BWI EM FUNÇÃO DA MALHA DE TESTE

Autores

  • Cláudio Luiz Schneider Centro de Tecnologia Mineral - CETEM
  • Thais Ferreira Marks Brasil Duque Centro de Tecnologia Mineral - CETEM
  • Douglas Batista Mazzinghy ANGLO AMERICAN
  • Vladmir Kronemberger Alves VALE

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2014.1842

Resumo

O Índice de Trabalho de Bond para moagem em moinhos de bolas (BWI) é medido de acordo com uma metodologia padrão, utilizando equipamentos igualmente padronizados. O ensaio é um ensaio cíclico fechado, e resulta em um único número, o BWI, característico do minério, e que é amplamente utilizado para o escalonamento de moinhos de bolas industriais. A medição do BWI geralmente é feita por profissionais treinados, com a ajuda de uma planilha eletrônica tipo Excel para os cálculos necessários antes, durante e após a conclusão do ensaio. A norma para determinação do BWI registrada no INMETRO é a NBR 11376. Embora completamente padronizada, a metodologia para medição do BWI pode ser melhorada, otimizada, e escrutinada. A demanda por medições do BWI tem aumentado significativamente pelo simples fato de um único número conter todas as informações necessárias para o escalonamento de moinhos de bolas, que é a etapa mais energeticamente intensiva em uma planta de processamento de minérios. Esta característica faz do BWI um parâmetro central em campanhas de variabilidade e geometalurgia. Neste trabalho são apresentadas duas importantes propriedades do BWI, sua dependência com a malha de teste e sua relação com a fração inicial passante na amostra do ensaio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Cláudio Luiz Schneider, Centro de Tecnologia Mineral - CETEM

Engenheiro de Minas, PhD. Vínculo: Coordenação de Processos Minerais Cargo: Tecnologista Sênior Áreas de Atuação: tratamento de minérios e processamento de carvão, métodos de concentração e enriquecimento, equipamentos, controle e instrumentação; modelamento e simulação de plantas; mineralogia de processos, análise quantitativa de imagens, estereologia; desenvolvimento de aplicativos.

Thais Ferreira Marks Brasil Duque, Centro de Tecnologia Mineral - CETEM

Engenheira Química, M.Sc. Engenharia Metalúrgica e de Materiais (em andamento). COPM - Coordenação de Processamento Mineral

Douglas Batista Mazzinghy, ANGLO AMERICAN

Engenheiro de Minas, D.Sc. Possui experiência em projetos de grandes usinas de beneficiamento de minérios e na área de modelagem de processos. Atualmente é engenheiro especialista na Anglo American.

Vladmir Kronemberger Alves, VALE

Engenheiro de Minas, D.Sc. Atualmente é engenheiro na VALE.

Referências

ALVES, V.K., SCHNEIDER, C.L. Prediction of the Bond Work Index for Variability Analysis, Comminution’10, Cape Town, April 2010.

ROWLAND, C.A. Bond’s method for selection of ball mills. In: Advances in Comminution. KAWATRA, S.K. (editor), SME, Littleton, New York, p. 385-397, 2006.

SCHNEIDER, C.L., MAZZINGHY, D., ALVES, V.K., Bond WI as a parameter for the evaluation of ore variability in current grinding plant design practice. In: Proceedings of the 9th International Conference of Mineral Processing. DOLL, A., KRACHT, W., KURYVENHOVEN, R. (editors). Santiago, 2012, p. 74.

YAP, R.F., SEPULVEDA, J.W., JUAREGUI, R. Determination of the Bond Work Index Using an Ordinary Laboratory Batch Mill. In: Design and Installation of Comminution Circuits. MULAR, A.L., JERGENSEN, G.V. (editors). SME, New York, 1982, p. 176.

Downloads

Publicado

03/07/2014

Como Citar

Schneider, C. L., Ferreira Marks Brasil Duque, T., Batista Mazzinghy, D., & Alves, V. K. (2014). BWI EM FUNÇÃO DA MALHA DE TESTE. HOLOS, 3, 112–121. https://doi.org/10.15628/holos.2014.1842

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)