TERRAS RARAS: CONSIDERAÇÕES SOBRE O PLANALTO DE POÇOS DE CALDAS, MG NO NOVO CENÁRIO MUNDIAL

Autores

  • Almir Donizette Vicente Gouvea Universidade Federal de Alfenas - MG
  • Fabiano Cabañas Navarro Universidade Federal de Alfenas - MG
  • Carolina Del Roveri Universidade Federal de Alfenas - MG

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2014.1810

Palavras-chave:

Terras raras, Materiais da terceira onda, Planalto de Poços de Caldas – MG.

Resumo

A importância dos minerais de terras raras, considerados “materiais da terceira onda”, se deve a sua relação com o desenvolvimento tecnológico. A China por muito tempo dominou a produção e vendas no mercado mundial, adotando nos últimos anos severas medidas protecionistas que acabaram por forçar diversos países a optar por outras formas de suprimento para suas demandas. A necessidade de procurar novas fontes de minerais estratégicos levou ao desenvolvimento ou retomada de programas de exploração em diversas áreas. Dentre essas, destaca-se o Planalto de Poços de Caldas – MG, que corresponde a um depósito laterítico desenvolvido sobre um complexo alcalino intrusivo em domínios de embasamento cristalino. Nesse contexto geológico observam-se comportamentos distintos quanto aos processos de laterização e/ou oxidação que ocasionam a lixiviação de certos elementos e enriquecimento residual dos menores móveis, podendo formar um depósito econômico dependendo das condições locais. São apresentados dados oriundos de extensa revisão bibliográfica acerca do potencial geológico deste depósito e propõe-se a aplicação de técnicas de baixo custo para os trabalhos prospectivos no maciço.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Almir Donizette Vicente Gouvea, Universidade Federal de Alfenas - MG

Graduado em Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia em junho de 2013 na UNIFAL - MG. Cursando Engenharia de Minas na UNIFAL - MG.

Fabiano Cabañas Navarro, Universidade Federal de Alfenas - MG

Geólogo pela UNESP - Rio Claro (1999), possui doutorado (2006) em Geologia Regional pela UNESP-Rio Claro. Atua na área de Geociências, com ênfase em Geologia, principalmente nos seguintes temas: mecânica e tecnologia de rochas, petrografia, análise de imagens, rochas ornamentais e para revestimento e prospecção e pesquisa mineral. Entre 2005 e 2010 atuou no IPT (Insituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo S.A.) nas áreas de tecnologia de rochas (com ênfase em determinação de propriedades mecânicas, diagnósticos e usos de rochas ornamentais) e de mecânica de rochas (com ênfase em mecanismos de deformação de rochas evaporíticas, e supervisionando ensaios geomecânicos em laboratório). Desde 2011 está ligado ao Instituto de Ciência e Tecnologia no Campus Poços de Caldas da UNIFAL atuando como docente de Mineralogia, Petrologia e Rochas Ornamentais. Em 2012 assumiu a vice presidência para América do Sul do Grupo de Trabalho Global Heritage Stone Project .

Carolina Del Roveri, Universidade Federal de Alfenas - MG

Técnica em Cerâmica, formada pelo CENATEC SENAI "Mário Amato" em 1998. Trabalhou na área de pesquisa e consultoria especializada à empresas, no LaRC/DEMa/UFSCar, de 01/1999 a 06/2000. Em 2005 concluiu a Graduação em Geologia, pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho". Em 2010 obteve, junto ao Programa de Pós-Graduação em Geociências/IGCE/UNESP, o Título de Doutora em Geologia Regional. Em 2011, participou do Programa de Pós-Doutorado, na mesma instituição. Atualmente é Professora Adjunta do Instituto de Ciência e Tecnologia do Campus Avançado de Poços de Caldas, da UNIFAL-MG, que abriga os cursos de Graduação em Bacharelado em Ciência e Tecnologia, Engenharia de Minas, Engenharia Ambiental e Engenharia Química. Atua junto a estes cursos de graduação, em especial ao BCT e Engenharia de Minas e junto ao Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Materiais. Participa de vários projetos de pesquisa, compondo, na UNIFAL-MG, os Grupos de Pesquisa " Recursos Minerais" e "Tecnologia em Materiais Metálicos e Cerâmicos", e no DPM/UNESP, o Grupo de Pesquisa "Recursos Minerais Metálicos e Não-Metálicos". Desenvolve parcerias com outras instituições, como IPT, UFSCar, USP, UFOP, UCM/Espanha, UCLM/Espanha e com Indústrias Cerâmicas e Minerações. Atua na área de Geociências, com ênfase em Mineralogia Aplicada e Minerais Industriais e na área de Engenharia, com ênfase em Materiais Cerâmicos e Caracterização e Tratamento de Minérios.

Referências

ABRÃO, A. Química e tecnologia das terras-raras. Série Tecnologia Mineral No66. CETEM/CNPQ, 212p, 1994.

ABREU, V. A. Investigação Prospectiva das Indústrias dos Terras Raras – Subsidio para Políticas e Gestão em Minerais/ Materiais Estratégicos, Campinas, 1991.

ANDRADE, R. H. P. de. Terras raras. Sumário Mineral, DNPM – Departamento Nacional de Produção Mineral. ISSN 0101-2053. Brasília, DF, vol. 31, 2011, p. 89-90.

BIRKETT, T. C. et al. Carbonatite-associated Deposits: Magmatic, Replacement and Residual; in Simandl, G.J. et al. Selected British Columbia Mineral Deposit Profiles, Volume 3, Industrial Minerals. Lefebure Editors, British, Columbia. Ministry of Energy and Mines, 1999, 137 p.

FRAENKEL, M.O.; SANTOS, R.C.; LOUREIRO, F.E.V.L. & MUNIZ, W.S. Jazida de Urânio do Planalto Poços de Caldas, Minas Gerais. In: SCHOBBENHAUS, C. & COELHO, C.E.S., coords. Principais depósitos minerais do Brasil. Brasília, DNPM/CVRD, 1985. v.1. p.89-103.

HUMPHRIES, M. Rare Earth Elements: The Global Supply Chain. In: Congressional Research Service, 7-5700, 2012, 31 p.

IUPAC - International Union for Pure and Applied Chemistry. Disponível em: http://www.iupac.org/. Acesso em 20 de jun. 2012.

LAPIDO- LOUREIRO, F. E. V. Terras Raras no Brasil – Depósitos, recursos identificados, reservas. Rio de Janeiro, CETEM, 1994, p. 10-39.

LAPIDO-LOUREIRO, F. E. Terras-Raras: Tipos de Depósitos, Recursos Identificados e Alvos Prospectivos no Brasil. In: SEMINÁRIO BRASILEIRO DE TERRAS RARAS, 1º, 2011, Rio de Janeiro. Bases para o desenvolvimento de Terras raras no Brasil. Rio de Janeiro: CETEM - CENTRO DE TECNOLOGIA MINERAL, 2011, 33 p.

LEONARDI, F. A. A relação dos perfis lateríticos bauxíticos com as superfícies geomórficas do planalto de Poços de Caldas SP/MG, 2007, 156 p.

MORAES, F. T.; Jiménez-Rueda, J. R. Fisiografia da região do planalto de Poços de Caldas, MG/SP. Rev. bras. geociênc., São Paulo, v. 38, n. 1, mar. 2008.

MOREIRA, F. R. S. et al. Spatial Analysis techniques applied to mineral prospecting: an evaluation in the Poços de Caldas Plateau. Rev. bras. geociênc., vol. 33, n. 2 – Suplemento, jun. 2003. p. 183 - 190.

NEUMANN, H. et al. Distribution patterns of rare earth elements in minerals. Rev. nor. geológ., v. 50, 1966, p. 357-373.

PETRICK, A. J. R. et al. The economics of byproduct metals: lead, zinc, uranium, rare earth, iron, aluminium, titanium and a lithium system. Washington: Bureau of Mines, 1973.

SLAVEC, G. B. et al. Estudo gravimétrico do maciço alcalino de poços de caldas. Revista Brasileira de Geociências, vol. 34, 2004, 6 p.

TSE, Pui-Kwan. China’s Rare-Earth Industry. U. S. Geological Survey. Open–File Report 2011–1042, Reston, Virginia, 2011. 11 p.

ULBRICH, H.H.G.J et al. Penecontemporaneous syenitic-phonolitic and basic-ultrabasic- carbonatitic rocks at the Poços de Caldas Alkaline Massif, SE Brazil: geologic and geochronologic evidence. Rev. bras. geociênc., vol. 32, n. 1, pag. 15-2

Downloads

Publicado

2014-08-15

Como Citar

Vicente Gouvea, A. D., Navarro, F. C., & Roveri, C. D. (2014). TERRAS RARAS: CONSIDERAÇÕES SOBRE O PLANALTO DE POÇOS DE CALDAS, MG NO NOVO CENÁRIO MUNDIAL. HOLOS, 4, 101–109. https://doi.org/10.15628/holos.2014.1810

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)