CINÉTICA DE FEIJÃO PRETO (PHASEOLUS VULGARIS, L.) EM SECADOR DE BANDEJA

Deyzi Santos Gouveia, Sânia Mara Ugulino, Maria Elita Duarte, Mário Eduardo Mata

Resumo


O presente trabalho propôs estudar a cinética de feijão preto (Phaseolus vulgaris, l.) em secador de bandeja a diferentes temperaturas do ar e posterior ajuste dos dados experimentais, obtidos com os diferentes modelos matemáticos ( Fick, Page e Cavalcante Mata). O teor de umidade inicial das sementes foi determinado pelo método padrão da estufa, 105 ± 3 °C, durante 72 h, com três repetições, de acordo com as regras do Instituto Adolfo Lutz (1985). Os tratamentos de secagem foram realizados em cinco níveis de temperaturas (40, 50, 60 ,70 e 80 ºC). Para cada tratamento de secagem foram utilizados em torno de 60 g de feijão por repetição. Para este fim utilizou-se um desidratador de frutas, Polidryer PD-25. O ar foi aquecido por meio de gás de cozinha, enquanto a temperatura foi controlada com o auxílio de um termopar, conectado ao secador. Os resultados mostraram que as equações propostas por Cavalcanti Mata e Page foram as que melhor representaram os dados experimentais, quando comparada com a equação de Fick utilizando um termo da série.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2011.510



 

HOLOS IN THE WORLD