PLANEJAMENTO AMBIENTAL PARA BACIAS HIDROGRÁFICAS: CONVERGÊNCIAS E DESAFIOS NA BACIA DO RIO CAPIBARIBE, EM PERNAMBUCO-BRASIL

Autores

  • Andréa Pereira Silva Universidade de Pernambuco
  • Cleomácio Miguel Silva Universidade de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2014.1734

Resumo

A presente pesquisa teve como objetivo estudar a implementação das políticas públicas na gestão dos recursos hídricos no Estado de Pernambuco, especificamente, na Bacia Hidrográfica do Capibaribe, e também, avaliar se estão contribuindo para a sustentabilidade da bacia. Para tanto, utilizou-se o método qualitativo e a metodologia de estudo de caso, com o auxílio do uso das técnicas de pesquisa bibliográfica e documental. Os resultados mostraramque a integração do planejamento ambiental com a gestão dos recursos hídricos em Pernambuco, necessitada atuação mais comprometida do Estado e da ampliação de participação da sociedade civil organizada. Embora, haja progressos moderados, a promoção da sustentabilidade hídrica ainda está em construção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

AGÊNCIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE (CPRH). Monitoramento de Bacias Hidrográficas de Pernambuco. Disponível em: <http://www.cprh.pe.gov.br/monitoramento/bacias_hidrografi cas/39709%3B52052%3B1702%3B0.asp>. Acesso em: 05/06/2013.

AGÊNCIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE (CPRH). Unidades de Conservação de Pernambuco. Disponível em:<http://www.cprh.pe.gov.br/unidades_conservacao/Protecao_Integral/40032 %3B35850%3B2237%3B0%3B0.asp>. Acesso em: 06/12/2013.

ARAÚJO, Tânia Bacelar. Ensaios sobre o Desenvolvimento Brasileiro: heranças e urgências. Rio de Janeiro: Revan; FASE, 2000.

ASFORA, Marcelo Cauás; CIRILO, José Almir. Reservatórios de regularização: alocação de água para usos múltiplos com diferentes garantias. Revista de Gestão de Água da América Latina.REGA. REGA – Vol. 2, no. 2, p. 27-38, jul./dez. 2005.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BINSWANGER, Hans Christoph. Fazendo a sustentabilidade funcionar. In: CAVALCANTI, Clóvis (org.) Meio ambiente, desenvolvimento sustentável e políticas públicas. 4ª edição. São Paulo: Cortez, 2002.p.41-55.

BRASIL. Ministério das Cidades. Plano Nacional de Saneamento Básico. Disponível em: <http://www.cidades.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=302:plansab&catid=84&Itemid=113>. Acesso em: 20/03/2013.

______. Lei Federal n° 8.987 de 13 de fevereiro de 1995. Dispõe sobre o regime de concessão e permissãoda prestação de serviços públicos previsto no art. 175 da Constituição Federal, e dá outras providências. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8987 cons.htm>. Capturado em: 20/12/2013.

______. Lei Federal n° 9.433 de 08 de janeiro de 1997.Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, regulamenta o inciso XIX do art. 21 da Constituição Federal, e altera o art. 1º da Lei nº 8.001, de 13 de março de 1990, que modificou a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989; Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/l9433.htm>. Capturado em: 22/12/2012.

______. Resolução CONAMA nº 357, de 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=459>. Capturado em: 12/01/2013.

______. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.Pesquisa Nacional em Saneamento Básico- PNSB 2008; Rio de Janeiro, 2010. Disponível em: . Capturado em: 22/02/2013.

______. Decreto nº 7.217, de 21 de junho de 2010.Regulamenta a Lei no 11.445, de 5 de janeiro de 2007, que estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico, e dá outras providências. Disponível em:. Capturado em: 20/07/2013.

CHIAVENATO, Idalberto. Administração Geral e Pública. 2ª ed. revista e atualizada. Rio de Janeiro: Elservier, 2008.

LANNA, Antonio Eduardo. GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS. In: TUCCI, Carlos, E. M.(org.). Hidrologia – Ciência e Aplicação. 4ª ed. 1ª Reimpressão. Porto Alegre: UFRGS/ABRH, 2007. p.727-768.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de Pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados.7ª ed. – 3ª reimpressão. São Paulo: Atlas, 2008.

PERNAMBUCO. Secretaria de Recursos Hídricos. Plano Estratégico de Recursos Hídricos e Saneamento. Coordenação técnica Amaury Xavier de Carvalho. Recife: A Secretaria, 2008.

___________. Secretaria de Recursos Hídricos. Plano Hidroambiental da bacia hidrográfica do rio Capibaribe: Tomo III. . Projetec - BRLi.Recife, 2010. Disponível em: . Capturado em: 01/12/2012.

___________. Lei Estadual nº 12.984, de 30 de dezembro de 2005. Dispõe sobre a Política Estadual de Recursos Hídricos e o Sistema Integrado de Gerenciamento de Recursos Hídricos, e dá outras providências. Disponível em:<http://www.apac.pe.gov.br/legislacao/lei_das_aguas_n_12984_de_30_de_dezembro_de_2005.pdf>. Acesso em: 01/12/2012.

___________. Lei Estadual nº 14.028, de 26 de março de 2010. Cria a Agência Pernambucana de Águas e Clima – APAC, e dá outras providências. Disponível:<http://www.apac.pe.gov.br/legislacao/lei_14028_2010.pdf>. Acesso em: 30/05/2013.

_______________. Agência Pernambucana de Águas e Clima. Decreto nº 38.752, de 22 de outubro de 2012. Estabelece procedimentos administrativos de fiscalização do uso de recursos hídricos no Estado de Pernambuco, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.apac.pe.gov.br/legislacao/decreto_n_38752_de_22_de_outubro_de_2012.pdf>. Acesso em: 01/09/2013.

PORTO, Monica; TUCCI, Carlos E.M.(2009). Planos de recursos hídricos e as avaliações ambientais. Revista de Gestão de Água da América Latina. REGA. REGA – Vol. 6, no. 2, p. 19-32, jul./dez. 2009.

REBOUÇAS, Aldo da C.(org.). Águas Doces do Brasil. 1997.

SPINK, Peter. Continuidade e descontinuidade em organizações públicas: um paradoxo democrático. Cadernos Fundap. São Paulo, Ano 7, n. 13, p. 57-65, abr. 1987.

TUCCI, Carlos E. M.; HESPANOL, Ivanildo; NETTO, Oscar de M. Cordeiro. A GESTÃO DA ÁGUA NO BRASIL: uma primeira avaliação da situação atual e das perspectivas para 2025.Brasília, 2000 Disponível em:<http://www.rhama.net/download/artigos/artigo30.pdf>. Acesso em: 20/11/2012.

TUCCI, Carlos E. M; (2005). Desenvolvimento institucional dos recursos hídricos no Brasil. Revista de Gestão de Água da América Latina. REGA. REGA – Vol. 2, no. 2, p. 81-93, jul./dez. 2005.

WORLD BANK (EUA). Pernambuco Sustainable Water Project (Projeto de Sustentabilidade Hídrica do Estado de Pernambuco). DC Washington, 2009. Disponível: <http://documents.worldbank.org/curated/en/2009/11/11560327/brazil-pernambuco-sustainable-water-project>. Capturado em: 04/07/2013.

Downloads

Publicado

2014-01-31

Como Citar

Silva, A. P., & Silva, C. M. (2014). PLANEJAMENTO AMBIENTAL PARA BACIAS HIDROGRÁFICAS: CONVERGÊNCIAS E DESAFIOS NA BACIA DO RIO CAPIBARIBE, EM PERNAMBUCO-BRASIL. HOLOS, 1, 20–40. https://doi.org/10.15628/holos.2014.1734

Edição

Seção

ARTIGOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)