MOAGEM FINA DE MINÉRIO DE COBRE DE ALTA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

Autores

  • Mauricio Guimarães Bergerman Universidade Federal de Alfenas

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2014.1797

Resumo

Na área de moagem secundária, ou remoagem, a preocupação com a eficiência energética se mostra de extrema importância. Em geral, os consumos específicos desta etapa são superiores aos da etapa primária. Além disso, tem se observado uma tendência de afinamento das granulometrias de moagem nos novos projetos de minerais metálicos, o que leva a cada vez uma maior necessidade de gastos nesta etapa, tanto em termos de custos de implantação como de operação. Nos novos projetos de cobre da Vale, granulometrias de remoagem da ordem de 40 a 20 ?m tem se mostrado necessárias. Os moinhos de bolas convencionais, adequados para moagem primária, mostram-se poucos eficientes em termos de aproveitamento de energia, quando são necessários produtos abaixo de 50 ?m. A fim de avaliar as melhores alternativas tecnológicas disponíveis para estas aplicações de remoagem, a Vale está tem desenvolvido estudos em moinhos de carga agitada, como Vertimill®. O presente trabalho irá apresentar os resultados de amostragens em escala industrial com o moinho Vertical da Usina do Sossego nos primeiros anos de operação do mesmo, comparando os resultados com os consumos específicos determinados em escala laboratorial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Mauricio Guimarães Bergerman, Universidade Federal de Alfenas

Professor do curso de engenharia de Minas da Universidade Federal de Alfenas.

Referências

BERGERMAN, M. B. Modelagem e simulação do circuito de moagem do Sossego. 2009. 207 p. Dissertação (Mestrado) – Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

DONDA, J. D. Um método para prever o consumo especifico de energia na (re)moagem de concentrados de minério de ferro em moinhos de bolas. 2003. Tese (Doutorado) – Escola de engenharia, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo horizonte, 2003.

GODOY, M. L. S., BERGERMAN, M. G., GODOY, P. H., ROSA, M. A. N., 2010. Development of the Salobo Project, in Proceedings: CIM Conference and Exhibition 2010 (The Canadian Institute of Mining, Metallurgy and Petroleum: Vancouver).

KNORR, B. R., ALLEN, J., 2010. Selection criteria of stirred milling technology, in Proceedings COMMINUTION’ 2010 (Minerals Engineering conference: Cape Town).

MENACHO, J. M.; REYES, J. M. El Molino de torre como alternative en la remolienda de concentrados de cobre. In: V Simposium sobre molienda, 1987, Vinã del Mar. Proceedings: Vinã del Mar: ARMCO, 1987.

NAPIER-MUNN, T J et al., 1999. Mineral comminution circuits: their operation and optimization. Indooroopilly: Julius Kruttschnitt Mineral Research Centre/University of Queensland, 1999 (JKMRC Monograph Series in Mining and Mineral Processing).

PENA, F. Update on Vertimills for the mining industry. In: VI Simposium sobre molienda, 1990, Vinã del Mar. Proceedings: Vinã del Mar: ARMCO, 1990.

ROWLAND, C. A., KJOS, D. M., 1978. Rod and ball mills, in Mineral Processing Plant Design (ed. AIME), pp. 239 – 278 (The American Institute of Mining, Metallurgical, and Petroleum : Englewood).

Downloads

Publicado

03/07/2014

Como Citar

Bergerman, M. G. (2014). MOAGEM FINA DE MINÉRIO DE COBRE DE ALTA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA. HOLOS, 3, 150–157. https://doi.org/10.15628/holos.2014.1797

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)