APLICAÇÃO DA ANÁLISE DE IMAGEM AUTOMATIZADA NA ACESSIBILIDADE DOS GRÃOS DE OURO

Autores

  • Fabrizzio Rodrigues Costa Universidade de São Paulo http://orcid.org/0000-0003-4420-3638
  • Daniel Uliana Universidade de São Paulo
  • Guilherme Pinho Nery Universidade de São Paulo
  • Carina Ulsen Universidade de São Paulo
  • Henrique Kahn Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2015.3728

Palavras-chave:

análise quantitativa de imagens, minério de ouro, arsenopirita

Resumo

A análise de imagens automatizada tem importante papel no setor mineral principalmente pela rapidez das análises, robustez estatística e confiabilidade dos resultados. A técnica pode ser realizada por meio de imagens adquiridas em microscópio eletrônico de varredura (MEV), geralmente associada a microanálises químicas por EDS e podendo ser utilizada em diversas etapas de um empreendimento mineiro. Este estudo teve como objetivo a caraterização tecnológica de minério de ouro da mina Morro do Ouro, Minas Gerais na qual foi utilizado a técnica de análise de imagens automatizada por MLA (do inglês, Mineral Liberation Analyser). Foi possível identificar os grãos de ouro, determinar seu tamanho, forma de ocorrência e acessibilidade diante três tipos de corpos de minério delineados em relação aos seus teores de arsênio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Fabrizzio Rodrigues Costa, Universidade de São Paulo

LCT - Laboratório de Caracterização Técnologica - Poli USP

Daniel Uliana, Universidade de São Paulo

LCT - Laboratório de Caracterização Técnologica - Poli USP

Guilherme Pinho Nery, Universidade de São Paulo

LCT - Laboratório de Caracterização Técnologica - Poli USP

Carina Ulsen, Universidade de São Paulo

LCT - Laboratório de Caracterização Técnologica - Poli USP

Henrique Kahn, Universidade de São Paulo

LCT - Laboratório de Caracterização Técnologica - Poli USP

Referências

IBRAM (2011). Instituto Brasileiro de Mineração: Informações e análises da economia mineral brasileira. Brasília. 6 edição, 28 p.

GRANT, G.; REID, A. F.; ZUIDERMYK, M. (1979). Simplified size and shape description of ore particles as measured by automated SEM. International powder and bulk solids handling and processing, Philadelphia, Pennsylvania

GOODALL, W. R., SCALES P. J. (2007). An overview of the advantages and disadvantages of the determination of gold mineralogy by automated mineralogy. In.: Minerals Engineering 20, p. 506–517.

Nery, G., Ulsen, C., Kahn, H., Tassinari, M., & Uliana, D. (2014). CARACTERIZAÇÃO DE OURO POR ANÁLISE DE IMAGEM AUTOMATIZADA POR FEIXE DE ELÉTRONS. HOLOS, 3, 3-10. doi:http://dx.doi.org/10.15628/holos.2014.1786

PETRUK, W. (2000). Applied Mineralogy in the Mining Industry. 1. Elsevier Science.

Downloads

Publicado

24/12/2015

Como Citar

Costa, F. R., Uliana, D., Nery, G. P., Ulsen, C., & Kahn, H. (2015). APLICAÇÃO DA ANÁLISE DE IMAGEM AUTOMATIZADA NA ACESSIBILIDADE DOS GRÃOS DE OURO. HOLOS, 7, 12–18. https://doi.org/10.15628/holos.2015.3728

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)