A PEDAGOGIA DA INFÂNCIA COMO PERSPECTIVA PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES: um estudo a partir do curso de Pedagogia da FURG

Autores

  • Suzane da Rocha Vieira Gonçalves Universidade Federal do Rio Grande - RS

DOI:

https://doi.org/10.15628/holos.2014.1687

Resumo

Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa desenvolvida no Núcleo de Estudo e Pesquisa em Educação da Infância – NEPE da Universidade Federal do Rio Grande – FURG, que teve como objetivo investigar a identificação dos estudantes matriculados no curso de Pedagogia com o campo de atuação profissional. O estudo foi desenvolvido considerando a nova organização curricular do curso de Pedagogia da FURG que foi alterada após a aprovação das Diretrizes Curriculares Nacionais – Resolução CNE/CP nº. 1/2006, que extinguiram as habilitações e instituíram um novo perfil para a formação do pedagogo. A investigação situa-se no campo da pesquisa qualitativa e teve como sujeitos os estudantes que encontravam-se no quarto ano e último ano do curso de Pedagogia. Para coleta dos dados foram aplicados 56 questionários. Como ferramenta de análise dos questionários, adotou-se a metodologia da Análise Textual Discursiva, com a qual emergiram as categorias Infância e Profissão Docente. Desse modo, verificou-se que os estudantes revelaram possuir um forte sentimento de pertencimento com a profissão docente. Ainda foi revelada uma forte identificação com a infância, aspecto que possibilitou defender que o curso de Pedagogia pode promover a formação de professores da infância, pautado em uma Pedagogia da Infância que envolva o trabalho pedagógico com crianças de 0 a 12 anos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Suzane da Rocha Vieira Gonçalves, Universidade Federal do Rio Grande - RS

Mestre em Educação - UFSC Doutora em Educação Ambiental - FURG Professora Adjunta do Instituto de Educação da FURG Coordenadora do Núcleo de Estudo e Pesquisa em Educação da Infância - NEPE/FURG

Referências

ALBUQUERQUE, Simone Santos de e PROTÁSIO, Michele Reinaldo. Quando as Crianças Passam a ser alunas? problematizações sobre a articulação da Educação Infantil e os anos iniciais do Ensino Fundamental. In: Revista Momento, Rio Grande, 17: 95-106, 2004/2005.

BRASIL. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Resolução 1/2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Maio de 2006. Disponível em <http://mec.gov.br/cne> Acesso em 2 de junho de 2006.

BOGDAN, Robert.C; BIKLEN, Sari Knopp. Investigação Qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.

CAMPOS, Maria Malta. A Formação de professores para crianças de 0 a 10 anos: modelos em debate. Educação & Sociedade, v.20, n.68, p.126-142, dez. 1999. (Número especial: Formação de profissionais da educação: políticas e tendências.)

CAMPOS, Maria Malta et al. A qualidade da educação infantil: um estudo em seis capitais Brasileiras. Cadernos de Pesquisa. [online]. 2011, vol.41, n.142, pp. 20-54. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742011000100003&lng=en&nrm=iso&tlng=pt Acesso em 30 de junho de 2012.

CARVALHO, Marília Pinto de. Trabalho docente e relações de gênero: algumas indagações. Revista Brasileira de Educação. n. 2, p. 77-84 , Mai/Jun/Jul/Ago, 1996.

_______. No coração da sala de aula: gênero e trabalho docente nas séries iniciais. São Paulo: Xamã/ Fapesp, 1999.

CERISARA, Ana Beatriz. Referencial curricular nacional para educação infantil no contexto das reformas. Educação & Sociedade, v.23, n.80, p.329-348, 2002.

_____. A produção acadêmica na área da Educação Infantil com base na análise dos pareceres sobre o Referencial Curricular nacional da Educação Infantil: primeiras aproximações. In: FARIA, Ana Lucia Goulart de; PALHARES, Marina Silveira. (Orgs.). Educação Infantil Pós- LDB: rumos e desafios. Campinas-SP: Autores Associados, 2005.

ENGUITA, Mariano. A ambigüidade da docência: entre o profissionalismo e a proletarização. Teoria & Educação. Porto Alegre, n. 4, 1991.

FARIA, Ana Lúcia Goulart de. Para uma pedagogia da infância. Revista Patio Educação Infantil, Porto Alegre: Artmed Editora, n. 14, p. 6-9, Jul/Out 2007.

FREITAS, Helena Costa Lopes de. A reforma universitária no campo da formação dos profissionais da educação básica: as políticas educacionais e o movimento dos educadores. Educação & Sociedade, Campinas, v. 20, n. 68, dez. 1999. Disponível em: www.scielo.br/pdf/es/v20n68/a02v2068.pdf Acessado em 20 de junho de 2012.

FURG. Projeto Político-Pedagógico do Curso de Pedagogia – Licenciatura. 2006. Mimeo.

HYPOLITO, Álvaro M. Trabalho docente, classe social e relações de gênero. Campinas: Papirus, 1997.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Política de formação profissional para a educação infantil: pedagogia e normal superior. Educação & Sociedade, Campinas, v. 20, n. 69, p. 61-79, 1999. Disponível em: www.scielo.br/pdf/es/v20n68/a04v2068.pdf Acesso em 10 de janeiro de 2012.

KRAMER, Sonia. A política do pré-escolar no Brasil: a arte do disfarce. 5. ed. São Paulo: Cortez,1995.

KUHLMANN JR., Moisés. Histórias da educação infantil brasileira. Revista Brasileira de Educação, n.14, mai-ago, 2000. pp.5-18. Disponível em: www.anped.org.br/.../RBDE14_03_MOYSESKUHLMANN_JR.pdf Acesso em 30 de maio de 2012.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997.

MEDEIROS, Ivone Regina. CURSO DE PEDAGOGIA DA FURG: um estudo sobre a influência da formação na atuação da profissional egressa. Dissertação de Mestrado.1999. Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, RS,1999.

NOGUEIRA, Gabriela Medeiros. A passagem da educação infantil para o 1 ano no contexto do Ensino Fundamental de nove anos: um estudo sobre alfabetização, letramento e cultura lúdica. Tese de Doutorado. Programa de Pós-graduação em Educação. Universidade Federal de Pelotas. 2011.

PASCHOAL, Jaqueline Delgado e MACHADO, Maria Cristina Gomes. A História da Educação Infantil no Brasil: avanços, retrocessos e desafios dessa modalidade educacional. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.33, p.78-95,mar.2009. Disponível em: www.histedbr.fae.unicamp.br/revista/.../art05_33.pdf Acessado em: 15 de junho de 2012.

ROCHA, Eloisa Acires Candal. A pesquisa em Educação Infantil no Brasil: trajetória recente e perspectiva de consolidação de uma Pedagogia da Educação Infantil. Tese de doutorado. Programa de Pós Graduação em Educação. Universidade Estadual de Campinas, 1999.

______. A Pedagogia e a Educação Infantil. In: Revista Brasileira de Educação. Jan/Abr; no 16, 2001. pp. 27-34. Disponível em: www.anped.org.br/.../RBDE16_05_ELOISA_ACIRES.pdf Acessado em 20 de maio de 2012.

______. A função social das instituições de educação infantil. Revista Zero a Seis. Número 7. Janeiro/Junho de 2003. Disponível em: http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/zeroseis/article/viewFile/799/9390 Acessado em 09 de dezembro de 2011.

SCHEIBE, Leda. Diretrizes curriculares para o curso de pedagogia: trajetória longa e inconclusa. In: Cadernos de Pesquisa, v. 37, n. 130, p.43-62, jan./abr. 2007.

Downloads

Publicado

02/09/2014

Como Citar

Gonçalves, S. da R. V. (2014). A PEDAGOGIA DA INFÂNCIA COMO PERSPECTIVA PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES: um estudo a partir do curso de Pedagogia da FURG. HOLOS, 4, 521–532. https://doi.org/10.15628/holos.2014.1687

Edição

Seção

ARTIGOS