ESTUDO DA VARIAÇÃO MORFO-SEDIMENTAR DOS CANAIS DE DESPESCA DE UMA FAZENDA DE CULTIVO DE CAMARÃO E SUAS IMPLICAÇÕES AMBIENTAIS

Autores

  • Danilo L. M. Ferraz
  • Leão Xavier da Costa Neto

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2005.59

Resumo

Este estudo é produto do projeto apresentado a Diretoria de Pesquisa do Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio Grande do Norte (CEFET/RN) em seu Programa Institucional de Iniciação Científica, bem como é parte do Plano de Monitoramento Ambiental proposto no EIA-RIMA da empresa de carcinicultura Camarus Aquacultura do Nordeste Ltda, localizada no município de Galinhos, litoral setentrional do RN, que prevê o monitoramento dos seus dois canais de despesca (CD 1 e 2) por um período de 2 anos, se estendendo até maio de 2006. Este trabalho se refere a 5 meses de monitoramento - maio a outubro de 2004. O CD 1 e 2 apresentam extensões de 2.500 e 1.000m, respectivamente; largura média de 10 m e uma profundidade média de 2,5m. A metodologia de trabalho consta de levantamento planialtimétrico mensal dos canais através de 6 perfis transversais com Estação Total, determinação semi-quantitativa das áreas de erosão e/ou sedimentação, coleta de água, análise de sólidos suspensos (SS) e caracterização textural dos sedimentos. O CD 1 mostra pontos de erosão e/ou deposição caracterizados como não significativos. No CD 2 não há evidência de erosão/deposição, mantendo um equilíbrio morfológico. Portanto, os perfis não mostram variações morfológicas significativas em escala temporal de pequena amplitude, ou seja, mensal, bimestral ou semestral. A maior concentração de SS na água ocorre em direção a montante uma vez que as correntes de marés apresentam menores velocidades. Nos perfis próximos a foz os SS apresentam menores concentrações. Os sedimentos do centro dos canais em perfis próximo a foz são areias e cascalhos, enquanto em direção a montante ocorrem lamas. Nas suas margem predominam lamasarenosas. A variação morfo-sedimentar dos CDs está associada aos seguintes fatores: configuração geométrica irregular com curvas em ângulos acentuados, penetração das fortes correntes de marés, atividade de despesca e precipitação pluviométrica. Palavras-chave: carcinicultura, canais de despesca, erosão, sedimentação e meio ambiente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Publicado

2007-12-25

Como Citar

Ferraz, D. L. M., & Costa Neto, L. X. da. (2007). ESTUDO DA VARIAÇÃO MORFO-SEDIMENTAR DOS CANAIS DE DESPESCA DE UMA FAZENDA DE CULTIVO DE CAMARÃO E SUAS IMPLICAÇÕES AMBIENTAIS. HOLOS, 1, 71–84. https://doi.org/10.15628/holos.2005.59

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)