COVID-19 E O CASO DAS NOVÍSSIMAS UNIVERSIDADES FEDERAIS: HÁ UMA POSSÍVEL RELAÇÃO DE APRENDIZAGEM À DEMOCRACIA E AO COMUM?

Autores

  • Ives Romero Tavares do Nascimento Laboratório Interdisciplinar de Estudos em Gestão Social / Centro de Ciencias Sociais Aplicadas da Universidade Federal do Cariri https://orcid.org/0000-0002-3314-6618
  • Cinthia Lima dos Santos Laboratório Interdisciplinar de Estudos em Gestão Social / Centro de Ciencias Sociais Aplicadas da Universidade Federal do Cariri https://orcid.org/0000-0002-9154-0525

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2022.11560

Palavras-chave:

Covid-19, novíssimas universidades federais, questão social acrescida, comum, mundo pós-pandêmico.

Resumo

Este ensaio tem como objetivo estabelecer uma possível relação de aprendizagem institucional e organizacional a de resposta social aos problemas ocasionados pela emergência sanitária de Covid-19, a partir da experiência brasileira de criação das chamadas novíssimas universidades federais. Nestas instituições, preponderou a participação e o engajamento para que pudessem ser formatadas a partir da lógica da educação regionalizada, como potencializadora de processos de desenvolvimento territorial. Essa relação teórico-reflexiva é construída a partir das considerações de Tenório (2020) e Giannella (2020) sobre os efeitos sociais da Covid-19 no que diz respeito à questão social acrescida, no que toca a uma necessária repactuação democrática, e à redefinição do Comum num mundo pós-pandêmico, respectivamente. Ao final, este ensaio propõe que a experiência das novíssimas universidades federais pode ser uma importante instrumentalização para a concretização de respostas aos questionamentos trazidos para esta contribuição.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ives Romero Tavares do Nascimento, Laboratório Interdisciplinar de Estudos em Gestão Social / Centro de Ciencias Sociais Aplicadas da Universidade Federal do Cariri

Doutor em Administração Pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professor do Centro de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal do Cariri (CCSA/UFCA). Pesquisador do Laboratório Interdisciplinar de Estudos em Gestão Social (LIEGS). Bolsista de Produtividade em Pesquisa, Estímulo à Interiorização e à Inovação Tecnológica (BPI/Funcap/CE)

Cinthia Lima dos Santos, Laboratório Interdisciplinar de Estudos em Gestão Social / Centro de Ciencias Sociais Aplicadas da Universidade Federal do Cariri

Graduanda em Administração Pública e Gestão Social pela da Universidade Federal do Cariri (UFCA). Membro do Laboratório Interdisciplinar de Estudos em Gestão Social (LIEGS). Bolsista de Iniciação Científica pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Referências

Almeida Filho, N. & Souza, Souza, L. E. (2020). Uma protopia para a universidade brasileira. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, 28(105). Recuperado de https://doi.org/10.14507/epaa.28.5525.

Andriola, W. B. & Suliano, D. C. (2015). Avaliação dos impactos sociais oriundos da interiorização da Universidade Federal do Ceará (UFC). Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 96(243), 282-298. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S2176-6681/339512841.

Arruda, A. L. B. & Gomes, A. M. (2015). Democratização da educação superior: Um estudo sobre a política REUNI. Currículo sem Fronteiras. 15 (2). 543-561. Recuperado de http://www.curriculosemfronteiras.org/vol15iss2articles/arruda-gomes.pdf.

Baptista, N. Q. & Campos, C. H. (2013). Educação contextualizada para a convivência com o semiárido. In Conti, I. C. & Schroeder, E. O. (Orgs.), Convivência com o Semiárido Brasileiro: autonomia e protagonismo social. 232 p. 99-112. Brasília/DF: Editora IABS.

Boullosa, R. F. (2013). Mirando ao Revés nas Políticas Públicas: notas sobre um percurso de pesquisa. Pensamento & Realidade, 28 (3), 67-84. Recuperado de https://revistas.pucsp.br/index.php/pensamentorealidade/article/view/17572/15028.

Boullosa, R. F. (2019). Mirando ao Revés as políticas públicas: os desenvolvimentos de uma abordagem crítica e reflexiva para o estudo das políticas públicas. Publicações da Escola da AGU, série especial. 89-105.

Camargo, A. M. M. & Araújo, I. M. (2018). Expansão e interiorização das universidades federais no período de 2003 a 2014: perspectivas governamentais em debate. Acta Scientiarum, v. 40(1). Recuperado de http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciEduc/article/view/37659/21759.

Costa, P. L. S. (2010). As Bases Espaciais da Solidariedade e as Dinâmicas da Interiorização do Ensino Superior Público Estadual na Bahia: O processo de criação da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Universidade Estadual do Sudoeste Baiano (UESB), Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal da Bahia.

Cunha, L. A. (2007). O desenvolvimento meandroso da educação brasileira entre o estado e o mercado. Educação & Sociedade, 28 (100), 809-829. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S0101-73302007000300009.

Dias Sobrinho, J. (2013). Educação superior: bem público, equidade e democratização. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), 18 (1), 107-126. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S1414-40772013000100007.

Emenda Constitucional nº 59, de 11 de novembro de 2009. Acrescenta § 3º ao art. 76 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias para reduzir, anualmente, a partir do exercício de 2009, o percentual da Desvinculação das Receitas da União incidente sobre os recursos destinados à manutenção e desenvolvimento do ensino de que trata o art. 212 da Constituição Federal, dá nova redação aos incisos I e VII do art. 208, de forma a prever a obrigatoriedade do ensino de quatro a dezessete anos e ampliar a abrangência dos programas suplementares para todas as etapas da educação básica, e dá nova redação ao § 4º do art. 211 e ao § 3º do art. 212 e ao caput do art. 214, com a inserção neste dispositivo de inciso VI. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/Emendas/Emc/emc59.htm.

Gragnani, J. (2020, julho 12). Por que o coronavírus mata mais as pessoas negras e pobres no Brasil e no mundo. BBC Brasil. Recuperado de https://www.bbc.com/portuguese/brasil-53338421.

Giannella, V. (2020). O comum e a gestão social do pós-pandemia. Revista NAU Social, 11 (20), 91-99. Recuperado de http://dx.doi.org/10.9771/ns.v11i20.36549.

Gumiero, R. G. (2019). Avaliação da Expansão do REUNI UFGD no Mato Grosso do Sul. Interações (Campo Grande), 20(4), 989-1003. Recuperado de https://doi.org/10.20435/inter.v20i4.2028.

Hartmann, M. (2020, julho 24). O coronavírus e a desigualdade: como e por que a covid-19 se torna mais letal nas áreas de periferia. GZH Saúde. Recuperado de https://gauchazh.clicrbs.com.br/saude/noticia/2020/07/o-coronavirus-e-a-desigualdade-como-e-por-que-a-covid-19-se-torna-mais-letal-nas-areas-de-periferia-ckd0ixqgg001l0147grjxxmge.html.

Howlett, M.; Ramesh, M. & Perl, A. (2009). Studying Public Policy: Policy Cycles and Policy Subsystems. 3. ed. Oxford University Press.

Laniado, R. (2008). As Fronteiras da política democrática: a justiça social e as diferentes escalas da ação coletiva participativa. In Martins, P. H.; Matos, A. & Fontes, B. (Orgs.). Limites da Democracia. Recife: Ed. Universitária da UFPE.

Lara, L. G. A. de & Vizeu, F. (2019). (Re)Pensando o “ensaio como forma” no campo de estudos organizacionais. Anais do XLIII Encontro da ANPAD (EnANPAD).

Lima, M. S. O. & Silva, R. D. (2020). A UFRRJ como identidade territorial: a espacialidade e a territorialidade afetiva da instituição. Revista Americana de Empreendedorismo e Inovação, 2 (2), 43-48. Recuperado de http://periodicos.unespar.edu.br/index.php/raei/article/download/3267/2147

Mancebo, D., Vale, A. A. & Martins, T. B. (2015). Políticas de expansão da educação superior no Brasil 1995-2010. Revista Brasileira de Educação, 20(60), 31-50. Recuperado de https://doi.org/10.1590/S1413-24782015206003.

Meneghetti, F. K. (2009). O que é um Ensaio-Teórico? Anais do II Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e Contabilidade.

Ministério da Educação - MEC. (2014). A democratização e expansão da educação superior no país 2003 – 2014. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=16762-balanco-social-sesu-2003-2014&category_slug=dezembro-2014-pdf&Itemid=30192.

Muhr, T. (2016). Equity of access to higher education in the context of South-South cooperation in Latin America: a pluri-scalar analysis. Higher Education. 72 (4). 557–571. Recuperado de http://dx.doi-org.ez98.periodicos.capes.gov.br/10.1007/s10734-016-0017-9.

Nascimento, I. R. T. (2018). A expansão da educação superior como estratégia de desenvolvimento territorial: O caso da Universidade Federal do Cariri. Tese (Doutorado em Administração). Escola de Administração, Universidade Federal da Bahia, Brasil.

Nascimento, M. R. do; Feitosa, E. S.; Marcon, R.; Verdu, F. C. & Bandeira-de-Mello, R. (2007). Ensaios Teóricos: De onde Vêm e para Onde Vão? Anais do I Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e Contabilidade.

Novato, V. O. L., Najberg, E. & Lotta, G. S. (2020). O burocrata de médio escalão na implementação de políticas públicas. Revista de Administração Pública, 54(3), 416-432, Recuperado de https://doi.org/10.1590/0034-761220190228.

Pereira, L. A. C. & Cruz, J. L. V. (2019). Os institutos federais e o desenvolvimento regional: interface possível. Holos. 35 (4). Recuperado de https://doi.org/10.15628/holos.2019.7992.

Peres, J. L. P. (2020). Reinterpretando o fluxo de políticas públicas a partir da experiência: do pragmatismo crítico ao Hip Hop da Ceilândia/DF (Tese de Doutorado), Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento, Sociedade e Cooperação Internacional – PPGDSCO, Universidade de Brasília (UnB), 251f.

Santos, B. S. (2011) A Universidade no século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da Universidade. 3 ed. São Paulo: Cortez.

Tenório, F. G. (2020). A Questão Social Acrescida. Revista NAU Social, 11 (20), 105-109. Recuperado de http://dx.doi.org/10.9771/ns.v11i20.36634.

Universidade Federal do Sul da Bahia. (2014). Plano Orientador. Recuperado de https://www.ufsb.edu.br/wp-content/uploads/2015/05/Plano-Orientador-UFSB-Final1.pdf

Universidade Federal do Cariri. (2017). Estatuto da Universidade Federal do Cariri. Recuperado de https://documentos.ufca.edu.br/wp-folder/wp-content/uploads/2019/09/Estatuto-UFCA-2019.pdf.

Downloads

Publicado

07/01/2022

Como Citar

Nascimento, I. R. T. do, & Santos, C. L. dos. (2022). COVID-19 E O CASO DAS NOVÍSSIMAS UNIVERSIDADES FEDERAIS: HÁ UMA POSSÍVEL RELAÇÃO DE APRENDIZAGEM À DEMOCRACIA E AO COMUM?. HOLOS, 2, 1–18. https://doi.org/10.15628/holos.2022.11560

Edição

Seção

ARTIGOS