A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA E A IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DOS PROPAGANDISTAS DE MEDICAMENTOS: ESTUDO COM COLABORADORES EM NATAL/RN

Helio Roberto Hekis, Kleber Cavalcante Sousa, Marcio Furukava, Ricardo Alexsandro de Medeiros Valentim, Idelmárcia Dantas de Oliveira, Robinson Luis de Souza Alves

Resumo


A indústria Farmacêutica é um mercado competitivo, complexo e de investimentos vultosos em pesquisa, desenvolvimento e produção de produtos farmacêuticos. Uma das principais estratégias da Indústria farmacêutica é a promoção de seus produtos junto à classe médica, através dos propagandistas de medicamentos, profissionais essenciais ao sucesso desta estratégia. O estudo objetivou comprovar a importância estratégica dos propagandistas de medicamentos e as competências necessárias para o bom desempenho desta profissão, de forma a garantir maior vantagem competitiva, e o sucesso destas organizações. Foram realizadas entrevistas individuais e semi-estruturadas e uma reunião de brainstorming, resultando na identificação de 46 competências, entre conhecimentos, habilidades e atitudes, que os propagandistas atribuíram maior importância, sendo assim consideradas mais relevantes e essenciais para o desempenho das atividades dos propagandistas farmacêuticos sob suas perspectivas. Palavras chaves: Competências. Indústria farmacêutica. Marketing Farmacêutico. Propagandistas vendedores de medicamentos.

Texto completo:

PDF

Referências


BITENCOURT, C. C. Competência gerencial e aprendizagem nas organizações. São Leopoldo: Editora Unisinos, 2005.

BRODY, H. The Company We Keep: Why Physicians Should Refuse to See Pharmaceutical Representatives. Annals fam medicine. vol. 3 nº 1 – jan-feb: 82-86, 2005.

CIVANER, M. Sale strategies of pharmaceutical companies in a “pharmerging” country: The problems will not improve if the gaps remain. Health Policy 106 225-232, 2012.

DAVIES, I. A.; RYALS, L. J.; HOLT, S. Relationship management: A sales role, or a state of mind?: An investigation of functions and attitudes across a business-to-business sales force. Industrial Marketing Management, 39.7:1049-1062, 2010.

DAS, A. Pharmaceutical industry and the market: The case of Prozac and other Antidepressants. Asian Journal of Psychiatry 4 14–18 (2011).

DUTRA, J. S. Competências: conceitos e instrumentos para a gestão de pessoas na empresa moderna. São Paulo: Atlas, 2004.

FLEURY, M. T; FLEURY, A. Construindo o conceito de competência. Revista de Administração Contemporânea, Edição Especial, v. 5, p. 183-196, 2001.

FLEURY, M. T; FLEURY, A. Alinhando estratégias e competências. ERA - Revista de Administração de Empresas, vol. 44, n. 1, 2003.

FLEURY, M. T; M. T; FLEURY, A. Estratégias empresariais e formação de competências: um quebra-cabeça caleidoscópico da indústria brasileira. São Paulo: Atlas, 2004.

FUGH, B. A, AHARI S Following the Script: How Drug Reps Make Friends and Influence Doctors. PLoS Med 4(4): e150. doi:10.1371/journal.pmed.0040150, 2007

GAGNON M. A.; LEXCHIN J. The Cost of Pushing Pills: A New Estimate of Pharmaceutical Promotion Expenditures in the United States. PLoS Med 5(1): e1. doi:10.1371/journal.pmed.0050001, 2008

GREEN, K. W., WHITTEN, D., e INMAN, R. A. Aligning marketing strategies throughout the supply chain to enhance performance. Industrial Marketing Management. 41:1008–1018, 2012.

KHALIQ, M. J., ZIA-UR-REHMAN, M., & RASHID, M.. The role of human resource management and nurses' job satisfaction in medical service organisations. AJBM, 5, 974-86, 2011.

KOBAYASHI, R. M. Desenvolvendo competências profissionais dos enfermeiros em serviço. Revista Brasileira de Enfermagem, vol. 63, n. 2, abril, 2010.

KREMER, S T. M.; BIJMOLT, T. H. A.; LEEFLANG, S.H. P ; WIERINGA, J. E. Generalizations on the effectiveness of pharmaceutical promotional expenditures. International Journal of Research in Marketing. 25 234–246. 2008.

LE BOTERF, G. Desenvolvendo a competência dos profissionais. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2003.

MAGUIRE, P. How direct to consumer advertising is putting the squeeze on physicians American College of Physicians. American Society of Internal Medicine Observer March. 1999

MEDAWAR, C. Promotion of prescription drugs: trade tactics? Consumer Policy Review 12:18-30, 2002.

MINTZBERG, H. AHLSTRAND; B., LAMPEL, J. QUINN, J. B. e GHOSHAL, S. O processo da estratégia: conceitos, contextos e casos selecionados. Porto Alegre: Bookman, 2008.

MOURA, M. C.; BITENCOURT, C. C. A articulação entre estratégia e o desenvolvimento de competências gerenciais. RAE-eletrônica, v. 5, n. 1, Art. 3, jan./jun. 2006.

NORRIS, P.; HERXHEIMER A.; LEXCHIN J.; MANSFIELD P. Drug promotion: what we know, what we have yet to learn (Reviews of materials in the WHO/HAI database on drug promotion), 2007.

PALÁCIOS, M.; REGO, S.; LINO, M. H. Promoção e propaganda de medicamentos em ambientes de ensino: Elementos para o debate. Interface. Comunicação, Saúde e Educação, v.12, n.27, p.895-908, 2008.

PORTER, M. E. Competitive strategy, New York: Free Press. 1980

PRAHALAD, C. K.; HAMEL, G. Competindo pelo futuro: estratégias inovadoras para obter o controle do seu setor e criar os mercados de amanhã. Rio de Janeiro: Campus, 2004.

VERGARA, S. C. Começando a definir a metodologia. In: ___. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2000. cap. 4, p. 46-53.

WAZANA, A. Physicians and the pharmaceutical industry: Is a gift ever just a gift? J. Am. Med. Assoc., v. 283, n.3, p. 373-80, 2000.

WOOD JR., T.; PICARELLI-FILHO, V. Remuneração e carreira por habilidades e competências: preparando a organização para a era das empresas de conhecimento intensivo. 3. ed. rev e amp. São Paulo: Atlas, 2004.

WRIGHT, P. M., & MCMAHAN, G. C. Exploring human capital: putting ‘human’back into strategic human resource management. Human Resource Management Journal, 21(2), 93-104, 2011.

ZARIFIAN, F. Objetivo competência: por uma nova lógica. São Paulo: Atlas, 2001.

ZHOU, K. Z., BROWN, J. R., e DEV, C. S. Market orientation, competitive advantage, and performance: A demand-based perspective. Journal of business research, 62(11), 1063-1070, 2009.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2014.1341



 

HOLOS IN THE WORLD