EDUCAÇÃO SEXUAL NO CONTEXTO FAMILIAR E ESCOLAR: IMPASSES E DESAFIOS

Autores

  • Randys Caldeira Gonçalves
  • José Henrique Faleiro
  • Guilherme Malafaia

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2013.784

Resumo

O presente artigo é resultado de uma revisão da literatura e tem como objetivo abordar os impasses e desafios no desenvolvimento da educação sexual por parte de pais e educadores, bem como discutir o valor da educação sexual emancipatória na formação dos jovens. Os resultados evidenciados a partir de diferentes estudos demonstram que muitas famílias privam seus filhos da educação sexual emancipatória, pelo valor negativo atribuído a sexualidade, por acreditarem que os filhos são “seres assexuados”, por considerarem que o diálogo antecipa a prática sexual e por se sentirem despreparados e tímidos em tratar do assunto oriundo da deseducação sexual na qual foram vítimas. Evidenciou-se que nas escolas a educação sexual não tem abarcado as ansiedades dos adolescentes. Contrariamente, esta tem ocorrido de forma limitada, aliada, sobretudo, aos aspectos biológicos e reprodutivos do indivíduo, negando assim, toda a amplitude prazerosa e benéfica que a mesma propicia. Conclui-se, portanto, que maior atenção deve ser dada à temática sexualidade e sua abordagem nas escolas e nas relações entre pais e filhos. Maior aproximação entre pais, filhos e escolas mostra-se como importante estratégia e ser adotada, assim como o estímulo a debates nas instituições educacionais, consideradas espaços privilegiados para a aprendizagem e realização de reflexões de temas socialmente relevantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ALMEIDA, A. C. C. H., CENTA, M. L. A família e a educação sexual dos filhos: implicações para a enfermagem.. Acta Paulista de Enfermagem, v. 22, n. 1, p. 71-76, 2009.

ALMEIDA, D. S. O.; COSTA, R .L.; SILVA , T. M. Chega de tabu! A sexualidade sem medos e sem cortes. 2005. Disponível em <http://www.unesp.br/prograd/PDFNE2005/artigos/capitulo%201/ch. Acesso em: 12 maio 2011.

ARAÚJO, M. L. M. Aspectos psicossociais da adolescência. In: RIBEIRO, M. (Org.). Educação sexual: novas ideias, novas conquistas. Rio de janeiro: Rosas dos Tempos, 1993. p. 113-119.

BERNARDI, M. A Deseducação Sexual. São Paulo: Summus, 1985.

BIÉ, A. P. A.; DIÓGENES, M. A. R.; MOURA, R. F. Planejamento familiar: o que os adolescentes sabem sobre este assunto? Revista Brasileira em Promoção da Saúde, v. 19, n. 3, p. 125-130. 2006.

BOMFIM, S. S. Orientação sexual na escola: tabus e preconceitos, um desafio para a gestão. Monografia (Pedagogia), Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2009.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: pluralidade cultural, orientação sexual. Brasília, DF: Secretaria de Educação Fundamental, 1997.

BRITO. D. C.; CARDOSO. I. P. Escola e orientação sexual: desafios à prática de um trabalho contínuo. Cadernos IAT, v. 2, n. 1, p. 62-82, 2009.

CHAVES, G. B.; QUEIROZ, E.; GERRA, L .B. Apontamentos para Trabalho em Educação Sexual nas Escolas. Anais do 7º Encontro de Extensão da Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2004.

COSTA, M. Sexualidade na adolescência: dilemas e crescimento. 8. ed. São Paulo: L & PM Editores, 1986.

DUNAIGRE, P. A criança é um sujeito sexuado, mas não um objeto sexual (2003). Disponível em: http://www.revistacontinente.com.br/index.php/component/content/article/1126.html. Acesso em: 4 ago. 2013.

ECOS – Estudos e Comunicação em Sexualidade e Reprodução Humana. Promover a educação sexual nas escolas. Disponível em: http://www.polis.org.br/uploads/623/623.pdf. Acesso em: 4 ago. 2013.

GAGLIOTTO, G. M. A educação sexual da criança e a pedagogia da infância: matrizes institucionais, disposições culturais, potencialidades e perspectivas emancipatórias. 2009. 260 p. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

GAGLIOTTO, G. M.; LEMBECK, T. Sexualidade e adolescência: a educação sexual numa perspectiva emancipatória. Educere et Educare – Revista de Educação, v. 6, n. 11, p. 1-18, 2011.

GARCIA, A. M. A Orientação Sexual na Escola: Como os professores, alunos e pais percebem a sexualidade e o papel da escola na orientação sexual. Dissertação (Mestrado), Universidade Estadual Paulista, Bauru, São Paulo, 2005.

GHERPELLI, M. H. B. V. A Educação preventiva em sexualidade na adolescência. São Paulo: FDE, 1996.

GIR, E.; NOGUEIRA, M. S.; PELÁ, N. T. R. Sexualidade humana na formação do Enfermeiro. Revista Latina-Americana de Enfermagem, v. 8, n. 2, p. 33-40, 2000.

GONÇALVES, R. C.; DIONÍZIO, A. F.; RESENDE, I. L. M. Diálogo acerca da sexualidade entre pais e filhos na concepção dos adolescentes. UEG em Revista, v. 1, p. 27-49, 2010.

GUIMARÃES, A. M. A. N.; VIEIRA, M.J.; PALMEIRAS, J. A. Informações dos Adolescentes sobre Métodos Anticoncepcionais. Revista Latina-Americana de Enfermagem, v. 11, n. 3, p. 293-298, 2003.

HUERRE, P. A adolescência como herança: de uma geração a outra. Campinas – SP: Editora Papirus, 1998.

JARDIM, D.P. e J.R.S. BRÊTAS. Orientação sexual na escola: a concepção dos professores de Jandira - SP. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 59, n. 2, p. 157-162, 2006.

JESUS, R. M. B. Implicações da ação docente sobre as questões de sexualidade e gênero na escola. Revista Faced. Salvador, v. 11, p. 189-199, 2007.

MAISTRO, V.I.A.; ARRUDA, S.M.; JUNIOR, A.L. O papel do professor em um projeto de educação sexual. In: ENPEC, 7, 2009, Florianópolis. Anais VII ENPEC, Florianópolis: ABRAPEC, 2009.

MEAD, M. Adolescência y cultura en Samoa. Buenos Aires: Editora Abril, 1945.

MEDRADO, Benedito A masculinidade na propaganda televisiva brasileira (dissertação mestrado em Psicologia Social). São Paulo: PUC/SP, 1997.

MEDRADO, B.; LYRA, J. Por uma matriz feminista de gênero para os estudos sobre homens e masculinidades. Estudos Feministas, v. 16, n. 3, p. 809-840, 2008.

MELO, A. S. A.; SANTANA, J. S. Sexualidade: concepções, valores e conduta entre universitários de Biologia da UEFS. Revista Baiana de Saúde Pública, v. 29, n. 2, p. 149-159, 2005.

MOIZÉS, J. S; BUENO, S. M. V. Compreensão sobre sexualidade e sexo nas escolas segundo professores do ensino fundamental. Revista Escola em Enfermagem, v. 44, n. 1, p. 205-212, 2010.

NASCIMENTO, M.; FONSECA, V. Da “anatomia como destino” ao “cruzamento das fronteiras”: gênero e sexualidade no mundo de Almodóvar. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, v. 2, n. 2, p. 67-76, 2011.

NUNES, C. A. Filosofia, sexualidade e educação: as relações entre os pressupostos ético-sociais e histórico-culturais presentes nas abordagens institucionais sobre a educação sexual escolar. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas, 1996.

OLIVEIRA, D. C.; GOMES, A. M. T.; PONTES, A. P. M.; SALGADO, L. P. P. Atitudes, sentimentos e imagens na representação social da sexualidade entre adolescentes. Revista de Enfermagem, v. 13, n. 4, p. 817-23, 2009.

OMS – Organzación Mundal de La Salud. Prevención de la transmisión sexual del Virus de la Immnodeficiencia Humana. Serie OMS sobre el SIDA, v. 6, n. 1, 1990.

PIASENTIM, R. L. de A. Sexualidade e adolescência nas 5ªs séries. 2009. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/2273-8.pdf. Acessado em: 17 jun. 2011.

RAMIRO, l; MATOS, M.G. Percepções de professores portugueses sobre educação sexual. Revista de Saúde Pública, v. 42, n. 4, p. 684-692, 2008.

RAPPAPORT, C. Encarando a adolescência. 8 ed. São Paulo: Ática, 2001.

SANTOS, M. A. Orientação sexual no 1º e 2º ciclos do ensino fundamental: uma realidade distante? Monografia (Pedagogia) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2001.

SOUSA, L. B., FERNANDES, J. F. P., BARROSO, M. G. T. Sexualidade na adolescência: análise da influência de fatores culturais presentes no contexto familiar. Acta Paulista de Enfermagem, v. 19, n. 4, p. 408-413, 2006.

SOUZA, H. P. Convivendo com seu sexo (Pais e Professores). 2 ed. São Paulo: Paulinas, 1991.

SUÁREZ, A. D. Crise de identidade na adolescência: breve análise e implicações para a práxis religiosa segundo a teoria de Erik Erikson. Acta Científica – Ciências Humanas, v. 2, n. 9, p. 31-38, 2005.

SUPLICY, M. Conversando sobre sexo. Petrópolis, RJ: Vozes, 1983.

TIBA, I. Adolescência: o despertar da sexualidade. São Paulo: Gente, 1994.

TRINDADE, E.; BRUNS, M. A. T. Adolescentes e paternidade, um estudo fenomenológico. Ribeirão Preto: Holos, 1999.

TUCKMANTEL, M. M. A educação sexual: mas qual? Diretrizes para formação de professores em uma perspectiva emancipatória. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas, 2009.

VASCONCELOS, N. Os dogmatismos sexuais. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1971.

VITIELLO, N. Quem Educa o Educador: Um Manual para Jovens, Pais e Educadores. São Paulo: Inglu, 1997.

WUSTHOF, R. Descobrir o sexo . São Paulo: Ática, 1994.

Downloads

Publicado

2013-10-28

Como Citar

Gonçalves, R. C., Faleiro, J. H., & Malafaia, G. (2013). EDUCAÇÃO SEXUAL NO CONTEXTO FAMILIAR E ESCOLAR: IMPASSES E DESAFIOS. HOLOS, 5, 251–263. https://doi.org/10.15628/holos.2013.784

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)