ESTUDOS DE EQUILÍBRIO NA SORÇÃO DE Cr(III) POR GRANULADOS BIOCLÁSTICOS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2016.5098

Palavras-chave:

Tratamento de efluentes, sorção, cromo, alga calcária

Resumo

Os Granulados Bioclásticos provenientes de algas calcárias Lithothamnium calcareum são uma fonte mineral marinha e a sua utilização pode não ser recente, porém ainda necessita de diversas pesquisas para avaliar os seus verdadeiros potenciais e níveis de utilização em diferentes segmentos. Este estudo avalia a aplicação deste material para tratamento de soluções aquosas contendo íons Cr(III) através do processo de sorção. Os resultados de remoção e captação mais significativos de íons Cr(III) foram obtidos na faixa de pH entre 4 a 8, correspondendo a 99,9% e 12,4 mg.g-1, respectivamente. Nas concentrações iniciais de 5 a 200 mg.L-1 foram alcançadas remoções ? 97,9%. Para a captação, o valor mais elevado foi obtido na concentração de 350 mg.L-1, correspondendo a 161 mg.g-1. Os modelos de Langmuir, Dubinin-Radushkevich e Temkin ajustaram-se aos dados de sorção apresentando valores de R2 de 0,953, 0,942 e 0,959, respectivamente. Os valores de qmax obtidos do modelo de Langmuir e de Dubinin-Radushkevich foram de 178,57 mg.g-1 e 171,19 mg.g-1, respectivamente. Os resultados de MEV/EDX mostram precipitados com composição elementar de C, O e Cr.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Diego Macedo Veneu, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutorando em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Mestre em Engenharia de Materiais e de Processos Químicos e Metalúrgicos pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010). Possui graduação em Engenharia Ambiental pela Universidade Severino Sombra (2008). Técnico em Química pelo Colégio Municipal Presidente Castelo Branco (2002).

Lidia Yokoyama, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Possui graduação em Engenharia Química pela Universidade Federal do Pará (1981), mestrado em Engenharia Metalúrgica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1986) e doutorado em Química pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1999). Atualmente é Professor Associado II do Departamento de Processos Inorgânicos da Escola de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Tratamento de Águas e Efluentes com ênfase ao Reúso. Na área de águas, desenvolve pesquisas de monitoramento e manutenção da qualidade da água de corpos hídricos e o tratamento de água propriamente dito, visando a melhoria da qualidade tanto para consumo humano como industrial. Nestes, envolvem processos terciários convencionais e avançados visando a remoção de micropoluentes. No que se refere a área de efluentes, vem desenvolvendo pesquisas para a remoção de sólidos e substâncias dissolvidas por processos convencionais e avançados (Processo Oxidativo Avançado) de efluentes urbanos, sanitários e industriais. Os tratamentos dos efluentes sempre que possível, é dado ênfase a possibilidade de reúso. É membro do Núcleo Integrado de Reúso de Águas e Efluentes do Estado do Rio de Janeiro (NIRAE - RJ), núcleo este voltado para as práticas de reúso de água de qualquer natureza.

Osvaldo Galvão Caldas da Cunha, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Possui graduação em Engenharia Quimica pela Escola de Química (1970) , especialização em Curso de Altos Estudos de Política e Estratégia pela Escola Superior de Guerra (1996) , especialização em Química de Materiais pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (1973) , doutorado pela IMPERIAL COLLEGE LONDON (1977) e pós-doutorado pelo Centro Técnico Aeroespacial (1985) . Atualmente é Professor Associado II da Escola de Química. Tem experiência na área de Engenharia de Materiais e Metalúrgica , com ênfase em Metalurgia Extrativa.

Claudio Luiz Schneider, Centro de Tecnologia Mineral

Possui graduação em Engenharia de Minas - Departamento de Engenharia de Minas (1983), mestrado em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1987) e doutorado em Metalurgia Extrativa - University of Utah (1995). Atualmente é Research Professor - University of Utah, e Tecnologista Senior do Centro de Tecnologia Mineral (CETEM). Tem experiência na área de Engenharia de Materiais e Metalúrgica, com ênfase em Tratamento de Minérios, atuando principalmente nos seguintes temas: modelamento e simulação de processos, liberação, estereologia, análise de imagens, visão de máquina, caracterização e carvão.

Marisa Bezerra de Mello Monte, Centro de Tecnologia Mineral

Possui graduação em Engenharia Química pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1984) e mestrado doutorado em Engenharia Metalúrgica e de Materiais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1998), com interesse nos aspectos fundamentais e aplicados à Ciência de Interfaces, Processamento Mineral e Metalurgia Extrativa. Suas pesquisas recentes estão focadas nos aspectos cinéticos e de equilíbrio da adsorção de surfatantes que afetam a molhabilidade, estabilidade coloidal, flotação e processamento mineral .( em particular, processamento mineral e metalúrgico de rochas fosfáticas, minérios de ouro e sulfetos e aproveitamento de finos de rejeitos). Em 1998, tornou-se Chefe de Serviço de Desenvolvimento de Novos Materiais no Centro de Tecnologia Mineral -CETEM. Em 2008, realizou seu pós-doutorado no Instituto de Pesquisa The Wark, na Austrália. Em 2013, foi responsável pela Coordenação de Gestão, Planejamento e Inovação do CETEM. No período entre junho de 2014 e julho de 2016, trabalhou no Instituto Tecnológico Vale, ITV Mineração, sediado em Ouro Preto, como pesquisadora titular da área de metalurgia extrativa e fenômenos de superfície. Atualmente é pesquisadora do Centro de Tecnologia Mineral -CETEM.

Referências

Aziz, H. A., Adlan, M. N., & Ariffin, K. S. (2008) .Heavy metals (Cd, Pb, Zn, Ni, Cu and Cr(III)) removal from water in Malaysia: post treatment by high quality limestone. Bioresource Technology, 99, 1578-1583.

Basha, S., & Murthy, Z. V. P. (2007). Kinetic and equilibrium models for biosorption of Cr(VI) on chemically modified seaweed Cystoseira indica, Process Biochemistry, 42, 1521–1529.

Brasil. Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA, (2011). Resolução nº 430 de 13 de maio de 2011. Dispõe sobre condições e padrões de lançamento de efluentes, complementa e altera a Resolução nº 357, de 17 de março de 2005, do Conselho Nacional do Meio Ambiente.

Cetesb – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, (2012). Crômio e seus compostos - Ficha de Informação Toxicológica, 3p. Disponível em: http://www.cetesb.sp.gov.br Acesso em: 04/04/2015

Cheng, L., Sturchio, N. C., Woicik, J. C., Kemner, K. M., Lyman, P. F., Bedzyk, M. J. (1998). High-resolution structural study of zinc ion incorporation at the calcite cleavage surface. Surface Science, 415, 1976–1982.

Dan’azum, S., & Bichi, M. H. (2010). Industrial pollution and heavy metals profile of Challawa river in Kano, Nigeria, Journal of Applied Sciences in Environmental Sanitation, 5, 56–62.

Dias, C. T. M. (2000). Bioclastic Granules: calcareous algae, Brazilian Journal of Geophysics, 8, 307-318.

Du, Y., Lian, F., & Zhu, L. (2011). Biosorption of divalent Pb, Cd and Zn on aragonite and calcite mollusk shells. Environmental Pollution, 159, 1763-1768.

El-Sherif, I. Y., Tolani, S., Ofosu, K., Mohamed, O. A., & Wanekaya, A. K. (2013). Polymeric nano fibers for the removal of Cr(III) from tannery waste water. Journal of Environmental Management, 129, 410-413.

Febrianto, J., Kosasih, A. N., Sunarso, J., Ju, Y., Indraswati, N., & Ismadji, S. (2009). Equilibrium and kinetic studies in adsorption of heavy metals using biosorbent: A summary of recent studies, Journal of Hazardous Materials, 162, 616-645.

Foo, K. Y., & Hameed, B.H. (2010). Insights into the modeling of adsorption isotherm systems, Chemical Engineering Journal, 156, 2–10.

Ford, R. G., Scheinost, A. C., & Sparks, D. L. (2001). Frontiers in metal sorption/precipitation mechanisms on soil mineral surfaces. Advances in Agronomy, 74, 41–62.

Freundlich, H. M. F. (1906). Über die adsorption in lösungen. Zeitschrift für Physikalische Chemie, 57, 385–470.

Frimmel, F. H., & Huber, L. (1996). Influence of humic substances on the aquatic sorption of heavy metals on defined minerals phases. Environmental International, 22, 507–517.

Gadd, G. M. (2009). Biosorption: critical review of scientific rationale, environmental importance and significance for pollution treatment, Journal of Chemical Technology and Biotechnology, 48, 13-28.

Gregg, S. J., & Sing, K. S. W. (1982). Adsorption, Surface area and Porosity. Academic Press, London.

Ho, Y. S., Porter, J. F., & Mckay, G. (2002). Equilibrium isotherm studies for the sorption of divalent metal ions onto peat: copper, nickel and lead single component systems, Water Air Soil Pollution, 141, 1–33.

Ibrahim, M. N. M., Ngah, W. S. W., Norliyana, M. S., Daud, W. R. W., Rafatullah, M., Sulaiman, O., & Hashim, R. (2010). A novel agricultural waste adsorbent for the removal of lead (II) ions from aqueous solutions. Journal of Hazardous Materials, 182, 377–385.

Langmuir, I. (1918). The adsorption of gases on plane surfaces of glass, mica, and platinum, Journal of the American Chemical Society, 40, 1361–1403.

Lee, R. E. (1999). Phycology, 3rd Edition Cambridge : Cambridge University Press, 614 p.

Ma, X., Li, L., Yang, L., Su, C., Wang, K., Yuan, S., & Zhou, J. (2012). Adsorption of heavy metal ions using hierarchical CaCO3–maltose meso/macroporous hybrid materials: Adsorption isotherms and kinetic studies. Journal of Hazardous Materials, 209–210, 467– 477.

Momodu, M. A., & Anyakora, C. A. (2010). Heavy Metal Contamination of Ground Water: The Surulere Case Study. Research Journal Environmental and Earth Sciences, 2(1), 39-43.

Pokrovsky, O. S., & Schott, J. (2002). Surface chemistry and dissolution kinetics of divalent metal carbonates. Environmental Science & Technology, 36, 426-432.

Rangel-Porras, G., García-Magno, J. B., & González-Muñoz, M. P. (2010). Lead and cadmium immobilization on calcitic limestone materials. Desalination, 262, 1–10.

Rostamian, R., Najafi, M., & Rafati, A. A. (2011). Synthesis and characterization of thiol-functionalized silica nano hollow sphere as a novel adsorbent for removal of poisonous heavy metal íons from water: Kinetics, isotherms and error analysis. Chemical Engineering Journal, 171, 1004–1011.

Sanchez, A. G., & Ayuso, E. A. (2002). Sorption of Zn, Cd and Cr on calcite: application to purification of industrial wastewater. Minerals Engineering, 15, 539–547.

Sdiri, A., Higashi, T., Jamoussi, F., & Bouaziz, S. (2012). Effects of impurities on the removal of heavy metals by natural limestones in aqueous systems. Journal of Environmental Management, 93, 245-253.

Sdiri, A., Higashia, T., Hattab, T., Jamoussic, F., & Tase, N. (2011). Evaluating the adsorptive capacity of montmorillonitic and calcareous clays on the removal of several heavy metals in aqueous systems. Chemical Engineering Journal, 172, 37– 46.

Selatnia, A., Bakhti, M. Z., Madani, A., Kertous, L., & Mansouri, Y. (2004). Biosorption de Cd2+ from aqueous solution by a NAOH treated bacterial dead Streptomyces rimosus biomass. Hydrometallurgy, 75, 11-24.

Shahwan, T., Zünbül, B., Tunuso?lu, Ö., & Ero?lu, A. E. (2005). AAS, XRPD, SEM/EDS, and FTIR characterization of Zn2+ retention by calcite, calcite-kaolinite, and calcite-clinoptilolite minerals. Journal of Colloid and Interface Science, 286, 471–478.

Sondi, I., Biscan, J., Vdovic, N., & Skapin, S.D. (2009). The electrokinetic properties of carbonates in aqueous media revisited. Colloids and Surfaces A: Physicochemical and Engineering Aspects, 342, 84–91.

Sparks, D. L. (2005). Sorption | Metals. In: Hillel, D., Hatfield , J. L., Powlson, D. S., Rosenweig, C., Scow, K. M., Singer, M. J., Sparks, D. L. Encyclopedia of Soils in the Environment, Oxford UK: Ed. Elsevier Ltd, 532-537.

Stumm, W., & Morgan, J. J. (1981). Aquatic Chemistry: An Introduction Emphasizing Chemical Equilibria in Natural Waters. 2nd Ed., JoHn Wiley & Sons.

Suwalsky, M., Castro, R., Villena, F., & Sotomayor, C. P. (2008). Cr(III) exerts stronger structural effects than Cr(VI) on the human erythrocyte membrane and molecular models. Journal of Inorganic Biochemistry, 102, 842-849.

Torem, M. L., & Casqueira, R. (2003). Flotação Aplicada à Remoção de Metais Pesados. Série Tecnologia Ambiental, 28: CETEM. Rio de Janeiro.

Wang, J., & Chen, C. (2006). Biosorption of heavy metals by Saccharomyces cerevisiae: a review. Biotechnology Advances, 24, 427–451.

Wang, X., Huang, J., Huai, Q., Wang, J., & Qin, Y. (2007). Determination of kinetic and equilibrium parameters of the batch adsorption of Ni(II) from aqueous solutions by Na-Mordenite, Journal of Hazardous Materials, 142, 468-476.

Zouboulis, A. I., Loukidou, M. X., & Matis, K. A. (2004). Biosorption of toxic metals from aqueous solutions by bacteria strains isolated from metal-polluted soils. Process Biochemistry, 39, 909–916.

Downloads

Publicado

12/11/2016

Como Citar

Veneu, D. M., Yokoyama, L., Cunha, O. G. C. da, Schneider, C. L., & Monte, M. B. de M. (2016). ESTUDOS DE EQUILÍBRIO NA SORÇÃO DE Cr(III) POR GRANULADOS BIOCLÁSTICOS. HOLOS, 7, 62–77. https://doi.org/10.15628/holos.2016.5098

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)