ELEMENTOS-TRAÇO EM ÁGUAS, SEDIMENTOS E SOLOS DA BACIA DO RIO DAS MORTES, MINAS GERAIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2017.5451

Palavras-chave:

valores referência, contaminação, matrizes ambientais

Resumo

O objetivo deste estudo foi determinar os teores de elementos-traço em solos de planícies de inundação e em sedimentos de fundo de rios para identificar áreas contaminadas por esses elementos comparando os teores obtidos em locais com e sem interferência antrópica. Foram amostradas águas superficiais, sedimentos e solos em 80 locais na Bacia do Rio das Mortes, em Minas Gerais, para determinação de Cd, Cu, Cr, Ni, Pb, Mn e Zn. Das 80 amostras, 40 localizavam-se em locais suspeitos de contaminação e 40 em locais-controle, denominados “locais naturais”. Os resultados mostraram que, na Bacia do Rio das Mortes, a agricultura não constitui um fator relevante de incremento dos elementos-traço estudados. Porém, verifica-se grande influência de centros urbanos, industrializados ou não, na dispersão de elementos-traço para o ambiente. Foi verificada contaminação nos solos das planícies de inundação por Pb nos Municípios de Dores de Campos e Prados, Cu, Cr, Ni, Pb e Mn em Nazareno e São Tiago, Cr e Ni em São João Del Rei e Cu em Barbacena.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Daniela Queiroz Zuliani, UNILAB

Professora da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira-UNILAB, do Instituto de Desenvolvimento Rural. Possui Graduação em Química-Licenciatura Plena- pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (1999), Especialização em Solos e Meio Ambiente, Mestrado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) (2003) e Doutorado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal de Lavras (2006). 

Lívia Botelho Abreu, UFLA

Possui graduação em Química pela Universidade Federal de Lavras (2008), mestrado em Ciência do Solo (área: recursos ambientais e uso da terra) pela Universidade Federal de Lavras (2010) e doutorado em Química Analítica pela Universidade Federal de Minas Gerais (2016). Atualmente é servidora pública na Universidade Federal de Lavras, atuando como Técnica em Laboratório/ Química no Departamento de Ciência do Solo.

Nilton Curi, UFLA

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Lavras (1972), Mestrado em Ciência do Solo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1975) e Ph.D. em Soil Science pela Purdue University-USA (1983). Responsável pelo Setor de Mineralogia e Gênese do Solo, do Departamento de Ciência do Solo da UFLA.  Professor da Universidade Federal de Lavras desde 1974 (Professor Titular a partir de 1992), atuando na área de Pedologia e suas relações com o manejo do solo e do ambiente em geral.

Geila Santos Carvalho, UFLA

possui graduação em QUÍMICA (LICENCIATURA) pela Universidade Federal de São João del Rei - UFSJ (2005), MESTRADO (2007) e DOUTORADO (2011) em CIÊNCIA DO SOLO com área de concentração em Recursos Ambientais e Uso da Terra pela Universidade Federal de Lavras - UFLA. Realizou o estágio de PÓS DOUTORADO em Ciência do Solo com bolsa PNPD/CAPES, trabalhando na área de Química e Mineralogia do Solo, com foco no comportamento e na determinação de elementos-traço e elementos terras raras no sistema solo-planta-água e em fertilizantes através de diferentes técnicas analíticas durante o período de 2011 a 2013 no Departamento de Ciência do Solo da UFLA. Desde agosto de 2013 até o presente, é funcionária da UFLA no cargo de Técnica em Laboratório de Química no Laboratório de Fluorescência de Raios-X do Departamento de Ciência do Solo - DCS.

Adriana Monteiro Costa, UFMG

Técnica em Química pela Fundação Municipal de Ensino Profissionalizante de Sete Lagoas (FUMEP, 1994); Graduada em Geografia pela Fundação Educacional Monsenhor Messias (2001), especialista em Solos e Meio Ambiente pela Universidade Federal de Lavras (2003), Mestre em Agronomia - Solos, pela Universidade Federal de Uberlândia (2005), Doutora em Ciência do Solo pela Universidade Federal de Lavras (2008) e Pós-doutorado (2009) em Sistemas Agrossilvipastoris pela Embrapa Milho e Sorgo e Pós-Doutorado (2015) pela Embrapa Milho e Sorgo. É Professora Adjunta IV de Pedologia do Departamento de Geografia, Instituto de Geociências, da Universidade Federal de Minas Gerais,

João José Marques, UFLA

oão José tem graduação em Agronomia pela Escola Superior de Agricultura de Lavras (1994) e Filosofia pela Universidade Federal de Lavras (2017). Seu mestrado foi em Solos e Nutrição de Plantas pela Universidade Federal de Lavras (1996) e seu doutorado foi em Ciência do Solo pela Purdue University (2000). Em 1998, tornou-se docente da Universidade Federal de Lavras, lecionando desde 2000 em vários cursos de graduação e em dois programas de pós-graduação (Ciência do Solo e Tecnologias e Inovações Ambientais). É professor titular da UFLA desde 2017. 

Referências

Abreu, L. B., Araújo, E. F., Curi, N., Marques, J. J. (2012). Determinação do teor total de elementos-traço em solos sob eucalipto na depressão central, Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Agrociência, 18 (1-4), 33-43.

Andrade, M. G. et al. (2009). Metais pesados em solos de área de mineração e metalurgia de chumbo: I., fitoextração. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 33 (6), 1879-1888.

Campos, M. L., Pierangeli, M. A. P., Guilherme, L. R. G., Marques, J. J.; Curi, N. (2003). Baseline concentration of heavy metals in Brazilian Latosols. Communications in Soil Science and Plant Analysis, 34 (3/4), 547–557.

Carmo, M. S.; Boaventura, G. R.; Oliveira, E. C. (2005). Geoquímica das águas da bacia hidrográfica do rio descoberto, Brasília/DF – Brasil. Química Nova, 28 (4).

COMPANHIA DE TECNOLOGIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL - CETESB. Valores orientadores para solos e águas subterrâneas no estado de São Paulo. Decisão de Diretoria n. 195-2005-E, de 23 de novembro de 2005. Dispõe sobre a aprovação dos valores orientadores para solos e águas subterrâneas no estado de São Paulo - 2005, em substituição aos valores orientadores de 2001, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.cetesb.sp.gov.br/Solo/relatorios/tabela_valores_2005.pdf>. Acesso em 14 set. 2015.

CONSELHO ESTADUAL DE POLÍTICA AMBIENTAL – COPAM. Valores de Referência de Qualidade dos Solos para o Estado de Minas Gerais. Deliberação Normativa COPAM nº 166, de 29 de junho de 2011. Disponível em: <http://www.siam.mg.gov.br/sla/download.pdf?idNorma=18414>. Acesso em 14 set. 2015.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE - CONAMA. Resolução CONAMA nº 344, de 25 de março de 2004. Estabelece as diretrizes gerais e os procedimentos mínimos para a avaliação do material a ser dragado em águas jurisdicionais brasileiras, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res04/res34404.pdf>. Acesso em 15 set. 2015.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE - CONAMA. Resolução CONAMA nº 357, de 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res05/ res35705.pdf>. Acesso em 15 set. 2015.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE – CONAMA. Resolução nº 420, de 28 de dezembro de 2009. Dispõe sobre critérios e valores orientadores de qualidade do solo quanto à presença de substâncias químicas e estabelece diretrizes para o gerenciamento ambiental de áreas contaminadas por essas substâncias emdecorrência de atividades antrópicas. Brasília, DF, 2009. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=620>. Acesso em: 14 set. 2015.

Cotta, J. A. O. (2003). Diagnóstico ambiental do solo e sedimento do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR).Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, São Carlos, São Paulo, Brasil.

Cotta, J. A. O.; Rezende, M. O. O.; Piovani, M. R. (2006). Avaliação do teor de metais em sedimento do rio Betari no parque estadual turístico do Alto Ribeira – Petar, São Paulo, Brasil. Química Nova, 29 (1), 40-45.

Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária). (2006). Sistema brasileiro de classificação de solos. (2a ed.), Rio de Janeiro: Embrapa.

Fadigas, F. S.; Amaral Sobrinho, N. M. B.; Mazur, N. (2006). Estimation of reference values for Cd, Co, Cr, Cu, Ni, Pb and Zn in Brazilian soil. Communications in Soil Science and Plant Analysis, 37, 945-959.

Falótico, M. H. B. (2001). Distribuição de concentrações de metais em água, matéria em suspensão e sedimento de fundo na bacia do rio Piracicaba/ SP. Tese de Doutorado, Centro de Energia Nuclear na Agricultura, Universidade de São Paulo, Piracicaba, São Paulo, Brasil.

FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE - FEAM. (2001). Relatório de qualidade das águas superficiais do Estado de Minas Gerais: projeto sistema de monitoramento da qualidade das superficiais do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte: FEAM/IGAM. np.

FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE - FEAM (2010). Inventário de áreas suspeitas de contaminação e contaminadas no Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte: FEAM. 23 p.

Guilherme, L. R. G.; Marques, J. J.; Pierangeli, M. A. P.; Zuliani, D. Q.; Campos, M. L.; Marchi, G. (2005). Elementos-traço em solos e sistemas aquáticos. In: Tópicos em ciências do solo. Viçosa, MG: Sociedade Brasileira de Ciência do solo.

Hooda, P. S. (2010). Trace elements in soil. London: Wiley. 616 p.

INSTITUTO MINEIRO DE GESTÃO DAS ÁGUAS - IGAM. (2005). Relatório de Monitoramento das águas superficiais na Bacia do Rio Grande. Belo Horizonte: IGAM.

INTERNATIONAL UNION OF PURE AND APPLIED CHEMISTRY - IUPAC. (2002). Chemistry and human health division clinical chemistry: “heavy metals”, a meaningless term? Pure and Applied Chemistry, 74 (5) 793-807.

Kersten, M.; Smedes, F. (2002). Normalization procedures for sediment contaminants in spatial and temporal trend monitoring. Journal Environmental Monitoring, 4, 109 – 115.

Marques, J. J. G. S. M.; Curi, N.; Schulze, D. G. (2002). Trace elements in Cerrado soils. In: Alvarez, V. H. V.; Schaefer, C. E. G. R.; Barros, N. F.; Mello, J. W. V.; Costa, L. M. (Ed.). Tópicos em ciência do solo. Viçosa: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 2, 103-142.

Marques, J. J.; Schulze, D. G.; Curi, N.; Mertzman, S. A. (2004).Trace element geochemistry in Brasilian Cerrado soils. Geoderma, 121 (1/2), 31-43.

Moura, M. C. S.; Lopes, A. N. C.; Moita, G. C.; Neto, J. M. M. (2006). Estudo multivariado de solos urbanos da cidade de Teresina. Química Nova, 29 (3), 429-435.

Pierangeli, M. A. P.; Guilherme, L. R. G.; Curi, N.; Silva, M. L. N.; Oliveira, L. R.; Lima, J. M. (2001). Teor total e capacidade máxima de adsorção de chumbo em Latossolos brasileiros. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 25 (2), 279-288.

Pierangeli, M. A. P. et al. (2015). Elementos-traço em áreas de vegetação nativa e

agricultura intensiva do estado de Mato Grosso determinados por Fluorescência

de Raios-X por Reflexão Total. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 39 (4), 1048-1057.

Pierzynski, G. M.; Sims, J. T.; Vance, G. F. (1994). Soils and environmental quality. Boca Raton: Lewis Publishers.

Rezende, P. S. (2009). Avaliação da distribuição e mobilidade de elementos traço em sedimentos da bacia hidrográfica do Rio São Francisco. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Silva, E. M.; Navarro, M. F. T.; Barros, A. F.; Mota, M. F. V.; Chastinet, C. B. A. (2000). Metals in the sediments of Jauá Lake (Camaçari, Bahia, Brazil) following an episode of industrial contamination. Aquatic Ecosystem Health & Management, 3 (4), 509-514.

Silva, M. A. L. S. & Rezende, C. E. (2002). Behavior of seleted micro and trace elements and organic matter in sediments of a freshwater system in south-east Brazil. Science Total Environment, 292 (1-2), 121-128.

Sparks, D. L. (1995). Environmental soil chemistry. San Diego: Academic Press.

Stumm, W.; Morgan, J. J. (1996). Aquatic chemistry: chemical equilibria and rates in natural waters. New York: John Wiley, (3), 1022p.

Tomazelli, A. C. (2003). Estudo comparativo das concentrações de cádmio, chumbo e mercúrio em seis Bacias Hidrográficas do Estado de São Paulo. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil.

UNITED STATES ENVIRONMENTAL PROTECTION AGENCY - USEPA. (1998). Method 3051A: Microwave assisted acid digestion of sediments, sludges, soils and oils. In: ____. SW-846: test methods for evaluating solid waste, physical and chemical methods.

UNITED STATES ENVIRONMENTAL PROTECTION AGENCY – USEPA. (2003). National sediment quality survey. Appendix D. Screening values for chemicals evaluated. Disponível em: <http://www.epa.gov/ostwater/cs/vol1/appdx_d.pdf>. Acesso em 15 set. 2015.

Downloads

Publicado

19/09/2017

Como Citar

Zuliani, D. Q., Abreu, L. B., Curi, N., Carvalho, G. S., Costa, A. M., & Marques, J. J. (2017). ELEMENTOS-TRAÇO EM ÁGUAS, SEDIMENTOS E SOLOS DA BACIA DO RIO DAS MORTES, MINAS GERAIS. HOLOS, 4, 308–326. https://doi.org/10.15628/holos.2017.5451

Edição

Seção

ARTIGOS