REFLEXÕES CRÍTICAS QUANTO AS LIMITAÇÕES DO TEXTO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE DESEMPENHO NBR 15220-3 E NBR 15575

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2016.4389

Palavras-chave:

Normalização, Desempenho térmico, Zonas bioclimáticas, Diretrizes construtivas.

Resumo

Este artigo apresenta uma série de reflexões críticas quanto aos textos das Normas NBR 15220 - Desempenho térmico de edificações - Parte 3: Zoneamento Bioclimático Brasileiro e Diretrizes Construtivas para Habitações Unifamiliares de Interesse Social, e NBR 15575 – Edifícios habitacionais - Desempenho – Parte 4 Vedações Verticais e Parte 5 Coberturas (Avaliação simplificada do desempenho térmico).  As críticas do primeiro texto da Norma referem-se as cidades localizadas em clima subtropical e do segundo texto a todas 8 zonas bioclimáticas do Brasil. No que se refere a NBR 15220-3, esta não contempla algumas diretrizes construtivas e estratégias de condicionamento térmico passivo necessárias para cidades com clima subtropical. Já para a NBR 15575, identificou-se também a ausência de algumas diretrizes, como fator solar máximo de aberturas e capacidade térmica de coberturas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Amilcar José Bogo, Universidade Regional de Blumenau - FURB

Departamento de Arquitetura e Urbanismo Laboratório de Conforto Ambiental - LACONFA/Grupo de Estudo e Pesquisa do Habitat - GEPHabitat

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR 15575: Edifícios habitacionais -Desempenho. Rio de Janeiro, 2013.

______. ABNT NBR 15220-3: Desempenho térmico de edificações – Parte 3: Zoneamento bioclimático brasileiro e diretrizes construtivas para habitações unifamiliares de interesse social. Rio de Janeiro, 2005

BOGO, Amilcar J. Limitações quanto aos parâmetros de desempenho térmico e estratégias bioclimáticas recomendadas pela norma brasileira de desempenho térmico de habitações de interesse social. Anais do NUTAU 2008 - 7o Seminário Internacional: Espaço Sustentável, São Paulo SP. São Paulo SP: NUTAU-USP, 2008.

BRITO, A. C. et al. Contribuições Para o Aprimoramento da NBR 15575 Referente ao Método Simplificado de Avaliação de Desempenho Térmico de Edifícios. Anais do Encontro Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído, v. 14, 2012.

BRUAND, Yves. Arquitetura contemporânea no Brasil. 3ª edição. São Paulo: Perspectiva, 1999.

D’ELL SANTO, Amabelli; ALVAREZ, Cristina Engel; NICO-RODRIGUES, Edna Aparecida. Conforto e desempenho térmico em contradição na NBR 15575. Cadernos do PROARQ 20. Rio de Janeiro Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Programa de Pós-Graduação em Arquitetura, julho, 2013.

GIVONI. B. Comfort, climate analysis and building design guidelines. Energy and Building. Vol.1, pp. 11-23, 1992.

MAHONEY, C. Climate and house design. Department of economic and social affairs. New York. United Nations, 93 p, 1971.

OLIVEIRA, Raquel Diniz; SOUZA, RVG; SILVA, R. M. Desempenho Térmico: qual valor devemos atender para a legislação brasileira? Anais do ENCONTRO NACIONAL DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, v. 12, 2013.

RORIZ, Maurício e BASSO, Admir. Arquitrop: Conforto Térmico e Economia de Energia nas Edificações. Versão 3. 0 . São Carlos, 1995.

RORIZ, Maurício; GHISI, Enedir; LAMBERTS, Roberto. Uma proposta de norma técnica brasileira sobre desempenho térmico de habitações populares. Anais do ENCONTRO LATINO AMERICANO DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, Fortaleza: ANTAC, 1999.

SORGATO, M. J.; MELO, A. P.; LAMBERTS, R. Análise do método de simulação de desempenho térmico da Norma NBR 15.575. Paranoá, Brasília, no 12, p. 13-22, 2014.

Downloads

Publicado

12/11/2016

Como Citar

Bogo, A. J. (2016). REFLEXÕES CRÍTICAS QUANTO AS LIMITAÇÕES DO TEXTO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE DESEMPENHO NBR 15220-3 E NBR 15575. HOLOS, 7, 290–298. https://doi.org/10.15628/holos.2016.4389

Edição

Seção

ARTIGOS