou-se avaliar a qualidade do efluente da criação de tilápia na unidade demonstrativa da comunidade de Caatinga Grande no município de São José do Seridó - RN, com o uso de água proveniente de rejeito de dessalinizador. Para isso, foram medidos os parâmetros de condutividade elétrica, salinidade, cloreto, dureza da água do poço e do rejeito do dessalinizador. Buscou-se ainda quantificar os parâmetros físico-químicos do efluente da criação de tilápia, visando à aplicação na agricultura. Nesse sentido, os coliformes termotolerantes presentes no efluente da tilapicultura foram quantificados. O estudo é norteado pela lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981, a qual estabelece a Política Nacional do Meio Ambiente e define padrões de qualidade ambiental, e pelas resoluções nº 357, 396 e 430 do CONAMA.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Jose Américo Grilo, IFRN

Doutor em recursos naturais,Mestre em Engenharia sanitária.

Claudio Cesar de Medeiros Braga, IFRN

DIAC-QUÍMICA

MILTON BEZERRA DO VALE, IFRN

DIAREN-RECURSOS NATURAIS

JENNIFER KELLY SIVA DE OLIVEIRA, IFRN

DIAREN-MINERAÇÃO

RUBAYAT D. BEZERRA, IFRN

DIAREN-GESTAO AMBIENTAL

Referências

ARAUJO, Glacio Souza et al. CULTIVO DA TILÁPIA DO NILO EM TANQUES-REDE CIRCULARES EM DIFERENTES DENSIDADES DE ESTOCAGEM. Biosci. J, Uberlândia, p.428-434, 2010. Disponível em: <http://www.seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/viewFile/7080/4856>. Acesso em: 07 out. 2015.

AYERS, R. S., WESTCOT, D. W. A qualidade da água na agricultura. Disponível em: <http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&tl=pt&u=http%3A%2F%2Fwww.fao.org%2Fag%2Fagl%2Fpublic.stm>.

BARBOSA, Ana Célia Araújo; MOURA, Ezequias Viana de; SANTOS, Rafson Varela dos. CULTIVO DE TILÁPIAS EM GAIOLAS. Natal: Emparn, 2010. Disponível em: <http://adcon.rn.gov.br/ACERVO/EMPARN/DOC/DOC000000000024667.PDF>. Acesso em: 09 out. 2015.

BOYD, C. E. Manejo do solo e da qualidade da água em viveiros de aquicultura. American Soybean Association, USA (Tradução Eduardo Ono), 1997, 55p.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente: Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA. Resolução nº 357, de 17 de março de 2005. Classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para seu enquadramento, Brasília, DF.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente: Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA. Resolução nº 430, de 13 de maio de 2011. condições e padrões de lançamento de efluentes, complementa e altera a Resolução no 357, de 17 de março de 2005, do Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA, Brasília, DF.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente: Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA. Resolução nº 396, de 03 de abril de 2008. Classificação e diretrizes ambientais para o enquadramento das águas subterrâneas e dá outras providências, Brasília, DF.

BRASIL. Ministério da Saúde. MS. Portaria nº 2.914, de 12 de dezembro de 2011. Procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade, Brasília, DF.

COSME, C. R. Avaliação da qualidade da água proveniente de estações de tratamento de água salobra na zona rural do município de Mossoró-RN. 2011.

CPRM. Projeto Cadastro de Fontes de Abastecimento por Água Subterrânea. Recife, 2005. Disponível em: <http://www.cprm.gov.br/rehi/atlas/rgnorte/relatorios/SJDS140.PDF> Acesso em 29 set. 2015.

EDWARDS, Peter. Aquaculture environment interactions: Past, present and likely future trends. Aquaculture, n. 447, p.2-14, 2015. Disponível em: . Acesso em: 29 set. 2015.

IDEMA. Perfil do seu município. Natal, 2008. Disponível em:<http://www.idema.rn.gov.br/contentproducao/aplicacao/idema/socio_economicos/arquivos/Perfil%202008/S%C3%A3o%20Jos%C3%A9%20do%20Serid%C3%B3.pdf> Acesso em 29 set. 2015.

Instituto Nacional do Semiárido. RECURSOS HÍDRICOS EM REGIÕES SEMIÁRIDAS: RECURSOS HÍDRICOS EM REGIÕES SEMIÁRIDAS. Campina Grande: Editoração Eletrônica, 2012. Disponível em: <http://www.insa.gov.br/wp-content/themes/insa_theme/acervo/recursos-hidricos-II.pdf>. Acesso em: 23 set. 2015.

KUBITZA, F. 2000. Tilápias: água, cultivo, produção, nutrição e sanidade – Parte I. Revista Panorama da Aquicultura, Rio de Janeiro, 2000, p.44-53, mai/jun. Disponível em:<http://www.acquaimagem.com.br/docs/Pan59_Kubitza.pdf> Acesso em: 29 set. 2015.

KUBITZA, Fernando. Tilápia em água doce e salgada: Uma boa alternativa de cultivo para estuários e viveiros litorâneos. Panorama da Aquicultura, v. 15, n. 88, p.14-18, 2005. Disponível em: <http://web.uvic.ca/~soed/documents/Kubitza%20Collection%20II.pdf>. Acesso em: 26 out. 2015.

LOW, Kah Hin et al. Distribution and health risk assessment of trace metals in freshwater tilapia from three different aquaculture sites in Jelebu Region (Malaysia). Food Chemistry, n. 177, p.390-396, 2015. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2015.

MÁRCIA GONÇALVES PIZAIA, 46., 2008, Rio Branco. A PISCICULTURA NO BRASIL: UM ESTUDO SOBRE A PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE “OREOCHROMIS NILOTICUS”. Rio Branco: -, 2008. 16 p. Disponível em: <http://www.sober.org.br/palestra/9/497.pdf>. Acesso em: 29 set. 2015.

PAULINO, Renata Vale. ARAÚJO, Odilon Juvino; PORTO, Everaldo Rocha. Cultivo de tilápia rosa (Oreochromis sp.) utilizando-se rejeito de dessalinização de água salobra subterrânea. XIII Congresso Brasileiro de Engenharia de Pesca, 2003, Porto Seguro. Anais... Porto Seguro: XIII CONBEP, 2003. p. 796-804.

QUEIROZ, J. F. de. Recomendações práticas para Melhorar a Qualidade da Água e dos Efluentes dos Viveiros de Aquicultura. Jaguariúna, EMPRABA. 2006.

RICHARDS, L.A. (ed.). Diagnosis and improvement of saline and alkali soils. Washington D.C.: U.S. Salinity Labratory., 1954. 160p. (USDA. Agriculture Handbook, 60). Disponível em http://naldc.nal.usda.gov/download/CAT87210573/PDF

SOUZA, Ana Cláudia Medeiros. MANEJO INTEGRADO DO REJEITO DA DESSALINIZAÇÃO DA ÁGUA SALOBRA NA AGRICULTURA. 2014. 47 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Gestão Ambiental, Departamento de Ciências Ambientais e Tecnológicas, Universidade Federal Rural do Semiárido, Mossoró, 2014. Disponível em: <http://ppgmsa.ufersa.edu.br/wp-content/uploads/sites/59/2014/10/Dissertação-ANA-CLÁUDIA-MEDEIROS-SOUZA.pdf>. Acesso em: 23 set. 2015.

Downloads

Publicado

12/11/2016

Como Citar

Grilo, J. A., Braga, C. C. de M., VALE, M. B. D., OLIVEIRA, J. K. S. D., & BEZERRA, R. D. (2016). AVALIAÇÃO DO EFLUENTE DO DESSALINIZADOR E DA TILAPICULTURA EM SÃO JOSÉ DO SERIDÓ-RN. HOLOS, 7, 194–208. https://doi.org/10.15628/holos.2016.3643

Edição

Seção

ARTIGOS