MICROALGAS CHLOROPHYTAS E VARIÁVEIS LIMNOLÓGICAS DE UMA MICROBACIA URBANA - CUIABÁ-MATO GROSSO/BRASIL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2019.2969

Palavras-chave:

Parâmetros Ambientais, Bioindicadores, Recursos Hídricos.

Resumo

Avaliações ambientais quando associam bioindicadores e variáveis limnológicas possuem maior precisão em diagnosticar a qualidade explicar ações de causa e efeito de uEm ecossistema. Este trabalho tem o objetivo de medir variáveis limnológicas e realizar o levantamento de microalgas Chlorophytas, na Lagoa Paiaguás- Cuiabá, Mato Grosso, afim de caracterizar a qualidade ambiental desse ecossistema aquático urbano, visando a geração de informações que possam vir a servir como subsídios a gestão de recursos hídricos. As análises indicaram uma água com tendência a neutralidade, temperaturas altas e variações de nutrientes. Qualitativamente as Chlorophytas apresentaram 5 gêneros distribuídos em 3 famílias no período de estiagem e 14 gêneros distribuídos em 7 famílias no período de cheia. As variáveis limnológicas podem influenciar a composição qualitativa das microalgas, pois em todos os parâmetros analisados houve relação direta ou indireta com o metabolismo aquático da Lagoa Paiaguás.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Regiane Luiza Costa, Universidade Federal de Mato Grosso

Bióloga e Mestra em Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Mato Grosso

Fernanda Pereira Schults, Universidade de Cuiabá

Docente do Curso de Ciências Biológicas da Universidade de Cuiabá

Osmar da Cruz Nascimento, Químico na Secretaria de Estado de Meio Ambiente - MT

Químico na Secretaria de Estado de Meio Ambiente

Referências

ALMEIDA, E. M ; NASCIMENTO, O. C. Avaliação da Qualidade da Água da Microbacia do Córrego Pau Grosso Impactada por Exploração Garimpeira, Nova Marilândia- MT. - Utilizando o IQANSF. Monografia (bacharelado e licenciatura em Ciências Biológicas). Universidade de Várzea Grande, Mato Grosso, 2011.

ALVES, E. C. R. F; SILVINO, A.N.O; ANDRADE, N. L. R; SILVEIRA, A.Gestão dos Recursos Hídricos no Estado de Mato Grosso. RBRH — Revista Brasileira de Recursos Hídricos v. 14 n.3 p.69-80, Jul/Set 2009.

APHA - American Public Health Association /AWWA - American Water Works Association & WPCF/Water Pollution Control Federation. Standard Methods. Washington: Ed. APHA, 2005. 21ªEd.

BICUDO, C. E. M; BICUDO, R. M. T. Algas de águas continentais brasileiras. São Paulo: Fundec, 1970.

BICUDO,C.E.M; MENEZES, M. Gêneros de algas continentais do Brasil (chave para identificação e descrições). 2. ed. São Carlos: Rima, 2006.

BORTOLINI, J.C. et al. Chlorococcales planctônicas do Rio São João, Parque Nacional do Iguaçu Paraná, Brasil. Hoehnea . v. 37, n. 2, p. 315-330, 3 fig. 2010 a.

BORTOLINI,J.C. et al. Cosmarium Corda exRalfs ( Desmidiaceae) em um lago artificial urbano, Paraná, Brasil. Revista Brasileira de Biociências. Porto Alegre, v. 8, n.3, p.229-237, 2010 b.

BOURRELY, P. Lesalgues d’ eaudouce, Initiation à Systématique, I. LesAlgues Vertes- Paris: Boubeé& Cie. 1972.

BRAGA, J. K. et al. Análise dos Composto Nitrogenados de um Córrego com Influência de Lançamento de Esgoto Doméstico in natura em, Várzea Grande. In: Seminário Estadual de Recursos Hídricos em Mato Grosso, 9, Cuiabá, 14 a 16 de Out, Anais: Governo do Estado de Mato Grosso, Secretaria de Estado do Meio Ambiente- SEMA, Superintendência de Recursos Hídricos- SURH. p.129. 2009.

CALIJURI, M. C. (1988). Respostas fisioecológicas da comunidade fitoplanctônica e fatores ecológicos em ecossistemas com diferentes estágios de eutrofização. Tese (Doutorado em Engenharia) – Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, p. 293, 1988.

CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental. Coleta e Preservação de Amostras de Água. São Paulo, 1988.

CONAMA. Conselho Nacional de Meio Ambiente. Resolução 357 de 17 de Março de 2005. Dispões sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Disponível em:<http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res05/res35705.pdf./>. Acessadoem 16 abr. 2012.

CUNHA, D.G.F; CALIJURI, M.C. Análise probabilística de ocorrência de incompatibilidade da qualidade da água com o enquadramento legal de sistemas aquáticos – estudo de caso do rio Pariquera-Açu (SP). EngSanitAmbient. v.15, n.4, p. 337-346, Out/Dez. 2010.

GENTIL, R.C. Estrutura da Comunidade fitoplanctônica de pesqueiros da Região Metropolitana de São Paulo, SP,em dois períodos: primavera e verão. Tese ( Doutorado em Biodiversidade Vegetal e Meio Ambiente) – Instituto de Botânica da Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, São Paulo. p. 186 p. 2007.

HENTSCHKE, G. S; TORGAN, L.C. Chlorococcaleslatosensu (Chlorophyceae, excl. Desmodesmus e Scenedesmus) em ambientes aquáticos na Planície Costeira do Rio Grande do Sul, Brasil.

IHERINGIA.Sér.Bot. Porto Alegre, v. 65, n. 1, p. 87, 2010.

JUNQUEIRA, M. V; AMARANTE, M. C; DIAS, C. F. S; FRANÇA, E. S. Biomonitoramento da qualidade das águas da Bacia do Alto Rio das Velhas (MG/Brasil) através de macroinvertebrados. Acta LimnologicaBrasiliensia, v.12, n.1, p. 73-87, 2000.

MARQUES, D. M. et al. Consolidação e Homogeneização de Procedimentos para Monitoramento e Avaliação da Qualidade da Água: Procedimentos vigentes na FEMA/MT: Procedimentos Básicos para Monitoramento e Avaliação da Qualidade de Água. Cuiabá: Fundação Estadual do Meio Ambiente, 2002.

SEMA-MT- Secretaria de Estado do Meio Ambiente. Projeto: Monitoramento da Qualidade da Água da Lagoa Paiaguás. Cuiabá, 2004.

SEMA-MT. Relatório de Avaliação da Balneabilidade das Praias Fluviais- 2008 a 2010. Cuiabá, 2010.

SEMA-MT. Relatório de Biomonitoramento da Qualidade da Água na Lagoa Paiaguás, Cuiabá- MT em Março de 2007. Cuiabá, 2007.

SEMA-MT. Relatório de Monitoramento da Qualidade da Água da Região Hidrográfica do Paraguai 2007 a 2009. Cuiabá, 2011.

SILVA, A. V. C; SOUZA, G. R; ANDRADE, M. H. S. Aspectos Limnológicos do Córrego Mangueirão, em Aquidauana, MS. In: CONGRESSO DE BIÓLOGOS DO CRBio-01, 20, Corumbá, 17 a 20 jul. Anais: Conselho Regional de Biologia CRBio-01,2011, p. 142, 2011.

SOUZA, K.F; MELO, S. Levantamento Taxonômico de Desmidias(Chlorophyta) do lago Novo (Amapá, Brasil): Gêneros Staurastrum, Staurodesmus e Xanthidium. Acta Amazonica. v. 41, n. 3, p. 335-346, 2011.

Downloads

Publicado

03/12/2019

Como Citar

Costa, R. L., Schults, F. P., & Nascimento, O. da C. (2019). MICROALGAS CHLOROPHYTAS E VARIÁVEIS LIMNOLÓGICAS DE UMA MICROBACIA URBANA - CUIABÁ-MATO GROSSO/BRASIL. HOLOS, 1, 1–14. https://doi.org/10.15628/holos.2019.2969

Edição

Seção

ARTIGOS