RELAÇÃO ENTRE CULTURA ORGANIZACIONAL E ESTRATÉGIAS

Miler Franco Danjour, Patrícia Whebber S. de Oliveira, Miguel Eduardo Moreno Añez

Resumo


Este estudo apresenta como objetivo geral analisar as relações entre cultura organizacional e estratégias das Instituições de Ensino Superior do Estado do Rio Grande do Norte – IES/RN. Foi realizado um estudo do tipo explicativo predominantemente quantitativo com as 31 instituições. Os dados foram tratados por meio de um modelo preditivo de correlação canônica. Os resultados indicaram a existência de um estilo cultural empreendedor e uma tipologia estratégica prospectiva como predominantes, os resultados da correlação canônica indicaram uma forte relação entre as variáveis analisadas, de forma que se pôde identificar que 77,88% da variação do composto linear (estratégia organizacional) da primeira função são influenciados pela variação do outro composto (cultura organizacional) que a compõe. Por fim, conclui-se que o presente estudo confirma as relações existentes entre os estilos de cultura organizacional e as tipologias das estratégias organizacionais das IES estudadas.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Martinho I. R. Manual de planejamento estratégico. São Paulo: Atlas, 2001.

CARVALHO, Carlos Eduardo; RONCHI, Carlos César. Cultura organizacional: teoria e pesquisa. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 2005.

COLLIS, Jill; HUSSEY, Roger. Pesquisa em administração: um guia prático para alunos de graduação e pós-gradução. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

CONANT, J. S.; MOKWA, M. P.; VARADARAJAN, P. R. Strategic types, distinctive marketing competencies and organizational performance: a multiple measures-based study. Strategic Management Journal, v. 11, n. 5, p. 365-383, sep. 1990.

DAFT, Richard L. Organizações: teorias e projetos. São Paulo: Thomson, 2002.

D’ANJOUR, Miler Franco. As relações da cultura organizacional com as estratégias nas instituições de ensino superior do rio grande do norte. Dissertação (PPGA) – Universidade Potiguar, Natal, 2010.

DEGENHARDT, Victor Werner. Estratégia competitiva e cultura organizacional: um estudo exploratório do estágio atual da indústria brasileira de equipamentos mecânicos pesados. Dissertação (PPGA) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2006.

DUTRA, Joel Souza; FLEURY, Maria Tereza Leme; RUAS, Roberto. Competências: Conceito, Métodos e Experiências. São Paulo: Ed. Atlas, 2006.

HAIR JR, Joseph F. et al. Análise multivariada de dados. 6. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009.

KELM, Martinho Luís. Indicadores de performance em instituições universitárias autogeridas : uma contribuição à gestão por resultados. Tese (PEP) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003.

MENDES, Ana M. Bezerra; PAZ, Maria das G. Torres da; Gabriel, Iannis. Configurações de poder organizacional e estilos de caráter. Psicologia: organizações e trabalhos, Florianópolis, v. 1, n. 1, p. 141 – 186, jan./jun. 2001.

MILES, R. E; SNOW, C. C. Organizational strategy, structure, and process. Stanford. Stanford Business Books, 2003.

MINTZBERG, Henry; AHLSTRAND, Bruce; LAMPEL, Joseph. Safári da estratégia: um roteiro pela selva do planejamento estratégico. Porto Alegre: Bookman, 2000.

MINTZBERG, Henry. Criando organizações eficazes: estruturas em cinco configurações. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MINTZBERG, H; ROSE, J. Strategic management upside down: tracking strategies at MacGill University from 1829 to 1980. Canadian Journal of Administrative Science. v. 20, n. 4. p. 270-290, Dec., 2003.

MINTZBERG, Henry et al. O processo da estratégia. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MOREIRA, Cristiane Rosa. A relação entre estratégia e performance nas instituições de ensino superior privadas na Região Sul. Dissertação (PPGA) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2007.

MORGAN, Gareth. Imagens da organização. São Paulo: Atlas, 1996.

PAZ, Maria das G. Torres da; MENDES, Ana M. Bezerra. Estilos de funcionamento organizacional. In: SIQUEIRA, Mirlene Maria Matias (Org.). Medidas do comportamento organizacional: ferramenta de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre: Artmed, 2008.

PORTER, Michael E. Competição: estratégias competitivas essenciais. 9. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

PUENTE-PALACIOS, K. E. Influências das características pessoais e ambientais na avaliação do clima social do trabalho. Revista de Administração, v. 30, n. 3, p.73-79, jul./set. 1995.

QUINN, R. E.; The transformation of organizational cultures. In. FROST, P. J. (Org.). Organizational culture. Beverly Hills: Sage, 1985.

SCHEIN, Edgar H. Cultura organizacional e liderança. São Paulo: Atlas, 2009.

SCHNEIDER, William E. Uma alternativa à reengenharia. Rio de Janeiro: Record, 1996.

SHRIVASTAVA, Paul. Integrating strategy formulation with organizational culture. Journal of Business Strategy, v. 5, n. 3, p. 103-111, Winter, 1985.

TONI, Jackson De. Em busca do planejamento governamental do século XXI: novos desenhos. In: REPETTO, Fabio et al. Reflexões para Ibero-America: planejamento estratégico. Brasília: ENAP, 2009. p. 21 – 36.

VIZEU, Fabio; GONÇALVES, Sandro Aparecido. Pensamento Estratégico: origem, princípios e perspectivas. São Paulo: Atlas, 2010.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2014.1486



 

HOLOS IN THE WORLD