MEDIR O IMPACTO NAS CIÊNCIAS SOCIAIS. PONTOS DE REFERÊNCIA TEÓRICOS.

Autores

  • Sílvia Silva Universidade do Minho, Braga, Portugal.
  • Emília Araújo Universidade do Minho, Braga, Portugal.

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2014.1985

Resumo

Os modos de fazer pesquisa científica têm vindo a alterar-se, em função das mudanças pelas quais passa o Ensino Superior, assim como os sistemas de ciência e tecnologia, no seu todo. Na Europa vivem-se tempos de grandes questionamentos acerca do modo de proceder relativamente à definição de metodologias de avaliação e/ou financiamento público à investigação individual e/ou coletiva. A tendência geral, neste contexto, é para aperfeiçoar as metodologias de avaliação, através da definição de indicadores que permitam medir as várias dimensões do trabalho científico. No campo específico da avaliação, prevê-se cada vez mais a avaliação do impacto das pesquisas. Ocorre que, apesar do número e da amplitude dos indicadores que vão sendo propostos, a definição de impacto resulta numa tarefa difícil. Não só porque a realidade medida nem toda é perfeitamente traduzível em algo tangível, mas também porque existem diferenças significativas nos modos como as diferentes áreas produzem conhecimento. Neste artigo, pretende-se refletir sobre esse conceito de impacto, nomeadamente ao nível das ciências sociais, evidenciando aquelas que são as principais conclusões e reflexões de estudos e escritos mais recentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

AKERA, Atsushi. Constructing a Representation for an Ecology of Knowledge: Methodological Advances in the Integration of Knowledge and its Various Contexts. Social Studies of Science, v. 37, p. 413-441, 2007.

ALATAS, Syed Farid. Academic Dependency in the Social Sciences: Reflections on India and Malaysia. American Studies International, v. 38, n. 2, p. 80-96, 2000.

ALATAS, Syed Hussein. The Study of the Social Sciences in Developing Societies: Towards an Adequate Conceptualization of Relevance”. Current Sociology, v. 49, n.2, p. 1-19, 2001.

BAUMGARTEN, Maíra. Avaliação e Gestão de Ciência e Tecnologia: Estado e coletividade científica. Revista Crítica de Ciências Sociais, CES/UC, Coimbra, n. 70, p. 33-56, 2004.

ALBORNOZ, Mario; ESTABANEZ, Maria Elina; ALFARAZ, Claudio. Alcances y limitaciones de la noción de Impacto Social de la Ciencia y la Tecnología. Revista Iberoamericana CTS, v. 2, n.4, p. 73-95, 2005.

BAZZO, Walter Antonio; VON LINSINGEN, Irlan; PEREIRA, Luís Teixeira do Vale (Eds.). Introdução aos estudos CTS (Ciência, Tecnología e Sociedade). Madrid: OEI, 2003.

BORNMANN, Lutz. Measuring the societal impact of research. EMBO reports, v.13, n.8, p. 673–676, 2012.

BOURDIEU, Pierre. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: Unesp, 2004.

BURDGE, Rabel; VANCLAY, Frank. Social Impact Assessment. In Vanclay F. and Bronstein D. (Eds.). Environmental and Social Impact Assessment. United Kingdom, Wiley, p. 31-65, 1995.

CALLON, Michel; COURTIAL, Jean-Pierre; PENAN, Hervé. Cienciometría: la medición de la actividad científica - de la bibliometría a la vigilancia tecnológica. Gijón : Trea, 1995.

CASANOVA, Pablo González. Universal Democracy and the Social Sciences. Current Sociology, v.46, n.2, p. 29-38, 1998.

COSTA, António Firmino da. Cultura profissional dos sociólogos. Sociologia, Problemas e Práticas, Lisboa,CIES, n.5, p. 107-124, 1988.

GONÇALVES, Maria Eduarda. Mitos e realidades da política de ciência em Portugal. Revista Crítica de Ciências Sociais, n.46, p. 47-67, 1996.

GONÇALVES, Carlos Manuel; RODRIGUES, Eduardo; AZEVEDO, Natália (coords.) Sociologia no ensino superior: conteúdos, práticas pedagógicas e investigação. Porto, Departamento de Sociologia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, 2004.

JASANOFF, Sheila. Contested Boundaries in Policy-Relevant Science. Social Studies of Science. London, Sage, v.17, n.2, p. 195-230, 1987.

JONS, Heike. Transnational Mobility and the Spaces of Knowledge Production: A Comparison of Global Patterns, Motivations and Collaborations in Different Academic Fields. Social Geography, v.2, p. 97-114, 2007.

KNAW. Judging research on its merits. An advisory report by the Council for the Humanities and the Social Sciences Council. Royal Netherlands Academy of Arts and Sciences, Amsterdam, 2005.

LEE, Richard; MARTIN, William; SONNTAG, Heinz; TAYLOR, Peter; WALLERSTEIN, Immanuel; WIEVIORKA, Michel. Social Science and Social Policy: From National Dilemmas to Global Opportunities. Reference Paper for the UNESCO International Forum on the Social Science - Policy Nexus, Buenos Aires, Argentina/Montevideo, Uruguay, 2005.

LSE. Maximizing the impacts of your research: a handbook for social scientists. LSE Public Policy Group, 2011.

MACHADO, Fernando Luís. Meio século de investigação sociológica em Portugal: uma interpretação empiricamente ilustrada. Sociologia, v.19, p. 283-343, 2009.

MARTINS, Moisés de Lemos. A FCT e a política de extermínio das Ciências Sociais e Humanas. Jornal Público, 2014.

NUNES, Adérito Sedas. Questões preliminares sobre as Ciências Sociais. Lisboa: Editorial Presença, 1996.

NUNES, João Arriscado; GONÇALVES, Maria Eduarda (Orgs.). Enteados de Galileu? A semiperiferia no sistema mundial da ciência. Porto: Afrontamento, 2001.

NUNES, João Arriscado; MATIAS, Marisa. Science, Technology and Governance in Portugal. Relatório STAGE, Coimbra, CES, 2004.

PALLONE, Simone. Avaliação de impactos de políticas públicas gera debate no exterior e no Brasil. Ciência e Cultura, v.63, n.1, p. 16-18, 2011.

PATRÍCIO, Maria Teresa. The social sciences within the European research context in Portugal: strategic options in a European context. In Monteiro, Fátima et al.. Portugal: Strategic Options in European Context. Massachusetts: Lexington Books, 2003.

PATRÍCIO, Maria Teresa. Towards an International Strategy for the Social Sciences and Humanities. Research Council with European Research Organizations (Final Report), SSHRC, Canada, p. 1- 40, 2004.

PATRÍCIO, Maria Teresa. Social Sciences and Humanities in Europe: New Challenges, New Opportunities - The influence of the Framework Programmes in Social Sciences and Humanities in Portugal. Conference on Social sciences and humanities in Europe: New challenges, new opportunities, European Commission, Brussels, 2005.

PINA CABRAL, João de. Língua e hegemonia nas ciências sociais. Análise Social, Lisboa , v.42, n.182, p. 233-237 , 2007.

PINTO, José Madureira. Proposta para o ensino das ciências sociais. Porto: Afrontamento, 1994.

PINTO, José Madureira. Formação, tendências recentes e perspectivas de desenvolvimento da sociologia em Portugal. Sociologia, Problemas e Práticas, n.46, p. 11-31, 2004.

RODRIGUES, Maria João (coord.). EU Research on Social Sciences and Humanities. Social Sciences in the European Research Area - For the Development of the Research Agenda. SSHERA Specific Support Action, Final Report, European Commission, Brussels, 2007.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Introdução a uma Ciência Pós-Moderna. Porto: Afrontamento, 1989.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. Novos estud. - CEBRAP [online], n.79, p. 71-94, ISSN 0101-3300, 2007.

SIAMPI. Siampi Final Report - Social Impact Assessment Methods for research and funding instruments through the study of Productive Interactions between science and society. 2009-2010.

SMELSER, Neil. The Social Sciences in a Changing World Society. American Behavioral Scientist, v.34, n.5, p. 518-529, 1991.

VIEGAS, Susana de Matos; PINA-CABRAL, João de. Carta aberta ao Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Prof. Doutor José Mariano Gago. Associação Portuguesa de Antropologia, Lisboa, 2008.

WALLERSTEIN, Immanuel. Eurocentrism and its Avatars: The Dilemmas of Social Science. Keynote Address at ISA East Asian Regional Colloquium, "The Future of Sociology in East Asia," Seoul, Korea, co-sponsored by Korean Sociological Association and International Sociological Association, 1996.

WEBER, Max. O Político e o Cientista. Lisboa: Presença, 1973.

WEBER, Max. Sobre a Teoria das Ciências Sociais. Lisboa: Presença, 1977.

Downloads

Publicado

02/08/2014

Como Citar

Silva, S., & Araújo, E. (2014). MEDIR O IMPACTO NAS CIÊNCIAS SOCIAIS. PONTOS DE REFERÊNCIA TEÓRICOS. HOLOS, 4, 334–343. https://doi.org/10.15628/holos.2014.1985

Edição

Seção

ARTIGOS