POSSIBILIDADES E DESAFIOS DA EDUCAÇÃO FÍSICA COMO COMPONENTE CURRICULAR NO PROCESSO DE EXPANSÃO REGIONAL DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE - IFRN

ALISON PEREIRA BATISTA, MOYSÉS DE SOUZA FILHO, INGRID PATRÍCIA BARBOSA DE OLIVEIRA, HUNAWAY ALBUQUERQUE GALVÃO DE SOUZA, JOSÉ PEREIRA DE MELO

Resumo


O presente escrito constitui-se de uma reflexão teórica originada e motivada durante os estudos de pós-graduação desenvolvidos pelos seus autores. Durante o desenvolvimento de nossas pesquisas, sentimo-nos instigados a relacionar os nossos investimentos acadêmicos, com o nosso fazer pedagógico institucional. Além disso, tivemos como fonte de motivação a comemoração alusiva aos cinco anos de criação dos Institutos Federais no Brasil. Nesse sentido, tivemos como objetivo principal discutir a relevância sociocultural do IFRN, assim como a função social da Educação Física como componente curricular no processo de formação do ensino médio integrado. Para tanto, baseamo-nos nas leis de diretrizes e bases da educação nacional - LDBEN nº 9.394/96 e 11.892, como também em documentos institucionais, tais como o Projeto Político Pedagógico do IFRN e a Proposta de trabalho do componente curricular Educação Física. Assim sendo, a contribuição da Educação Física no âmbito do IFRN poderá se concretizar à medida em que o corpo docente, que desenvolve as ações pedagógicas do componente curricular, realize e socialize as experiências pedagógicas contextualizadas com a função social do IFRN na dimensão da formação integrada, considerando a cultura de movimento como o conjunto de conhecimentos relativos aos conteúdos temáticos como pressupostos teórico-metodológicos da proposta pedagógica.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB. Casa Civil da Presidência da República. 1996. Brasília; DF.

_______. Parâmetros curriculares nacionais do Ensino Médio – educação física. Brasília: MEC/SEF, 2000.

_______. PCN’S + Ensino Médio. Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. SEEB; Brasília; 2002.

_______. Lei n. 11.892, de 29 de dezembro de 2008. In: DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO. 2008, Brasília; DF.

______. Diretrizes Curriculares para o Ensino Médio. CNE/SE/CEB; Brasília. 2012.

CABRAL NETO, Antônio. Avaliação do ensino superior no Brasil: as tensões entre emancipação e regulação. In: CHAVES, Lúcia Jacob Chaves, CABRAL NETO, Antônio e NASCIMENTO, Ilma Vieira (Orgs). Políticas para a educação superior no Brasil: velhos temas e novos desafios. São Paulo: Xamã, 2009.

COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do Ensino de Educação Física. São Paulo: Cortez, 1992.

GONZÁLEZ, Fernando Jaime; FENSTERSEIFER, Paulo Evaldo. Cadernos de Formação RBCE, p. 9-24, set. 2009.

HILDEBRANDT, R. Concepções abertas no Ensino da Educação Física. Rio de Janeiro. Ao Livro técnico, 1986.

IFRN. Projeto Político-Pedagógico do IFRN: uma construção coletiva. Natal/RN, 2012.

_______. Proposta de trabalho da disciplina de Educação Física para os cursos técnicos de nível médio integrado regular, EJA e subseqüente. Natal/RN, 2011.

_______.Organização Didática do IFRN. Natal/RN, 2012.

KUNZ, Elenor. Educação Física: Ensino e mudanças. Ijuí, Ed. Unijuí, 1991.

_______, Elenor. Transformação didático-pedagógica do esporte. 7ºed., Ijuí: Editora Unijuí, 1994.

SOUSA FILHO, Móyses de. A configuração da Educação Física no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte – IFRN: Contexto e perspectivas atuais. Natal (RN), 2011. Dissertação (Mestrado) - UFRN.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2014.2018



 

HOLOS IN THE WORLD