ECOLOGICAL KNOWLEDGE ABOUT PROTECTED AREAS IN THE EAST ZONE OF SÃO PAULO, SP: IMPLICATIONS FOR SUSTAINABILITY IN URBAN AREA

Autores

  • José Ulisses Bezerra França PROGRAMA DE MESTRADO EM CIDADES INTELIGENTES E SUSTENTÁVEIS, UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO
  • Ana Paula do Nascimento Lamano-Ferreira PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE, UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO
  • Mauro Silva Ruiz PROGRAMA DE MESTRADO EM CIDADES INTELIGENTES E SUSTENTÁVEIS, UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO
  • Cristiano Capellani Quaresma PROGRAMA DE MESTRADO EM CIDADES INTELIGENTES E SUSTENTÁVEIS, UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO
  • Claudia Terezinha Kniess PROGRAMA DE MESTRADO EM CIDADES INTELIGENTES E SUSTENTÁVEIS, UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO
  • Heidy Rodriguez Ramos PROGRAMA DE MESTRADO EM CIDADES INTELIGENTES E SUSTENTÁVEIS, UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO
  • Maurício Lamano Ferreira PROGRAMA DE MESTRADO EM CIDADES INTELIGENTES E SUSTENTÁVEIS, UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2016.3819

Palavras-chave:

public spaces, green areas, Ethnoecology.

Resumo

Environmental issues in urban areas have been increasingly discussed in the construction of smart and sustainable cities. Thus, public green spaces have become the focus of studies for bringing several contributions to the urban environment, as well as provide many ecosystem services. However, it is important to know how users of these green spaces perceive the environment around them, especially in the context of creating new parks in areas with intense human settlements. The aim of this study was to investigate the ecological knowledge of residents surrounding an urban green area in the east zone of São Paulo city, which became municipal park after the end of this study. The Municipal Park Jardim da Conquista (PMJC) is located in an area considered one of the largest human settlements in Brazil and the world. 675 interviews were carried out with people living around the urban park in 2013. The profile of the supposed goers varies between 20 and 30 years, belonging predominantly to C economic class and also with sporadic profile of visiting the park. The interviewed people related these green spaces with leisure and biodiversity conservation. In addition, residents attribute part of the care and preservation of the park to themselves. This work highlights the user profile of a new park in the city of São Paulo, as well as their knowledge of some ecological aspects of an urban park.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

José Ulisses Bezerra França, PROGRAMA DE MESTRADO EM CIDADES INTELIGENTES E SUSTENTÁVEIS, UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO

Aluno do Mestrado Acadêmico em "Cidades Inteligentes e Sustentáveis" da Universidade Nove de Julho.

Ana Paula do Nascimento Lamano-Ferreira, PROGRAMA DE MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE, UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO

Professora do Mestrado profissional em "Gestão ambiental e sustentabilidade" da Universidade Nove de Julho.

Mauro Silva Ruiz, PROGRAMA DE MESTRADO EM CIDADES INTELIGENTES E SUSTENTÁVEIS, UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO

Professor do Mestrado Acadêmico em "Cidades Inteligentes e Sustentáveis" da Universidade Nove de Julho.

Cristiano Capellani Quaresma, PROGRAMA DE MESTRADO EM CIDADES INTELIGENTES E SUSTENTÁVEIS, UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO

Professor do Mestrado Acadêmico em "Cidades Inteligentes e Sustentáveis" da Universidade Nove de Julho.

Claudia Terezinha Kniess, PROGRAMA DE MESTRADO EM CIDADES INTELIGENTES E SUSTENTÁVEIS, UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO

Professora do Mestrado Acadêmico em "Cidades Inteligentes e Sustentáveis" da Universidade Nove de Julho.

Heidy Rodriguez Ramos, PROGRAMA DE MESTRADO EM CIDADES INTELIGENTES E SUSTENTÁVEIS, UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO

Professora do Mestrado Acadêmico em "Cidades Inteligentes e Sustentáveis" da Universidade Nove de Julho.

Maurício Lamano Ferreira, PROGRAMA DE MESTRADO EM CIDADES INTELIGENTES E SUSTENTÁVEIS, UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO

Professor do Mestrado Acadêmico em "Cidades Inteligentes e Sustentáveis" da Universidade Nove de Julho.

Referências

Almada, E. D. Sociobiodiversidade Urbana: por uma etnoecologia das cidades. In: V. A. Silva, A. L. Almeida, & Albuquerque, U. P.. Etnobiologia e Etnoecologia: Pessoas & Natureza na América Latina (pp. 39-63). Recife: Nuppea, 2010.

Anchieta, A.C. B. J. (2010) Guia Cultural e Turístico da Zona Leste de São Paulo, 2010. Secretaria de Estado da Cultura, Governo do Estado de São Paulo.

Arce, P. A.; Pendloski, C. J. S.; Oliveira, R. B.; Gallardo, A. L. C. F.; Ruiz, M. S. Conflitos socioambientais em unidades de conservação em áreas urbanas: o caso do parque Tizo em São Paulo. Holos, v.1, p. 71-85, 2014.

Barros, L. H. V., V.; Silva, P.; Alves, G. A.; Pinheiro, L. G.; Nascimento, I.; Dias, P. K. L.; Oliveira, R. F. A.; Santana, Oliveira, W. A.; C. S. C.; Medeiros,C. S. C.; Gomes, B. S. F. F. Diagnóstico das áreas verdes públicas do bairro Potengi, Natal - RN. Holos, v. 5, p. 130-141, 2015.

Baumgarten, H. A administração das áreas verdes públicas e espaços livres nas cidades alemãs. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, Piracicaba –SP, v. 1, n. 1, 2006.

Carniello, M. A. Estudo etnobotânico nas comunidades de Porto Limão, Porto Alambrado e Campo Alegre, na fronteira Brasil-Bolívia, Mato Grosso, Brasil. Universidade estadual paulista “Julio de Mesquita Filho”. Instituto de biociências – Rio Claro programa de pós-graduação em Ciências Biológicas / Biologia Vegetal. Rio Claro, 2007.

CAMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO. CMSP. Disponível em (http://www2.camara.sp.gov.br/ projetos/00/00/02/KK/000002KK4.PDF). Visitado em 10/09/2009.

Costa, R. G. S.; Benachio, M. V.; Borges, A. A.S.; Colesanti, M. T. M. (2011) Uso, afetividade e percepção: Um estudo da satisfação dos frequentadores do Parque do Sabiá em Uberlândia – MG. Revista de Geografia (UFPE) V. 28, No. 1. Uberlândia.

Costa, R. G. S. & Colesanti, M. M. (2011). A contribuição da percepção ambiental nos estudos das áreas verdes - Curitiba. RA´E GA, 22, 238-251.

Cunha, H. F.; Vale, M. S.; Junior, C. A. S.; Campos, R. F.; Carlos, L. O. Conhecimento empírico dos moradores da comunidade do entorno do Parque Municipal da Cachoeirinha (Iporá - Goiás). Portal de Revistas Científicas em Ciências da Saúde. Iporá, 2007.

Fermino, R. C., Reis, R. S. & Cassou, A. C. (2012). Fatores individuais e ambientais associados ao uso de parques e praças por adultos de Curitiba-PR, Brasil. Rev. Bras. Cineantropom Desempenho Hum, 4(4), 377-389.

Ferreira, M.L.; Carvalho, A.R.; Nascimento, A.P.B. (2010) A Opinião Dos Moradores Do Entorno Da Praça Manuel Rodrigues Sécio (São Paulo/Sp) Sobre O Seu Estado De Conservação: Uma Ferramenta Para O Plano De Educação Ambiental. X Encontro Latino Americano de Pós-Graduação, São José dos Campos, SP.

Filho, J. T. O. participação popular no planejamento urbano: A experiência do plano diretor de Porto Alegre. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Arquitetura, Programa de Pós Graduação em Planejamento Urbano e Regional. Porto Alegre, 2009.

Fraccaro, L. C. Z; Silva, M. P.; Molina, S. M. G. (2010) A percepção ambiental sob a ótica humana: o estudo da população rural do município e Ipeúna, SP. São Paulo, 2010. Anais do V ENANPPAS – Florianópolis: Encontro Nacional da ANPPAS.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo, 5, 61.

Junior, P. C. B. N. Parque ambiental de Belém: Um estudo da conservação da fauna silvestre local e a interação desta atividade com a comunidade do entorno. Revista Científica da UFPA, vol.4. Belém, 2004.

Loboda, C. R. & De Angelis, B. L. D. (2005). Áreas verdes urbanas: conceitos, usos e funções. Ambiência, 1(1), 125-139.

Macêdo, J. A. C. Avaliação da gestão participativa dos parques estaduais da Bahia. Dissertação de Mestrado, Centro de Desenvolvimento Sustentável, Universidade de Brasília. Brasília, 2008.

Magalhães, A. F. A.; Vasconcellos, M. K. (2007) Fauna silvestre: Quem são e onde vivem os animais na metrópole paulistana. São Paulo.

Marconi, M.A.; Lakatos, E.M. (2002) Técnicas de Pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisas, elaboração, análise e interpretação de dados. São Paulo: Atlas.

MF. MINISTÉRIO DA FAZENDA, 2010. Disponível em (www.mf.gov.br). Acesso em 28/08/11, ás 18h30min.

BRASIL. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (MMA), 2011. Disponível no endereço (www.mma.gov.br). Acesso em 24/03/2011, ás 15h40min.

PIMENTEL, D. S. (2008) Os “parques de papel” e o papel social dos parques, Tese apresentada para obtenção do título de Doutor em Recursos Florestais. Piracicaba.

PMSP. PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO – Secretaria Do Verde E Meio Ambiente SVMA. Disponível em: Acesso em 23/04/2014.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO – PMSP - Secretaria Do Verde E Meio Ambiente SVMA. Carta da Terra. São Paulo, 2010.

PMSP. PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO – SECRETARIA DO VERDE E MEIO AMBIENTE SVMA. (2004) Atlas Ambiental do Município de São Paulo, o verde, o território o ser humano. São Paulo.

PMSP. PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO – SECRETARIA DO VERDE E MEIO AMBIENTE SVMA. (2014) Guia de Parques Municipais de São Paulo, IV Edição Atualizada e Revisada. Disponível em: http://issuu.com/svmasp/docs/guia_dos_parques, Acesso em 27/10/2015.

Ribeiro, A. P. (2010) A análise da percepção sócio-ambiental dos moradores do entorno quanto à criação do Parque Morro São Pedro. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Geociências, Departamento de Geografia. Porto Alegre.

Rocha, E. A. & Abjaud, T. T. (2012). A metropolização de belo horizonte e sua relação com as áreas verdes e o turismo: Parque das Mangabeiras x Praça Sete. Revista Acadêmica, VII(3), 63-85.

Rodrigues, C.G. O. (2009) O uso público nos parques nacionais: A relação entre as esferas pública e privada na apropriação da biodiversidade. Tese de Doutorado submetida ao Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília, como parte dos requisitos necessários para a obtenção do Grau de Doutor em Desenvolvimento Sustentável, área de concentração em Política e Gestão Ambiental. Brasília.

Santos, J.V.T. (1991) A construção da viagem inversa. Cadernos de Sociologia, ensaio sobre a investigação nas ciências sociais, Porto Alegre, v. 3, n. 3, p. 55-88.

Silva, C. F. R.; Vargas, M.A.M. (2010) Sustentabilidade Urbana: Raízes, Conceitos e Representações. Scientia Plena, v. 6, n. 3.

SNUC – SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO. Lei n. 9.985 de 18/07/2000.

Teramussi, T. M. Percepção ambiental de estudantes sobre o Parque Ecológico do Tietê; São Paulo – SP. Universidade de São Paulo Programa de Pós-graduação em Ciências Ambiental – PROCAM. São Paulo, 2008.

Révillion, A.S.P. (2003) A Utilização de Pesquisas Exploratórias na Área de Marketing. RIMAR - Revista Interdisciplinar de Marketing, v.2, n.2, p. 21-37

Tuan, Y. F. (2012). Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo: Eduel.

Whately, M.; Santoro, P. F.; Gonçalves, B. C.; Gonzato, A. M. (2008) Parques Urbanos Municipais de São Paulo, Subsídio para gestão - SP.

Zimmermann, A. (2006) Visitação nos parques nacionais brasileiros: Um estudo à luz das experiências do Equador e da Argentina. Dissertação de Mestrado submetida ao Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília, como parte dos requisitos necessários para a obtenção do Grau de Mestre em Desenvolvimento Sustentável, área de concentração Política e Gestão Ambiental, opção Acadêmica. Brasília.

Downloads

Publicado

23/06/2016

Como Citar

França, J. U. B., Lamano-Ferreira, A. P. do N., Ruiz, M. S., Quaresma, C. C., Kniess, C. T., Ramos, H. R., & Ferreira, M. L. (2016). ECOLOGICAL KNOWLEDGE ABOUT PROTECTED AREAS IN THE EAST ZONE OF SÃO PAULO, SP: IMPLICATIONS FOR SUSTAINABILITY IN URBAN AREA. HOLOS, 3, 174–185. https://doi.org/10.15628/holos.2016.3819

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)