QUALIDADE DE VIDA E SUSTENTABILIDADE URBANA

Autores

  • Maria Cristina Cavalcanti Araújo INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE - IFRN
  • Gesinaldo Ataíde Cândido Universidade Federal de Campina Grande

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2014.1720

Resumo

A urbanização da humanidade na contemporaneidade vem promovendo uma concentração de pessoas nas cidades, as quais terminam por influenciar e, até certo ponto, comprometer a qualidade de vida de seus moradores, e, portanto, a sustentabilidade urbana. Depreende-se que a grande e crescente densidade populacional nas cidades compromete o acesso a infraestrutura e serviços urbanos e a outros fatores promotores da qualidade de vida. Neste trabalho, entende-se que o conceito de qualidade de vida deve integrar a noção de desenvolvimento humano e a de sustentabilidade. Portanto, permear variáveis ambientais e sociais. Este artigo apresenta discussões sobre a temática da sustentabilidade urbana ao discutir a qualidade de vida urbana de Natal, capital do Estado do Rio Grande do Norte. Para a concretização do objetivo proposto e dar fundamentação teórica à investigação realizou-se pesquisa bibliográfica e pesquisa documental – para obtenção de dados secundários. Portanto, a pesquisa tem um caráter bibliográfico e de análise segundo o método dedutivo, sendo considerada de natureza aplicada e explicativa. Assim, a abordagem teórica está fundamentada na análise da expansão urbana como condicionante da insustentabilidade urbana e que compromete a qualidade de vida urbana. Constatou-se que o processo de expansão urbana de Natal-RN, ocorrido na contemporaneidade, deu-se por meio de forte pressão ambiental e em condições socioeconômicas desiguais, contribuindo para a distribuição desigual da oferta de serviços de infraestrutura urbana, que tem comprometido a qualidade de vida urbana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Maria Cristina Cavalcanti Araújo, INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE - IFRN

PROFESSORA DO CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA DO IFRN - CAMPUS NATAL-CENTRAL

Gesinaldo Ataíde Cândido, Universidade Federal de Campina Grande

Prof. Dr. Universidade Federal de Campina Grande - Campina Grande – Paraíba – Brasil

Referências

ACSELRAD, Henri. Desregulamentação, contradições Espaciais e sustentabilidade urbana. Revista paranaense de desenvolvimento, Curitiba, n.107, p.25-38, jul./dez. 2004.

ADORNO, Sérgio. Exclusão socioeconômica e violência urbana. Sociologias, Porto Alegre, ano 4, nº 8, jul/dez, p. 84-135, 2002.

ARAÚJO, Maria Cristina Cavalcanti Araújo. Avaliação do nível de qualidade de vida urbana: um estudo exploratório a partir do fenômeno da expansão urbana e oferta de serviço e recursos urbanos no município do Natal/RN / Maria Cristina Cavalcanti Araújo. – 2013. 197 f. : il. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Campina Grande, Programa de Pós-Graduação em Recursos Naturais, Campina Grande – PB, 2013.

AGENDA HABITAT PARA MUNICÍPIOS. Plano global de ação: estratégias para a implementação. B. Moradia adequada para todos. 2003. Disponível em: <http://www.ibam.org.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=96&infoid=458>. Acesso em: 10 jul. 2012.

ALLMENROEDER, Leonardo Bullos; SARMENTO, Robson; SERAFIM, Alexandre José; ZORZAL, Fábio Márcio Bisi. Indicadores de qualidade de vida urbana municipal (o caso do município de Vitória). In: Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental; AIDIS. Saneamento ambiental: desafio para o Século 21. Rio de Janeiro, ABES, 2001. p.1-12.

BRAGA, Tania Moreira et al. Índices de sustentabilidade municipal: o desafio de mensurar. Belo Horizonte: UFMG/Cedeplar, 2003. 22p. (Texto para discussão; 225).

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. AGENDA 21 Brasileira: ações prioritárias / Comissão de Políticas de Desenvolvimento Sustentável e da Agenda 21 Nacional. 2. ed. Brasília, DF. 2004. 158 p.

CARLOS, Ana Fani Alessandri. A cidade. São Paulo: Contexto, 2007.

CLEMENTINO, Maria do Livramento M. Economia e Urbanização: o Rio Grande do Norte nos anos 70. Natal, UFRN, 1995. Coleção Humanas Letras.

CMMAD – COMISSÃO MUNDIAL SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO. Nosso futuro comum. 2a ed. Tradução de Our common future. 1a ed. 1988. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1988.

CUNHA, Gersonete Sotero da. Natal: a expansão territorial urbana. 1. ed. Natal: UFRN, 1991. 70 p.

DIAS, Gilka da Mata. Cidade Sustentável: fundamentos legais, política urbana, meio ambiente, saneamento básico. Natal: Ed. do autor, 2009.

DESCHAMPS, Marley Vanice. Vulnerabilidade socioambiental na região metropolitana de Curitiba/PR. Curitiba, 2004. Tese (Doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento) – Universidade Federal do Paraná.

FERREIRA, Ângela Lúcia de Araújo; ATAÍDE, Ruth Maria da Costa; BORGES, Jennifer dos Santos. Conflitos sócio-espaciais em áreas protegidas de Natal (RN): limites e desafios para uma nova prática urbanística. Anais da II ANPPAS, 2004. II Encontro da ANPPAS, Indaiatuba – SP; BR; Meio Digital. Disponível em <http://www.anppas.org.br/encontro_anual/encontro2/GT/GT14/angela_ferreira.pdf>. Acesso em: 20 nov. 2007.

FIGUEIREDO, Alice Sueiro de [et al.]. Índice de qualidade de vida urbana de Campo Grande-MS. Campo Grande: PLANURB, 2008. 31 p.

GUERRA, Antônio José Teixeira; CUNHA, Sandra Baptista da. (org.). Impactos ambientais urbanos no Brasil. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

GUIMARÃES, Mauro. Sustentabilidade e Educação Ambiental. In: CUNHA, Sandra Baptista da; GUERRA, Antônio José Teixeira (Orgs.). A questão ambiental: diferentes abordagens. 4ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008. p.81-105.

HERCULANO, Selene. A qualidade de vida e seus indicadores. In: Ambiente & Sociedade. Ano I, nº 2, 1º semestre/1998.

IBGE. Instituto de Geografia e Estatística. Censo 2010. Aglomerados subnormais, primeiros resultados. Rio de Janeiro, RJ: 2010.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2010: população do Brasil é de 190.732.694 pessoas. 29 nov. 2010. Disponível em < http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=1766>. Acesso: 21 mar. 2011. IBGE: 2010d.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010 Resultados Preliminares do Universo Conceitos e Definições – Tabelas Adicionais. Rio de Janeiro, 2011a.

IBGE. Instituto de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Disponível em < http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1>. Acesso em: 22 jun. 2011b.

IPEA/UNICAMP/IBGE. INSTITUTO DE PESQUISAS ECONÔMICAS APLICADAS; UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS; INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Caracterização e tendências da Rede Urbana do Brasil. Brasília: IPEA, 2000.

JOFRÉ, Mario Torre. Índice de Sostenibilidad Urbana: una propuesta para la ciudad Compleja. Revista Digital Universitaria. 10 de jul. 2009. Vol. 10 Número 7. ISSN: 1067-6079. Disponível em < http://www.revista.unam.mx/vol.10/num7/art44/art44.pdf>. Acesso em 10 ago. 2012.

LEITE, Sandrina Martins. Avaliação da Qualidade da Vida Urbana – O Caso do Concelho de Amarante. Tese de mestrado. Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Departamento de engenharias. Divisão de engenharia civil. Portugal, 2009.

MARICATO, Ermínia. A cidade do pensamento único: desmanchando consensos. Petrópolis: Vozes, 2002.

MARTINS, Maria de Fátima; CÂNDIDO, Gesinaldo Ataíde. Índices de desenvolvimento sustentável para localidades: uma proposta metodológica de construção e análise. In: CÂNDIDO, Gesinaldo Ataíde. Desenvolvimento sustentável e sistemas de indicadores de sustentabilidade: formas de aplicações em contextos geográficos diversos e contingências específicas. Campina Grande-PB: Ed. UFCG, 2010.

MORATO, Rúbia Gomes Morato; KAWAKUBO, Fernando Shinji Kawakubo; MARTINES, Roberto Martines; FERREIRA, Ricardo Vicente Ferreira; LUCHIARIA, Ailton. Mapeamento da Qualidade de Vida Urbana no Município de Osasco/SP. In: Anais do III Encontro da Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Ambiente e Sociedade. Brasília - Distrito Federal – Brasil, 2006.

MUMFORD, Lewis. A Cidade na História - suas origens, transformações e perspectivas. Tradução de Neil R. da Siva. Martis Fontes Editora, São Paulo, 1998.

NAHAS, Maria Inês. Indicadores intra-urbanos como instrumentos de gestão da qualidade de vida urbana em grandes cidades: discussão teórico-metodológica. In: Planejamento público e indicadores sociais. Curitiba, 2005.

NAHAS, Maria Inês Pedrosa; PEREIRA, Maria Aparecida Machado; ESTEVES, Otávio de Avelar; GONÇALVES, Éber. Metodologia de construção do índice de qualidade de vida urbana dos municípios brasileiros (IQVU-BR). In: XV Encontro Nacional de Estudos Populacionais da Associação Brasileira de Estudos Populacionais, 2006. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2011.

NATAL. SEMURB - Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo. Anuário Natal 2011-2012, Natal (RN): SEMURB, 2012. 402 p.

NATAL. Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Finanças. Déficit habitacional em Natal: um estudo por bairro. Natal-RN: Prefeitura do Natal, 2006.

OLIVEIRA, Isabel Cristina Eiras. Arquitetura e urbanismo nas cidades sustentáveis. In: Livro Exercício Profissional e Cidades Sustentáveis, 61º Semana Oficial da Engenharia, da Arquitetura e da Agronomia - SOEAA e 5º Congresso Nacional dos Profissionais – CNP. CONFEA, Maranhão, 2004. p. 169-181.

PINTO, José Vandério Cirqueira. Expansão urbana desordenada em Aparecida de Goiânia e Impactos Sócio-Ambientais na Serra das Areias. XIV Encontro Nacional de Geógrafos. 16 a 21 de julho de 2006. Rio Branco-AC. 2006.

ROGERS, Richard. Cidades para um pequeno planeta. Tradução Anita Regina Di Marco. Editorial Gustavo Gili, SL. Barcelona, Espanha, 2008.

ROLNIK, Raquel. Para morar e para criar. Entrevista a Efêmero concreto. Mar. De 2012. Disponível em http://efemeroconcreto.com.br/?p=40. Acesso em 10 dez. 2012.

ROSSETTO, Adriana Marques. Proposta de um Sistema integrado de Gestão do Ambiente Urbano (SIGAU) para o desenvolvimento sustentável de cidades. Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção (PPGEP) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Florianópolis: 2003.

SACHS, Ignacy. Estratégias de transição para o século XXI. In: BURSZTYN, Marcel (Org.). Para pensar o desenvolvimento sustentável. São Paulo: Brasiliense, 1993. p. 29-56.

SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção / Milton Santos. - 4. ed. 2. reimpr. - São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006. Coleção Milton Santos, 1.

SESI. SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA. Construção e Análise de Indicadores. Serviço Social da Indústria. Departamento Regional do Estado do Paraná. Observatório Regional Base de Indicadores de Sustentabilidade. – Curitiba: [s.n.], 2010. 108 p. : il. ; 21 cm.

SOBRINHA, Maria Dulce Bentes; SILVA, Alexsandro Ferreira C. da; CLEMENTINO, Maria do Livramento M. Necessidades Habitacionais, Dinâmicas do Mercado Formal de Terras e Demarcação Territorial: apontamentos metodológicos. Observatório das Metrópoles – Núcleo Natal. Disponível em < www.observatoriodasmetropoles.ufrj.br/livramento_anpur _09.pdf>. Acesso em 20 fev. 2012.

TRIGUEIRO, A. Mundo sustentável: abrindo espaço na mídia para um planeta em transformação. São Paulo: Globo, 2005.

VEIGA, José Eli da. O prelúdio do desenvolvimento sustentável. In: OLIVA, Pedro Mercadante. (Org.). Economia Brasileira: Perspectivas do Desenvolvimento. São Paulo, SP: Centro Acadêmico Visconde de Cairu, 2005, v. 1, p. 243-266.

VELOSO, Maísa; ELALI, Gleice A. Qualidade de vida urbana em Natal: mitos e realidades. Natal-RN: EDUFRN – Editora da UFRN, 2006.

Downloads

Publicado

2014-01-31

Como Citar

Araújo, M. C. C., & Cândido, G. A. (2014). QUALIDADE DE VIDA E SUSTENTABILIDADE URBANA. HOLOS, 1, 3–19. https://doi.org/10.15628/holos.2014.1720

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)