INFLUÊNCIA DA DEGRADAÇÃO FOTOTERMOXIDATIVA NAS PROPRIEDADES DE BIOCOMBUSTIVEIS DE SEBO BOVINO

Autores

  • Vasco Lima Pinto Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Luiz Di Souza Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Anne Gabriela Santos Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Patrick Nunes Farias Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2015.1970

Palavras-chave:

Sebo Bovino, ecodiesel, Estabilidade Termoxidativa

Resumo

Preparou-se ecodieseis B15 e B20 com biodiesel produzido a partir do sebo bovino. Fez-se a caracterização físico-química de ambos e monitorou-se sua qualidade em função do tempo de armazenamento. Estudou-se a estabilidade térmica através da degradação fototermoxidativa do biodiesel em diferentes temperaturas por absorção molecular na região do UV-Vis. Os resultados indicam alterações ao longo do tempo de armazenamento, provocadas pela degradação molecular, que é confirmada no UV-Vis. Conclui-se que a metodologia é adequada para o estudo fototermoxidativo destes materiais e que após 7 meses, as propriedades analisadas continuam dentro dos padrões da ANP, exceto a viscosidade cinemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Vasco Lima Pinto, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Possui graduação em Licenciatura em Química pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (2012) e Mestrado em Ciências Naturais (PPGCN) Pela Faculdade de Ciências Exatas e Naturais (FANAT) na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Atualmente é professor titular nível III da Escola Estadual Professor Abel Freire Coelho e professor substituto da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). É professor supervisor do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência (PIBID/UERN/CAPES). Tem experiência na área de Química, com ênfase em Química dos Produtos Naturais, atuando principalmente nos seguintes temas: biodiesel, desenvolvimento sustentável, degradação oxidativa.

Luiz Di Souza, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Possui graduação em Engenharia Industrial Química pela Faculdade de Engenharia Química de Lorena (1987), mestrado (1992) e doutorado (1996) em Ciência e Engenharia dos Materiais pela Universidade Federal de São Carlos Atualmente é professor adjunto 4 do departamento de química e membro efetivo do mestrado em Ciências Naturais (MCN) da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Tem experiência na área de Engenharia Química, com ênfase em Polímeros, na área ambiental com pesquisas em monitoramento da qualidade da água e energia na área de , nanomateriais, síntese de novos catalisadores heterogêneos para produção de combustíveis e na área de síntese e controle de qualidade de combustíveis. Tem 10 trabalhos publicados em periódicos internacionais e dezenas de trabalhos publicados em periódicos e sítios de circulação nacional e cerca de 300 trabalhos publicados em anais de eventos científicos da área de química ou correlata. Participa de projeto de extensão que monitora a qualidade das água do Rio Grande do Norte (programa água azul) e como consultor de assuntos ambientais do Ministério publico local. Também atua na área de educação em química desenvolvendo ações que facilitem a aprendizagem pelo uso de técnicas que utilizam as artes cênicas (teatro cientifico) e na formação continuada de professores de química. 

Anne Gabriela Santos, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Professora da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN. Atualmente desenvolve trabalhos com biocombustível, catálise e ensino de química.

Patrick Nunes Farias, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Estudande de graduação em Licenciatura Química, 5º período na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN.

Referências

AMIN S. Review on biofuel oil and gas production processes from microalgae. Energy Conversionand Management, vol. 50, p. 1834–1840. 2009.

BRASIL. Presidência da República. Lei 11.097. Brasília: 2005. Disponível em <http://www.anp.gov.br/?id=CAPOBIANCO, 2010MOURA, 20080> Acessado em 02 de fevereiro de 2014.

CAPOBIANCO, J.P.R.; Do Rio Copenhague, sem escala em Kyoto. Política Externa, São Paulo, v. 18, n. 4, p. 37-43, mar./abr./maio, 2010.

FARIAS, P. N. ; PINTO, V. L. ; SILVA, A. A. L. ; FERNANDES, C. G. B. ; SANTOS, A. G. D.; SOUZA, L. D.. Estudo da estabilidade termoxidativa de biodiesel e ecodieseis de sebo bovino. Anais do VIII Salão de Iniciação Cientifica/ I Encontro de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, 2012.

FILHO, R.M.F.; FERREIRA, W.C.; Sociedades, mundos naturais e hitoriografia: perspectivas holísticas. Cadernos de História, Belo Horizonte, v.13, n. 19, 2º sem. 2012.

GOMES, A. F.; Obtenção e Caracterização do Material Lipídico e Biodiesel Proveniente da Microalga Monoraphidi1 sp. Dissertação (Mestrado em Química) UFRN, Natal – RN, 2013.

IPCC – Intergovernmental Panel on Climate Change, 2007: Climate Change 2007 - The Mitigation of Climate Change. Contribuição do grupo de trabalho III para o quarto relatório de avaliação do Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima. Cambridge University Press, New York / London, 851 p.

KNOTHE, G.; GERPEN , J. V.; KRAHL, J.; RAMOS, L.P.; Manual de Biodiesel, 1ª edição, São Paulo: Edgard Blucher, , páginas 133 à 145, 2006.

KRAUSE, L. C. Desenvolvimento do processo de produção de biodiesel de origem animal.F.147, Tese Doutorado em Química – UFRS, Porto Alegre – RS, 2008.

MILLI, B. B.; GRIPA, D. C.; SIMONELLI, G.; MARTINS, M. O. D. Produção de biodiesel a partir da mistura de sebo bovino com óleo vegetal. v.16, n.1, Revista Caderno de Pesquisa, PPPG/UFMA, 2009.

MOURA, K. R. M. Otimização do processo de produção de biodiesel metílico do Sebo bovino aplicando 1 delineamento composto central Rotacional (dccr) e a avaliação da estabilidade térmica.Tese (DoutoradoemQuímica) UFPB, JoãoPessoal – PB, 2008.

ÖNER, C., ALTUN, S. Biodiesel production from inedible animal tallow and na experimental invertigation of its use alternative fuel in a injection diesel engine.Applied Energy, v. 86, p. 2114-2120, 2009.

PINTO, V. L. ; Oliveira, FAG ; SOUZA, L.D. ou Souza, L. ; SOUZA, L.D. ou Souza, L. ; SANTOS, Anne Gabriella Dias . Evolução da degradação oxidativa de ecodieseis de Girassol e Algodão. Química: Ciência tecnologia e sociedade, v. 1, p. 25-36, 2012.

SANTOS, A. G. D.;.Avaliação da Estabilidade Térmica e Oxidativa do Biodiesel de Algodão, Girassol, Dendê e Sebo Bovino. Dissertação (Mestrado em Química) UFRN, Natal – RN, 2010.

SOUZA, L.D. ou SOUZA, L.; SANTOS, A. G. D. Comparative study of oxidative stability of sunflower and cotton biodiesel through p-dsc.JournalofThermalAnalysisandCalorimetry , vol. 134, p. 345- 354, 2011.

TAVARES, M. L. A. Análise termo-oxidativa do biodiesel de Girassol (Helianthusannuus), Tese (Doutorado em Química). João Pessoa – PB, 2009.

VASUDEVAN, P.T., BRIGGS, M. Biodiesel production – current state of the art andchallenges. Journal of Industrial Microbiology and Biotechnology, vol.35, p.421–430. 2008.

VÉRAS, G.; BRITO, A. L. B.; SILVA, A. C.; SILVA, P.; COSTA, G. B.; FÉLIX, L. C. N.; FERNANDES, D. D. S.; FONTES, M. M..Classificação de biodiesel na região do visível. Química Nova, São Paulo. v. 35, no.2, 0100-4042. 2012.

VOIGT, C. L.; Síntese e caracterização espectroscópica de biocombustível de óleo de fritura. UEPG, Ponta Grossa – PR, 2009.

Downloads

Publicado

2015-07-24

Como Citar

Pinto, V. L., Souza, L. D., Santos, A. G., & Farias, P. N. (2015). INFLUÊNCIA DA DEGRADAÇÃO FOTOTERMOXIDATIVA NAS PROPRIEDADES DE BIOCOMBUSTIVEIS DE SEBO BOVINO. HOLOS, 3, 65–73. https://doi.org/10.15628/holos.2015.1970

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)