GRANULOMETRIA E MORFOMETRIA DE SEDIMENTOS SUPERFICIAIS COSTEIROS: O COMPLEXO DE LAGOAS INTERDUNARES DA APA JENIPABU, RIO GRANDE DO NORTE, BRASIL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2020.9890

Palavras-chave:

dunas holocênicas, análise granulométrica, análise de correspondência múltipla

Resumo

No litoral oriental do Estado do Rio Grande do Norte, há a presença de campos de dunas transgressivos, surgidos a partir do transporte e deposição de sedimentos pela ação eólica. Nas áreas mais baixas há o afloramento da superfície freática, o que dá origem às lagoas interdunares. A Área de Proteção Ambiental de Jenipabu (APAJ) comporta um desses campos de dunas transgressivos, onde ocorrem algumas destas lagoas. Estes depósitos são relevantes, seja no contexto ecossistêmico, por abrigar grande diversidade de organismos e corpos d’água potável (as lagoas interdunares), seja por sua atribuição paisagística e turística. Por isso, foi feito um estudo desses sedimentos, que consistiu em uma análise granulométrica e morfométrica, além de uma análise de correspondência múltipla, integrando todos os resultados. Foi possível conferir a composição mineralógica predominantemente quartzosa variando de cascalho à fração silte/argila. O ambiente possui grãos que estão principalmente na fração areia fina a média; moderadamente a bem selecionados, com esfericidade média amplamente dominante, característicos de ambientes de alta energia dinâmica.  


 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Cláudia Patrícia Araújo e Silva, Universidade Estadual de Campinas

Bacharel em Geologia pela UFRN, mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela UFRN. Atualmente cursa doutorado em Ensino e História de Ciências da Terra (UNICAMP).

Ricardo Farias do Amaral, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Professor Titular da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, lotado no Departamento de Geologia. Formado em Geologia (UFPE). Pós-doutorado pela Universidade de Algarve, Portugal. Doutorado em Geociências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Paulo Victor do Nascimento Araújo, IFRN

Professor do Instituro Federal de Educação, Ciência e Tevnologia. Bacharel em Engenharia de Pesca. Mestre e Doutor em Geodinâmica e Geofísica (UFRN).

Referências

Abdi, H. & Valentin, D. (2007). Multiple factor analysis (MFA). In: Salkind, N. (ed.). Encyclopedia of Measurement and Statistics. Thousand Oaks, CA: Sage Publications. p. 1-14. Disponível em: https://www.utdallas.edu/~herve/Abdi-MFA2007-pretty.pdf Acesso em: 16 ago. 2019.

Barreto, E.P.; Manso, V.A.V; Gregório, M.N.; Silva, C.F.A; Ferreira, B. & Oliveira, P.F.P. (2015). Zona Costeira do Estado de Pernambuco: Caracterização Ambiental, Sedimentar, Textural e Composicional da Praia de São José da Coroa Grande, Litoral Sul do Estado. Revista Brasileira de Geografia Física, 8(5): 1303-1320.

Baruah, J.; Kotoky, P. & Sarma, J. (1997). Textural and geochemical study on river sediments: a case study on the Jhanji River, Assam. Journal of Indian Association of Sedimentologists, 16(2): 195-206.

Dias, J.A. (2004). A análise sedimentar e o conhecimento dos sistemas marinhos. Universidade de Algarves. Faro, Portugal. Disponível em: http://w3.ualg.pt/~jdias/JAD/eb_Sediment.html Acesso em: 10 jun. 2019

Folk, R.L. & Ward W.C. (1957). Brazos River bar: a study in the significance of grain size parameters. Journal of Sedimentary Research, 27(1): 3-26.

Gallon, R.K. & Fournier, J. (2015). Package ‘G2Sd’: Grain-Size Statistics and Description of Sediment. R package version 2.1.5. Disponível em https://cran.r-project.org/web/packages/G2Sd/G2Sd.pdf Acesso em: 01 abr. 2019.

Gilbert, E.R.; Camargo, M.G. & Sandrini-Neto, L. (2015). Package ‘rysgran’: Grain size analysis, textural classifications and distribution of unconsolidated sediments. R package version 2.1.0. Disponível em https://cran.r-project.org/web/packages/rysgran/rysgran.pdf Acesso em: 05 ago. 2019.

Guerra, A.T. & Guerra, A.J.T. (2008). Novo dicionário geológico-geomorfológico. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 648p.

Hesp, P.A. & Thom, B. G. (1990). Geomorphology and evolution of active transgressive dunefilds. In: Nordstrom, K. F.; Psuty, N.P. & Carter, B. (eds). Coastal Dunes: Form and Process. London, John Wiley. p. 253-288.

Husson, F.; Josse, J.; Le, S. & Mazet, J. (2019). Package ‘FactoMineR’: Multivariate Exploratory Data Analysis and Data Mining. R package version 1.42. 97p. Disponível em https://cran.r-project.org/web/packages/FactoMineR/FactoMineR.pdf Acesso em 03 jul. 2019.

Lima, J.S.D. (2011). Análise e Monitoramento Geoambiental da praia de Genipabu/RN. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Geografia. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. 125p.

Malta, J.V. & Amaral, R.F. (2013). Morfologia de um campo de dunas eólicas costeiras de Jenipabu no município de Extremoz – Litoral Oriental do Rio Grande do Norte. In: XIV CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS DO QUATERNÁRIO, 14, 2013, Resumos, Natal.

Paiva, H.P. (2011). Morfodinâmica de um Campo de Dunas Eólicas Costeiras no Município de Maxaranguape. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Geodinâmica e Geofísica. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. 90p.

Powers, M.C. (1953). A new roundness scale for sedimentary particles. Journal of Sedimentary Research, 23(2): 117-119.

R Core Team. (2019). R: A Language and Environment for Statistical Computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna. Disponível em: https://www.R-project.org. Acesso em: 23 fev. 2019.

Ramanathan, A.L.; Rajikumar, K.; Majumdar, J.; Singh, G.; Behera, P.N.

& Santra, S.C. & Chidambaram, S. (2009). Textural characteristics of the surface sediments of a tropical mangrove Sundarban ecosystem India. Indian Journal of Marine Science, 38(4): 397-403.

Ray, A.K.; Tripathy, S.C.; Patra, S. & Sarma, V.V. (2006). Assessment of Godavari estuarine mangrove ecosystem through trace metal studies. Environment International, 32(2): 219-223.

Ribeiro, H.M.; Bastos, S.Q. & Hermeto, A.M. (2017). Arranjos Institucionais e Desenvolvimento: uma Análise Multivariada e Espacial para Municípios de Minas Gerais. Análise Econômica, 35(68): 231-262.

Silva, E.A.J. (2002). As Dunas Eólicas de Natal/RN: Datação e Evolução. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Geodinâmica e Geofísica. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. 127p.

Silva, A.J.C.L.P., Aragão, M.A.N.F. & Magalhães, A.J.C. (2008). Ambientes de Sedimentação Siliciclástica do Brasil. Rio de Janeiro, Editora Becca, p. 103-130.

Silva, A.L.C.; Abreu, M.L.L. & Silvestre, C.P. (2012). Dunas costeiras na barreira arenosa holocênica da APA de Maricá no estado do rio de janeiro, Brasil. Revista Geonorte, 2(4): 367-376.

Silva, J.R. (2017). Unidades de Conservação do Estado do Rio Grande do Norte: regime jurídico, problemas e soluções devida. Monografia de Especialização. Programa de Pós-Graduação em Direito Administrativo. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. 55p.

Suguio, K. (1973). Introdução à sedimentologia. São Paulo, Editora Edgard Blücher, 318p.

Suguio, K. (2003). Geologia Sedimentar. São Paulo, Editora Edgard Blücher, 400p.

Verdade, F.C. (1954). Ação da água oxigenada sobre a matéria orgânica do solo. Boletim Técnico da Divisão e Experimentação e pesquisas, 13(24): 287-295.

Wentworth, C.K. (1922). A scale of grade and class terms for clastic sediments. The Journal of Geology, 30(5): 377-392.

Downloads

Publicado

16/12/2020

Como Citar

Araújo e Silva, C. P., do Amaral, R. F., & do Nascimento Araújo, P. V. (2020). GRANULOMETRIA E MORFOMETRIA DE SEDIMENTOS SUPERFICIAIS COSTEIROS: O COMPLEXO DE LAGOAS INTERDUNARES DA APA JENIPABU, RIO GRANDE DO NORTE, BRASIL. HOLOS, 6, 1–18. https://doi.org/10.15628/holos.2020.9890

Edição

Seção

ARTIGOS